quarta-feira, 14 de março de 2012

AutoAjuda Divertida #2

Logo no início das postagens do blog falei sobre a utilidade dos livros de auto ajuda. E o melhor de tudo, você não precisa ler esse gênero como quem vai para o próprio funeral. Há vários exemplos de auto ajuda que, enquanto ajudam (principalmente ao escritor, que fica cada vez mais rico!), divertem.

Um bom exemplo são os 2 livros citados abaixo. Ambos têm algo em comum, o escritor.
Greg Behrendt trabalhou na série Sex and the city. Ele tem umas tiradas maravilhosas e sabe pisar no calo, fazendo doer, mas, ao mesmo tempo, nos levando à reflexão. O que já é um bom começo para nos levar  à ação, certo?


Ficha técnica: Ele simplesmente não está a fim de você - entenda os homens sem desculpa (He's not that into you - the no-excuse truth to understanding guys)
Autores: Greg Behrendt & Liz Tuccillo
Editora Rocco
Lançamento original: 2004
Lançamento BR: 2005
170 páginas

Meninas, não têm como dourar a pílula. Os sinais estão lá, claros como água cristalina. Mas por que mulher tem que ser bicho burro? 
Arrumamos desculpas, ficamos esperando telefonemas que nunca acontecem, passamos por cima dos "defeitinhos", fazemos mudanças radicais na maneira de vestir, no corte do cabelo, na cor dos esmaltes....
E eles? Se não estão a fim, continuam não a fim. Quer um exemplo?

"Os homens dizem o que estão sentindo mesmo quando você se recusa a escutar ou a acreditar neles. 'Eu não quero ter um relacionamento sério' na verdade significa 'Eu não quero ter um relacionamento sério com você', ou 'Não tenho certeza se você é a mulher certa para mim' (sinto muito).
Melhor do que nada não é o bastante para você!
Se você não sabe para onde está indo o relacionamento, pode parar no acostamento e perguntar que rumo a coisa está tomando.
Indefinido? Não serve.
Tem um cara por aí que vai querer dizer para todo o mundo que é seu namorado. Pare de marcar bobeira e vá ao encontro dele."

Muito forte para você? Então senta porque tem conselhos muito piores....ou melhores, já que na verdade ele te assusta para depois levantar sua bola e mostrar que há algo melhor lá fora. Não se contente com zero. Pior, zero à esquerda. E cortado no meio.

O livro fez tanto sucesso que virou filme, com um elenco estelar.


Mas aí você encontrou o cara, ficaram um tempo juntos, viveram uma tórrida paixão, mas a história começou a mancar. Terminar e ficar sozinha? Por quanto tempo? E se outro demorar muito a chegar? Não é melhor ir aguentando até que uma oportunidade melhor (leia-se melhor partido) apareça?

Minha amiga, em alto e bom som:


Alguma dúvida do que se trata?

Ficha técnica: Quando Termina é Porque Acabou - juntando os caquinhos e dando a volta por cima (It's called a breakup because it's broken)
Autores: Greg Bhrendt & Amiira Ruotola-Behrendt
Editora Rocco
Lançamento original: 2005
Lançamento BR: 2006
254 páginas

A arte de tomar um pé na bunda. Este também poderia ser o título do livro. Porque tem certas pessoas que simplesmente não sabem ver quando o relacionamento acabou. E insistem, e choram, e apelam, e chantageiam, e ameaçam, e se matam. Um inferno!
Nesse livro ele e a esposa criaram um perfeito manual. Você tem como identificar o seu tipo de "sabotador" de término de relacionamento, e pode, inclusive, fazer anotações, numa espécie de exercícios, pois, a prática leva à perfeição.
Ah! Mas não se preocupe.Você vai se encaixar em algum(uns) ponto(s) mas nada que chegue a querer cortar os pulsos. Até porque o bom da terapia via livro é que o preço é fixo (você só paga uma vez pelo livro) e ninguém mais tem acesso às suas vergonhas. Dá para rir e chorar sem testemunhas. E dá para dar uma guinada em sua vida também.
No mínimo você vai se divertir com os casos relatados no livro.

Só uma dica: por via das dúvidas NÃO leia o livro próximo a um penhasco, ponte, janela de apartamento......

#leituranossadecadadia

  • Celia May Hart - Ensina-me
  • Gayle Wilson - [Sinclair 1] Uma Mulher de Coragem (Nova Cultural)
  • Mary Nichols - Fronteiras da Paixão (Nova Cultural)
  • Julie Tetel - A Noiva do Guerreiro (Nova Cultural)



Nenhum comentário:

Postar um comentário