sexta-feira, 6 de abril de 2012

Jane Austen - Razão e Sensibilidade

# 6


E finalmente cheguei ao último livro da lista, Razão e Sensibilidade




Ficha técnica: Razão e Sensibilidade (Sense and Sensibility)
Autora: Jane Austen
Editora: várias
Lançamento original: 1811

Também traduzido como "Razão e Sentimento", este foi o primeiro livro publicado desta autora. Na época não era de bom tom que mulheres trabalhassem, especialmente usando o intelecto, por isso na capa não vinha o nome da autora. Nas obras seguintes era apenas citado "da mesma autora de Razão e Sensibilidade".

A história nos brinda sobre a família Dashwood. As irmãs Elenor e Marianne. Há ainda a irmã caçula Margareth, mas ela pouco aparece.
Elenor e Marianne não poderiam ser mais diferentes. Eis o porquê do título. Enquando uma priorizava a razão, pouco demonstrando seus sentimentos, sempre preocupada com o bem estar da família, Marianne era toda paixão. Tudo nela e com ela tinha que ser ao extremo. Quando amava demonstrava-o à exaustão; e quando odiava, mostrava-se até mal educada.

Com a morte do pai, a casa em que moravam, Norland Park, em Sussex, passou como herança ao filho mais velho do Sr. Dashwood, fruto de seu primeiro casamento. E como a esposa daquele não pensava em dividir a casa com sua sogra e cunhadas, elas nada puderam fazer além de se mudarem para outra cidade, Devonshire, e morarem num chalé.

 Alfriston, Sussex

Sussex

A mudança não foi tão horrível assim em termos de paisagem, apesar de o chalé ser muito menor do que a casa em que moravam, e precisar de reparos. Mas logo as Dashwood se sentiram em casa ao fazer novas amizades. E foi exatamente ali que Marianne conheceu a paixão e a desilusão.

Devon, Devonshire

Catedral de São Pedro, Devonshire

Como disse anteriormente, Marianne levava os seus sentimentos aos extremos. 
Sua irmã Elenor também havia se apaixonado antes da mudança, por Edward Ferrars. E teve que separar-se a quilômetros de distância com a mudança. Mas ela soube administrar seus sentimentos.
Já Marianne, ao conhecer o belo e carismático John Willoughby não teve o menor senso ao entregar-se a esse sentimento. E foi desiludida.
Enquanto isso, o Coronel Brandon, apaixona-se por Marianne, que não tem olhos para mais ninguém a não ser o seu querido Willoughby. Isso não parece aquela "Quadrilha" de Drummond...

 João amava Teresa que amava Raimundo 

que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili 

que não amava ninguém. (???)


Marianne desiludida, depois Elinor fica sabendo que seu amado mantinha um noivado secreto há anos com uma das Srta. Steel, o Coronel Brandon sofrendo ao ver Marianne definhando dia a dia, Edward preso a um compromisso sem amor, Willoughby casando sem amor porque era um gastador filho da mãe....Uffa!!!! Uma verdadeira novela mexicana com ares britânicos. Nunca vi tanto "a" que ama "b" que sofre por "c" na minha vida.

Mas como Jane Austen era uma romântica - mesmo que ela nunca tenha se casado, mesmo que digam o contrário -, tudo acaba bem quando termina bem.
Algumas surpresas no meio do caminho, alguns personagens carismáticos, outros você quer jogar água fervendo em seus ouvidos enquanto dormem, mas no geral, felicidade.

Do meu ponto de vista, achei Edward um fraco; Marianne, volúvel demais (mesmo lembrando que ela começa a história tendo apenas 16 anos); John Dashwood (irmão delas), um bundão; as irmãs Steel, umas falsas;  e Elinor, passível a ter um ataque cardíaco a qualquer momento de tanto represar seus sentimentos. Pensando bem, acredito que a irmã que menos apareceu, Margareth, fosse uma mescla das duas mais velhas, portando, talvez um pouco mais equilibrada. Pena que não houve chance de Austen escrever um livro sobre ela....

Para quem ainda não leu, é uma boa pedida. Não leve em consideração os meus "achismos". Nunca confie demais no que os críticos falam. Cada um tem uma forma de ver a história.
Além disso há algumas versões já em dvd. Nem todas encontram-se disponíveis no Brasil, mas você pode encontrá-las facilmente pelos sites Amazon.com ou Amazon.co.uk.

versão de 1971

versão de 1981

versão de 1995

versão de 2008

A pergunta que não quer calar em minha mente: O Dr. Davies gostava de rosa....será que ele era gay? ehehehe.... Jane Austen e suas sutilezas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário