quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Christine Feehan - Desejo Sombrio (Cárpatos #2)



"Porque sem você, sou perigoso demais para o mundo.
Porque o que sinto por você está além de qualquer emoção humana,
até mesmo do amor."


Ficha técnica: Desejo Sombrio - Cárpatos #2 (Dark Desire)
Autora: Christine Feehan
Editora Universo dos Livros
Lançamento original: 2006
Lançamento BR: 2012
422 páginas


"Sete anos de escuridão, fome, desespero e solidão...
Jacques Dubrinsky, irmão do príncipe dos Cárpatos, foi capturado, cruelmente torturado e enterrado vivo. Durante sete anos, preso naquele buraco, alimentando-se do sangue de ratos, somente uma coisa o mantinha vivo: o desejo de vingança. Havia um traidor. E ele descobriria quem era.
O tempo já não significava mais nada. Ninguém sabia da sua existência. Até que ele sentiu a presença de uma mulher misteriosa e sensual em sua mente. Depois de tantos anos, um contato... Quem era ela? Seria ela a traidora?"


Seis anos após o lançamento do original, finalmente as fãs brasileiras têm a oportunidade de conhecer e dar continuidade à saga.
O primeiro livro, Príncipe Sombrio, foi bastante comentado. Muito ouvi a mulherada revoltada, falando mal pelo personagem, no caso Mikhail Dubrinsky, ser extremamente machista.
Como eu já conhecia a saga, virei uma espécie de defensora, por uma simples razão: o primeiro livro não explica completamente a dinâmica dos cárpatos.

Da mesma forma que as personagens femininas encontram-se perdidas com o comportamente dos machos, nós leitoras ficamos também. 
Somente a partir deste volume a gente consegue alcançar toda a problemática que os cárpatos, homens, sofrem.
Sim, eles são um tanto machistas, possessivos, cuidadosos ao extremo, mas o motivo deles é forte: não há mais mulheres da raça deles. E sem elas, eles não tem como reproduzirem-se e se salvarem da escuridão.

Mas antes que eu entre em alguns spoilers deste livro, deixe-me falar sobre esta história em si.
Como sempre a escritora é muito detalhista quanto às emoções dos personagens. Ambos os lados encontram-se num situação nova: as mulheres humanas, mas com alguma característica de dons especiais, são reivindicadas por homens enormes, fortes e poderosos para toda uma vida. Os cárpatos, geralmente com mais de 200 anos de existência e muito próximos a irem para a escuridão, finalmente encontram-se libertos da mesma quando encontram sua companheira de vida toda. A descrição de todo esse processo às vezes pode até parecer exagerada, mas é necessária. 

O personagem deste, Jacques, sofreu brutalmente nas mãos de humanos que o caçaram, a mando de um vampiro. Passou 7 anos encarcerado debaixo da terra, e não conseguia comunicar-se com os seus. Muito tempo após estar enterrado vivo, algemado e ainda com uma estaca cravada no peito (mas não no coração), ele começa a ter contato mental com uma garota, uma jovem estudante, que pensa que aquele homem misterioso e machucado em sua mente era apenas um délirio.
Vingança era o nome do que o mantinha vivo. Esta fome o corruía, fê-lo esquecer de seu passado e deu-lhe força para perseguir os seus algozes.

Shea tem o seu primeiro contato com Jacques ainda quando era estudante. Anos mais tarde, já uma médica consagrada, ela avança em sua pesquisa sobre a doença sanguínea e rara que ela mesma tinha. E foi assim que ela acabou indo parar nas montanhas Cárpatos. Atrás de lendas de vampiros e com uma voz sussurando-lhe um caminho...

Os livros - histórias - costumam ser longos e de um livro para o outro você consegue saber quem será o próximo personagem. Algumas de suas características, idade, coisas assim. Por isso é bom não se atentar somente no casal da vez.

As cenas românticas são apaixonantes porque aos poucos você vai se envolvendo com a relação deles. Mesmo parecendo um tanto brusco algumas vezes, mas é gostoso de ver como a simbiose ocorre. E as declarações de amor ditas por ele, é um caso de louco!
E lembrando, se você leu o primeiro livro, mas torceu o nariz para as partes machistas, a partir deste volume os homens em questão são bem mais maleáveis com suas mulheres. Antes eles só se uniam a mulheres cárpatos. Desde que precisam das mulheres humanas, eles passarão a rever seus conceitos sobre o papel delas.

"Você pertence a mim. Shea, somos duas metades do mesmo todo.
Você é a luz da minha escuridão.
Posse ser estranho ou até mesmo louco, mas meu coração
e minha alma sabem que não existo sem você."




**SPOILERS - CUIDADO**


Se você não se incomoda em ler spoilers, prossiga.
Tudo a ser dito a seguir você encontra neste exato livro, mas se não quiser descobrir antes de lê-lo, então pare agora.


Os Cárpatos são uma raça tremendamente antiga. Não, eles não são vampiros...ainda.
Durante os 200 primeiros anos eles são como qualquer ser humano, com a vantagem de serem imortais e terem uma força sobre humana.
Eles podem, por exemplo, regular a temperatura do próprio corpo para não sentirem frio. Não têm necessidade de se alimentarem com comida e, apesar de precisarem de sangue como alimento, eles não matam suas vítimas. Apenas as hipnotizam e tomam o sangue necessário, fazendo-as depois se esquecer de qualquer ataque.
Eles têm uma relação especial com a natureza, podendo controlá-la de acordo com a necessidade ou com seu humor (trovões e tempestades). Os animais sabem que eles podem ser predadores, mas não os temem. 
O sono deles é reparador quando é feito sob a terra - o sono humano normal não os descansa. E esta mesma terra tem características curativas para eles.
O poder deles também permite que tenham uma velocidade insuperável, virem névoa ou transmutem-se em animais (geralmente lobos, corujas ou roedores).

Após os 200 anos de idade, os machos perdem as emoções e a capacidade de ver as cores. Leva-se bastante tempo para enlouquecerem - o que vai depender da capacidade mental de cada um. São as mulheres que os salvam.
Cada cárpato tem uma companheira de vida, e apenas uma. Eles sabem exatamente quando a encontraram, pois, as cores da visão retornam.
Por alguma razão nos últimos anos as poucas mulheres cárpatos não conseguiam ter filhos do sexo feminino. E mesmo os bebês machos nem sempre vingavam, morrendo durante a gestação ou até o primeiro ano de vida (este mistério será esclarecido ao longo da saga).
Por causa da capacidade feminina de gerar filhos e por serem a sua salvação, os machos, ao encontrarem suas companheiras, são terrivelmente cuidadosos, possessivos e beligerantes. Por mais zangados que estejam, JAMAIS maltratam uma mulher, quer seja sua companheira ou não.

Se o tempo passar demais e não conseguirem encontrar sua companheira, daí sim eles podem sucumbir ao "lado negro" e acabarem virando vampiros. A partir daí ele deve ser caçado e destruído.

Por todas essas questões, ao encontrarem sua companheira, eles procuram sempre reafirmar a elas da sua importância. Então, ao longo de todo e qualquer livro deles, você encontrará declarações de amor como as acima citadas. Palavras que toda mulher gostaria de ouvir. 
Uma vez unidos, o casal não consegue viver separado por um período muito grande de tempo. Quando a separação é necessária, eles mantêm o elo mental.
E em todas as edições você encontrará as palavras da União mental, física e espititual.

"Você é minha companheira.
Eu a reivindico como sendo minha companheira. Eu pertenço a você. Ofereço-lhe minha vida. Concedo-lhe meu amparo, minha fidelidade, meu coração, minha alma e meu corpo E aceito as mesmas coisas vindas de você. Sua vida, sua felicidade e seu bem-estar são vitais para mim. Você é minha companheira, está unida a mim por toda a eternidade e estará para sempre sob os meus cuidados."

Lindo, não?

2 comentários:

  1. Estava procurando resenhas sobre esse livro e tive a felicidade de encontrar o seu blog! Adorei a resenha! Bem legal...
    E também gostei bastante do seu blog! Vou virar visita constante por aqui ;D!

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela visita e elogio. Volte sempre e deixe quantos comentários quiser.
    Bjin.
    Vânia.

    ResponderExcluir