terça-feira, 12 de junho de 2012

J.R. Ward - Lover Reborn



Ficha técninca: Lover Reborn (Amante Renascido)
Autora: J.R.Ward
Editora NAL Hardcover (em breve será lançado pela Universo dos Livros)
Lançamento original: 2012
592 páginas

Ele é um guerreiro de valor. O segundo em comando junto à Irmandade da Adaga Negra, Thorment teve o seu destino transformado quando perdeu sua shellan (companheira de uma vida inteira). Quando isso aconteceu, ele ficou tão transtornado, que seu grito fez rachaduras nas paredes e ele sumiu pelo mundo.
Tempos depois ele foi encontrado pelo anjo "porra-louca" Lessiter e trazido de volta a seus irmãos, totalmente transfigurado, magro, com pouca ou quase nenhuma perspectiva de retomar a vida.

Além do apoio de seus Irmãos, Thor teve a perseguição de Lessiter, enchendo o seu saco e irritando-o até o ponto máximo.
Mas o que Thor e os outros não sabiam é que Lessiter tinha uma missão. Missão essa dada pelo próprio Criador, e, para falar a verdade, ele já começava a perder as esperanças.



Mas como cada livro traz a história de um Irmão e sua luta, seja enfrentando o seu passado, ou conquistando uma companheira, este livro não é diferente. E eis que há a possibilidade de surgir uma nova companheira para Thor.

O que por algum tempo trouxe uma grande comoção junto às fãs. Explico o porquê: para os vampiros uma companheira é para vida toda. Quando eles encontram A mulher, eles exalam um cheiro característico de especiarias. Uma maneira de mostrar sua posse junto à ela - e manter afastado qualquer outro macho. Esse cheiro acontece com uma única companheira. Portanto, se Thor já havia se casado e permanecido junto à sua companheira por mais de 200 anos, como seria com esta nova?
Isso sem contar que a antiga companheira dele era uma fofa e estava grávida. Quando ela morreu de forma brutal, as fãs ficaram tristes - eu incluso. Então, como aceitar uma nova parceira na vida dele?

Mas uma história do passado retorna. Alguém que ele havia julgado morta e enterrada - por ele mesmo - reapareceu e estava ali, sempre próxima a ele. E no meio de todo aquele tormento de viver sem perspectivas, no meio de tantos Irmãos casados e felizes, esta mulher, uma No'One (ninguém) conseguia mexer com ele.

O caminho foi árduo. Em certos momentos torna-se palpável o sofrimento dele. Mas, ou ele virava essa página ou a sua ex companheira não entraria no Fade (equivalente ao céu). E o tempo estava se esgotando...

Enquanto isso, mais do que a luta entre os guerreiros e os lessers, há todo o plano de Xcor e o Bando de Bastardos tentando matar o Rei Cego e reivindicar o trono. Há a entrada de Layla na jogada, e ainda, o romance entre Quinn e Blay.
Este último não aparece tanto, mas as cenas que têm são decisivas para o início do próximo livro (até porque a autora já disse que o livro deles começa exatamente onde termina o de Thor).

Alguns Irmãos não aparecem muito; há uma cena rápida entre Butch e Marissa (até então o nome dele era só mencionado) e uma muito engraçada de Rhage efetuando uma espécie de dança sexy. No geral, as cenas são realmente focadas em Thor e seu dilema (diferente do livro anterior de Payne e Manello que mais parecia de Vishious e Jane...)

Antes de ler o livro eu tinha lido vários comentários e resenhas falando o quão mal Thor tinha tratado a No'One, o quão ele a tinha usado. Ok, ele a usou, mas ela se deixou ser usada. A princípio por achar que tinha uma dívida de gratidão com ele - pela história do passado -, mas depois vê-se claramente que havia mais em jogo. E nas cenas em que a "usou", ele foi bem cuidadoso, e não um troglodita insaciável. Portanto, houve bem mais uma troca entre eles.
E de mais a mais, é sempre bom tentar entender o lado do personagem. Ainda que haja uma opinião não favorável, acho que houve um certo cuidado da parte dele para com ela.

A história é bonita. Sofrida. Ainda acho que não tinha porque da autora ter matado a esposa original dele, mas o livro cumpriu seu objetivo.

Agora é esperar chegar 2013 para a história H/H mais esperada e comentada da Literatura Fantástica.

Abaixo, outras capas para o exemplar:





**Ao som de Angels, de Robbie Williams

Um comentário:

  1. Desde de o inicio era estranho o fato dele ser o único a ter uma esposa, sem falar que a história deles não foi contada. Vou confessar que já esperava a morte dela, só que não daquele jeito, pensei que ela fosse morrer no parto.
    Gostei da Antunn, pensei que eu não fosse gostar dela, mas simpatizei com a história da personagem. A única coisa que eu não gostei do livro foi a falta de foco no casal principal, a Ward sempre colocou POVs de outros personagens só que nos últimos livros isso aumentou demais. É o que eu penso, fora isso estava muito bom.

    ResponderExcluir