terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

As Livrarias na Cidade







Vivendo numa cidade maravilhosa, com um povo tão pacífico e simpático, que é mais lembrado por seu bom humor e sua eterna preferência pelo choppinho no fim do dia, no jeitnho à la Gerson, na fugidinha pr'um banho de mar, fica até estranho a reivindicação por mais livrarias.

O certo seria reivindicarmos mais BIBLIOTECAS  PÚBLICAS e permitir que o povo tenha acesso à cultura gratuitamente. Mas o brasileiro já ficou conhecido como o povo que não lê.

Sim, sabemos dos altos preços dos livros ~ um verdadeiro absurdo, um assalto por assim dizer. Mas a bem da verdade não somos tão incentivados ao prazer da leitura desde pequenos.
Talvez o quadro esteja mudando. Talvez alguns pais modernos, conscientes da necessidade de se ter uma cultura mais abrangente - e não somente aquela prática à profissão, estão incentivando seu filhos a lerem. E melhor, estão dando exemplo nisso.

É verdade que a BIENAL foi um sucesso.Não sei precisar quantas mil pessoas estiveram presentes, mas sei dizer, porque estive lá, que tinha MUUUUUUITA gente por lá. Mas também percebi que MUUUUITA gente saiu de mãos abanando. Foram porque era a programação do momento. Queriam ver e serem vistos. Queriam ganhar brindes. Mas realmente não estavam sequer procurando promoções.

Ainda temos um longo caminho pela frente se queremos ultrapassar  a velha máxima de "analfabetos funcionais".
Já escrevi aqui em outra postagem, citando uma reportagem da Revista Veja, que em matéria de leitura aumentamos o número, mas ainda estamos atrás de muitos países.
Só de uns poucos anos pra cá as grandes livrarias começaram a despontar nos centros urbanos.

Mais uma vez a Revista Veja (Rio), de 25 de jan de 2012, trouxe como matéria de capa "As Melhores Livrarias da Cidade", mostrando um ranking que englobava espaço para leitura, wi-fi (modernidade é preciso), seção infantil, mostruário, café-restaurante, eventos, preço, cartão de fidelidade, venda online, encomenda, atendimento, auto-atendimento e acervo. Foram analisadas as grandes redes, como a Saraiva e Travessa, assim como as pequenas livrarias de bairros.
A mais conceituada foi uma recém chegada, a CULTURA, famosa rede de livrarias em Sampa, que desembarcou aqui fazendo barulho.

Ainda não conheci esta primeira livraria inaugurada num shopping (o que, de certa forma, busca dar aos clientes mais segurança), mas espero fazer em breve. Para um aficcionado por leitura, passeio em livraria é o paraíso.

E você? O que mais valoriza numa livraria? Qual seria o SEU rankeamento?
Investir em livros é investir em cultura, que por sua vez, é investir no futuro.
E que venham outras mais....Mas por favor, dá pra baixar mais os preços????

nova livraria Cultura e início da reportagem

área de leitura infantil na liv. Travessa na Barra

Nenhum comentário:

Postar um comentário