terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Presente de Namorados Atrasado | Trecho de Gabriel e Julia



Para quem leu o livro "O Inferno de Gabriel",  se deliciou com a paixão entre o casal (e sua analogia com Dante e Beatriz), e mal pode esperar para o lançamento do segundo livro, "O Julgamento de Gabriel", tenho uma boa notícia - mesmo que um pouquinho atrasada...

Há pouco tempo, foi-se comemorado o Dia dos Namorados em outros países. Sylvain Reynard também disponibilizou uma cena entre o casal dos seus livros. Você pode encontrar o texto no seu site. Aqui, disponibilizo a tradução...
Enjoy o anjo-demônio Gabriel!

Júlia apoiou-se contra o balcão da cozinha e ligou para o seu marido.

O telefone tocou apenas duas vezes antes dele atender.

“Olá, linda.”

Ela corou. Ela nunca parou de se maravilhar como, com apenas uma ou duas palavras, ele podia aumentar seus batimentos e corar sua pele.

“Oi, lindo. Onde você está?”

“Pegando algumas coisas. Onde você está?

“Em casa.”

Gabriel parou e Júlia podia ouvir o barulho de uma porta de carro batendo.

“Você chegou cedo em casa. Não estava esperando você até às seis.”


“A Professora Marinelli finalizou o seminário dela mais cedo. Estou tão cansada. Vou subir e tomar um banho para depois tirar uma soneca.”

Júlia ouviu o som do motor da Range Rover assim que Gabriel o ligou.

“Faça isso. Estarei em casa logo. Vejo você em breve.”

“Te amo.”

“Também te amo.”

Júlia ouviu o que parecia ser um riso antes de Gabriel desligar. Ela ficou imaginando o que ele achou tão engraçado.

Ficou alguns minutos na cozinha e notou que Rebecca não tinha
preparado nada para o jantar. Júlia ficou pensando o porquê disso.

Perplexa, ela subiu as escadas para o segundo andar. Não se importando

em pendurar suas roupas, simplesmente jogou-as no chão do quarto antes de entrar no chuveiro.

Um banho quente poderia revitalizar suas energias depois desse dia exaustivo, ela tinha certeza disso.

Estava quase terminando seu banho quando ouviu a porta do chuveiro abrir.

“Nossa, oi.”

Gabriel estava na sua frente, pelado e sorrindo. Ele inclinou-se para beijá-la.

“Você também precisa de um banho?” ela perguntou, tentando não encarar ele demais e falhando completamente.

“Não. Só queria estar onde você está.”

Ela beijou-o novamente. “Obrigada.”

Ela começou a acariciar o centro do peito dele até o profundo V que se formava nos quadris dele.

Depois, ela desligou o chuveiro e apertouseus longos e escuros cabelos para retirar o excesso de água.

Gabriel rapidamente pegou uma toalha e entregou a ela.

Foi quando ela notou o jeito como os olhos dele estavam vivos com antecipação, o sorriso dele crescendo cada vez mais.

“O que foi?” ela perguntou.

“Tenho uma surpresa para você.”

“Oh, jura?”

“Pense nisso como um presente antecipado de Dia dos Namorados.”

“Estou escutando...” ela rapidamente passou a toalha pelo corpo e depois amarrou-a no cabelo.

Gabriel pegou um frasco de vidro e entregou para ela.

“Tinta corporal de chocolate,” ela leu. Olhando para ele disse.  “Agora?”

“Agora.” Ele balançou um pequeno pincel embaixo do nariz dela.

“Wow.” Ela disse.

“Pensei em tentar usá-la no quarto, mas as coisas podem ficar sujas.”

Ele agachou-se na frente dela, sua face nivelada com o umbigo dela, e abriu o frasco. Mergulhou o pincel no chocolate, espalhando uniformemente sobre os delicados fios da escova, antes de piscar para ela.

“Podemos começar?”

Ela concordou, seus olhos quase fechados.

Lentamente, ele começou a desenhar um coração no seu ventre.

A sensação do chocolate e do pincel passando pela sua pele quente

causou-lhe arrepios. E, claro, apesar de quase fazer cócegas, Gabriel não se apressaria.

“Pronto.” Ele colocou o frasco e a escova de lado e lambeu os lábios.

“Agora vem a parte interessante. Pronta?”

Ela assentiu e, em seguida, estendeu uma mão trêmula para segurar um

corrimão quando a língua de Gabriel fez contato com sua pele,

girando-a sobre o chocolate e entrando no seu umbigo.

Gabriel procurou firmá-la colocando uma das suas grandes mãos nas suas costas.

“Tem um gosto melhor do que eu esperava.” Ele mordiscou a pele dela

levemente. “Mas também, pode ser porque eu sei qual é o seu gosto.”

A língua dele fez uma trilha até o quadril dela, onde ele começou a beijá-la.

“Acho que precisamos de mais. O que você acha?”

“Sim, por favor.” Júlia assentiu vigorosamente.  “Definitivamente, mais.”

Gabriel pegou o chocolate e o pincel.

“Então é melhor você se segurar, querida, porque eu planejo ser bem minucioso.”

Ela se inclinou, segurando o queixo dele.

“Assim como eu, Professor.”
 


Aguardando...




5 comentários:

  1. Gente do céu!!!Que coisa quennnnnnnnnte!!uuuuuuiii!!Obrigada Vânia,pela tradução!!!Amei!!!:D

    ResponderExcluir
  2. Querendo me matar Vania??? Ainda nem li o primeiro livro e já estou aqui hiperventilando com esta cena!!! Esta trilogia promete... Uiiiii
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  3. Vania qe gostinho de quero mais bjos D.

    ResponderExcluir
  4. Minha querida, de todos os sites que ja consultei sobre este livro que nãoooo aguento de tanta ansiedade para ler só em Julho, quando vai ser lançado, o seu foi o que mais gostei, ainda mais com a cena que você nos deu de presente maravilhosa, to que não aguento pra saber como termina já que só ano que vem sai o ultimo pra nós aqui, bjs.

    ResponderExcluir
  5. Ah, Tuca, valeu o comentário elogioso.
    Também me apaixonei por esta série, apesar de saber que tem várias amigas que o odiaram ahahahahah
    Mas Gabriel é TDB.
    O próximo sai em julho? Bom saber.
    Bjs e apareça sempre por aqui.
    xxx

    ResponderExcluir