sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Nina Sankovitch - O Ano da Leitura Mágica



Ficha técnica: O Ano da Leitura Mágica (Tolstoy and the purple chair. My year of magical reading)
Autora: Nina Sankovitch
Editora Leya
Lançamento original: 2011
Lançamento BR: 2011
232 páginas


"Você já ficou arrasado ao terminar um livro?
Algum escritor já continuou sussurrando em seu ouvido
muito tempo depois de você ter virado a última página?"
The Open Door ~ Elizabeth Maguire

Não sei dizer se fiquei exatamente "arrasada" ao terminar este livro. Diria mais que eu fiquei em nuvens.
Há livros que conseguem nos fazer pensar, que nos movem à ação, que nos movem à reflexão.
Não me importo se o livro é tido como "papo cabeça" ou "livro de mulherzinha". Para mim ele deve fundamentalmente mostrar a que veio.
Sim, há períodos em que gosto de ler livros sérios, introspectivos. Em outros, prefiro a água com açúcar, o capa e espada, o mocinho e o bandido bem demarcados. Tudo tem sua fase.
Não importa que tipo seja. Se eu me predispus a lê-lo, ele deve me arrebatar. Deve fazer com que eu queira fazer parte daquele enredo. Seja rindo, chorando, xingando, ou pronta a arregaçar as mangas e experimentar alguma nova receita ali descrita.

Eu diria que este livro me ajudou a ver a vida com outros olhos.
Nina é uma mulher mais ou menos da minha idade, com quatro filhos e um casamento sólido e por amor. Ela perde a irmã com apenas 46 anos de idade, vítima de câncer. E seu mundo desmorona.
Nos três anos seguintes a esse desastre, ela decide aproveitar a vida, estar disponível a todos os entes queridos, a provar que a tristeza não lhe roubou a saúde. Mas isso não foi o bastante. A tristeza da perda ainda se encontrava lá.
Analisando os anos em que viveu ao lado da irmã, ela lembra-se que uma coisa elas tinham em comum: o amor pela leitura. Daí, ela decide ter um ano sabático para leitura. Sim, um ano inteiro lendo 1 livro por dia. Mas será que ela conseguiria, com 4 filhos ainda dependentes e tantos outros afazeres?

Tudo veio a ser documentado em seu site:

www.readallday.org


Ao virar de cada página você se depara não só com o desafio proposto a si mesma, mas também com a história de sua família. Os anos durante as guerras, as primeiras paixões, as implicâncias, os insights, as descobertas, as perdas.
Impossível não se emocionar em vários trechos. Impossível não parar a leitura em alguns momentos para analisar a própria vida.
Enfim, para um início de ano, este livro foi um senhor achado.

De minha parte, gostei mais da capa no original em inglês. A alusão à poltrona roxa é porque era o local onde ela mais lia em sua casa. Por isso pesquisei na internet como seria a minha poltrona roxa perfeita para leitura e me vi apaixonada pela chase long no início da postagem (rsrsrsrs).


E assim como Nina, acho que devemos falar sobre livros. Por isso decidi fazer este blog.
Se você me acompanha aqui desde o início já deve ter percebido pelo menos 2 coisas. Primeiro: só resenho sobre livros REALMENTE lidos. Vejo blogs por aí falando de livros recém lançados ou pelas parcerias feitas com editoras, mas que não foram lidos pelas administradoras dos tais blogs. Mais uma vez digo que essas parcerias são muito bem vindas, mas de minha parte gosto da autonomia de falar o que eu quiser sobre o livro. Se eu tiver presa à uma parceria, se eu ganhei vários livros de uma editora X, pessoalmente, eu me sentiria podada a dar minha verdadeira opinião. E se eu não gostar do livro? Da história, da formatação, do tamanho do livro? Sei lá!!!
De qualquer forma, as parcerias são uma forma de divulgação muito bacana no mundo dos blogs.
A segunda coisa é que por opção não coloquei "seguidores". Eu queria algo mais intimista, algo onde eu pudesse expressar minhas opiniões literárias sem a paranóia de verificar quantas pessoas me seguem e me curtem. Se você gosta do que escrevo aqui (e soube há pouco tempo que algumas pessoas compraram livros baseadas em minha resenhas. Obrigada pela preferência!), pode voltar quantas vezes quiser, ou melhor, pode receber minhas atualizações através de seu email. E assim nós dois ficamos felizes: eu sem a "nóia" de saber se você realmente existe, e você lendo minhas opiniões quando mais lhe satisfizer.

a autora Nina Sankovitch


Segundo minha estante virtual no site do SKOOB (http://www.skoob.com.br/usuario/13162), estamos no 13º dia do mês de janeiro e eu já li 16 livros. Geralmente é assim, acelero no início do ano e depois vou lendo menos, mas nem por isso me contento em ler menos do que 100 livros por ano.


Se o mundo vai acabar mesmo em dezembro de 2012 eu não sei. O que eu sei é que devemos tentar ser melhores que nós mesmos a cada dia; e nesta leitura encontrei o fio que pode me ajudar a começar uma série de mudanças, na área de leitura ou na vida pessoal.
E para terminar, faço minhas as palavras de Kafka, no que diz respeito a como um livro deve mexer comigo....Espero que este livro também mexa contigo....

"Precisamos de livros que nos afetem como um desastre,
 que nos deixem profundamente tristes
como se alguém tivesse morrido, alguém que amássemos
mais do que a nós mesmos, como se nos perdêssemos
de todos numa floresta, como um suicídio.
Um livro tem de ser uma rachadura no
oceano congelado que temos dentro de nós."
Franz Kafka ~Carta para Oskar Pollak (1904)

Nenhum comentário:

Postar um comentário