quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Jane Austen - Orgulho e Preconceito

# 4




Ficha técnica: Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice)
Autora: Jane Austen
Editora: várias
Lançamento original: 1813

Considerada a obra prima de Jane Austen, Orgulho e Preconceito na verdade surgiu anos antes de 1813 com o nome de First Impressions. Como foi recusado, a autora trabalhou mais um tempo sobre o original e brindou-nos com este resultado.
Quem conhece a história já sabe porquê o primeiro nome dado ao original, "Primeiras Impressões". Tudo nesse história ocorre por conta de nossa mania, humana, de obter todo um conceito a respeito de determinada pessoa baseada nas primeiras impressões.

Elizabeth Bennet, segunda filha de uma família de 5 irmãs, não tão bela quanto a mais velha, mas sendo a preferida de seu pai, tem inteligência e sagacidade para lidar com as novas  situações.
Tem uma mãe excêntrica, cujo objetivo é casar (bem) todas as filhas, e um pai que prefere passar o dia na biblioteca tendo um livro por companhia. Sua melhor amiga é Mary, a irmã mais velha. As outras 3 são jovens e imaturas, especialmente Lydia, que faz qualquer coisa para chamar a atenção de qualquer um dos soldados do regimento que na cidade está acampado.

Elizabeth (ou Lizzy, ou Eliza, como os outros a chamam) conhece o orgulhoso Mr. Darcy. Não tão bonito assim, mas com uma postura, uma altivez que lhe conferem um ar misterioso. Entretanto, é o seu orgulho, e por que não dizer?, seu preconceito que o leva a ser desprezado por Elizabeth.
De certa forma ela também acha que ele a despreza, haja vista em que na primeira vez em que se viram, numa festa, ele não escondeu em seu semblante o certo desprezo que sentiu ao vê-la e até mesmo recusou-se a tirá-la para dançar. A partir daí, não só a própria Elizabeth, mas boa parte das pessoas do povoado o considera arrogante e orgulhoso.

"Ela é tolerável mas não
bonita o suficiente para tentar-me"
(Darcy fala sobre Elizabeth)

A irmã de Elizabeth, Mary, apaixona-se pelo melhor amigo de Mr. Darcy, Mr. Bingley, e por causa disso, os dois acabam sendo visto juntos a maior parte do tempo.
Reforçada por sua atração pelo belo militar Wickham, que tem uma pendência do passado contra Darcy, Elizabeth a cada dia tem mais asco do cavalheiro.
No entanto, acidentes acontecem no meio do caminho, e Elizabeth e Darcy encontram-se várias vezes e, por (in)felicidade do destino, é graças a Darcy que uma tragédia maior não abate sobre a sua família.
Eles tornam-se amigos, mas ela já não acredita ser possível algo mais acontecer entre eles.

É interessante que acompanhamos o desenrolar dos pensamentos de Elizabeth. Sua antipatia inicial por Darcy até sua mudança de ideia, ao conhecê-lo a fundo e entender que sob todo aquele orgulho há um amigo leal, um irmão cuidadoso e amoroso e um homem apaixonado.

Elizabeth não é nenhuma bobinha. Sua personalidade não cansa, pelo menos não ME cansou. Diferente da tímida Fanny Price em Mansfield Park, ou da ingênua Catherine Morland em A Abadia... 
Ela era cabeça dura, e sim, deixou-se enganar um tempo pelo belo Wickham (mais   provavelmente por ele ser bonito e usar isso a seu favor). Entretanto não esqueçamos que Darcy também não era muito fácil de se lidar.

Compreendemos como as ações de membros da família podem afetar os outros membros (por pouco as duas moças não perdem os seus partidos por conta das treslouquices de suas irmãs e da língua comprida de sua mãe!); o comportamento de época dos ricos ou membros da nobreza (as irmãs "falsas" de Mr. Bingley, assim como a orgulhosa Lady Catherine de Bourgh, tia de Darcy), e as maledicências de toda uma geração.

O livro já foi transformado em filme em várias versões e continua influenciando o gosto literário das pessoas. Positiva ou negativamente.
Não há meio termo ao se ler Orgulho e Preconceito. É ame-o ou deixe-o. É por isso que ainda hoje, a quase 200 anos da morte de Jane Austen (1817-2017), pessoas afluem a seus livros, grupos de discussão se reúnem para debater suas obras, novas versões de filmes e peças de teatros surgem.
E com certeza o Sr. Fitzwilliam Darcy é o personagem masculino mais famoso e amado dos livros de Jane Austen.

Mapa de Relacionamentos entre os personagens


* Gravura e mapa retirados da página Wikipédia. 1ª foto: cartaz do filme de 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário