segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Susan Mallery - Trilogia Irmãs Keyes



Livro 1 - Um Gosto de Vida (Sweet Talk/1989) 2011




"Existe algo mais doce do que o primeiro amor? Não pergunte para Claire Keyes. Aos 28 anos, ela é considerada um prodígio do piano. Porém, em seu currículo amoroso não há um relacionamento sério, tampouco um caso de verdade. Sua carreira de concertista deixou pouco espaço para amigos e parentes. E é por esse motivo que Claire não visita Nicole e Jesse, suas irmãs, nem a tradicional confeitaria da família há anos..."








Livro 2 - Um Gosto de Amor (Sweet Spot/2008) 2011



" Se ela tivesse uma vida mais de pecadora do que de santa...
RESPONSABILIDADE deveria ser um dos sobrenomes de Nicole Keyes. Afinal, não é todo mundo que se dispõe a sacrificar a própria vida para comandar a confeitaria da família e educar Jesse, a irmã caçula. Mas agora que Claire, sua gêmea, está alegremente casada enquanto Jesse deixa para trás o jeito de menina da casa de lado para se tornar uma femme fatale, a superconfiante Nicole cansou de colocar as necessidades dos outros antes das suas!"










Livro 3 - Um Gosto de Esperança (Sweet Trouble/2008) 2011





"Lar...doce lar?
Jesse Keyes finalmente cresceu de verdade...
Com um emprego fixo e mãe de um garotinho superagitado, ela agora está em uma posição muito melhor do que 5 anos atrás, quando saiu de Seattle grávida e incompreendida por quase todas as pessoas que conhecia.
Mas havia chegado a hora de voltar para casa e enfrentar seus medos e culpas. Só que suas irmãs Nicole e Claire não parecem muito confiantes em relação à nova Jesse, adulta e responsável..."







Li os três livros numa tacada só, o que ajudou bastante a compreensão da história das irmãs.
Tudo é uma grande confusão e um balaio sem tamanho de mágoas.

No primeiro livro, a história de Claire, encontramos uma mulher bem sucedida, que nunca aprendeu a tomar conta da própria vida, porque desde pequena, ao ser descoberta como uma estrela no piano, teve sua vida controlada pela avó, a mãe e sua agente.
Agora, aos 28 anos, sozinha e sofrendo de síndrome de pânico, ela só quer uma única oportunidade de voltar para casa. O que surge, e ela a agarra com unhas e dentes. E com isso terá que enfrentar o Furacão Nicole.

Vamos abrir um parênteses: meudeusducéu!!! Que mulher mais irritante e teimosa!!! 

Claro que além de querer a companhia das irmãs, Claire tem em sua lista de prioridades a busca de um grande amor, e não seria nada mau se ela pudesse fazer tudo ao mesmo tempo.
Como nada vem fácil, ela até consegue encontrar um cara interessante. Só tem um porém: Wyatt é o melhor amigo de Nicole e depois de passar anos ouvindo-a falar cobras e lagartos da gêmea, ele sente uma antipatia gratuita de cara pela heroína. Muitos nós para serem desfeitos...

No livro 2 vem a história da própria Nicole. Aí, sim, a gente começa a ouvir o lado DELA da história.
Mágoa acumulada de muitos anos não tem como ser dissolvida numa única conversa e abraço. Leva-se tempo. É claro que com Nicole parece que o tempo exigido tem que ser o dobro!!! E tem hora que dá vontade de torcer o pescoço dela.
A empatia começa a aparecer quando a gente se dá conta do quanto ela deseja sua própria família, e parece que todo mundo consegue isso - até a cachorra vira-lata - exceto ela.
Um romance também não cairia mal e ela conhece o treinador Hawks. Lindo maravilhoso, rico, viúvo e que começa a arrastar asa para ela. Mas como nada vem fácil aqui também, a filha dele é um pé no saco, e ainda tem a história do ex-marido com... Bom, é melhor você mesmo (a) descobrir.

No livro 3 temos a última irmã, Jesse.
Depois de aprontar todas, dormir com todo mundo que quis, quando finalmente ela decide se endireitar, há um enorme mal entendido e ela resolve ir embora de Seattle.
Cinco anos se passam e com todo o questionamento de seu filho Gabe sobre onde está seu papai, ela volta à cidade.
Ela precisa: encarar a megera da ex-futura sogra, fazer o pai de Gabe acreditar que ele é o pai, provar que amadureceu e enfrentar a ranzinza da Nicole.
Sim, senhoras e senhores, porque apesar de agora estar casada (bem amada) e feliz, Nicole continua sendo uma pessoa difícil.
Mas os laços familiares são fortes e, apesar de outros desastres que porventura acontecem, elas conseguem rumar a um acordo.




Gostei da forma de escrita da autora. Em vários momentos ela lembra um pouco o estilo de Nora Roberts, o que não é pouca coisa.
A história flui bem, apesar de, como disse, tive horas em que queria dar na cara de Nicole. Mas isso prova que a escritora conseguiu passar bem o seu recado.

Uma anotação mental: preciso ir para Seattle. Se todos os homens de lá são como os três pretendentes dos livros - Wyatt, Eric Hawks e Matt - UAU!!! Tô fazendo o que aqui, minha gente???? LOL

Se você puder ler os três livros na sequência, sem demora, o aproveitamento é bem melhor.
E de quebra, para as doceiras de plantão (falou comigo?), cada livro traz uma receitinha de um doce.

Boa leitura e bom apetite!!


a autora

Nenhum comentário:

Postar um comentário