terça-feira, 26 de março de 2013

J.R.Ward - Lover at Last (Black Dagger Brotherhood #11)



Ficha técnica: Lover at Last (BDB #11)
Autora: J.R.Ward
Editora NAL
Lançamento original: 2013
Lançamento BR: previsão para 2013
608 páginas

"Qhuinn, filho de ninguém, está acostumado a ser sozinho. Repudiado por sua linhagem, evitado pela aristocracia, ele finalmente encontrou sua identidade como um dos lutadores mais brutais na guerra  contra a Sociedade Lesser. Mas sua vida não está completa. Mesmo que a perspectiva de ter uma família própria esteja ao alcance,  ele se sente vazio por dentro, ao entregar seu coração a outro...

Blay, depois de anos de amor não correspondido, transferiu os sentimentos que tinha por Qhuinn. E já era hora: parece que Qhuinn encontrou o seu par ideal em uma fêmea Escolhida, e eles vão ter um bebê. É difícil para Blay ver o novo casal junto, mas construir sua vida baseada num sonho, é esperar que uma desilusão aconteça. E Qhuinn precisa lidar com alguns problemas sombrios antes que ele possa avançar...

O destino parece ter levado esses soldados vampiros em direções diferentes. Mas como  a corrida da batalha sobre o trono se intensifica, e os novos jogadores na cena de Cadwell criam um perigo mortal para a Irmandade, Qhuin finalmente descobre a verdadeira definição de coragem,  e  dois corações que estão destinados a ficar juntos, tornam-se um."



LITERATURA FANTÁSTICA-ERÓTICA.



SPOILER
SPOILER
SPOILER

O lançamento do livro INFELIZMENTE não foi em nível mundial. Por isso nós, leitoras brasileiras, teremos que esperar mais alguns meses até que nossa versão pinte por aqui.

Entretanto, há aqueles que têm a oportunidade de ler no original em inglês tão logo a versão original foi lançada. Não estamos aqui para nos gabar por isso. Juro que estava torcendo que o lançamento brasileiro fosse simultâneo, porque não tem graça você ler um livro e não ter com quem comentar, não é verdade?
Mas já que isso não ocorreu, vou fazer minha resenha e, desculpe, galera, não tem como não soltar um spoiler aqui ou acolá. Por isso, se você não quer saber absolutamente de nada do livro, pode parar de ler AGORA.

Comecemos...

A CAPA

Bom, eu gostei bastante da capa original. O modelo é um gato. E apesar de não ter a tatuagem da lágrima no rosto, você consegue identificar que ele representa o Qhuinn porque tem cada olho de uma cor.
Pergunta: Por que muitas das capas originais trazem o casal protagonista, mas esta aqui não? Vou dar a explicação que EU acho que ocorreu...
Primeiro, acho que rolou sim um certo receio de colocar dois homens na capa. Para quem acompanha a saga, sabe que este livro traz a história de 2 guerreiros HOMENS que são apaixonados um pelo outro há bastante tempo. Um deles sempre assumiu a paixão, o outro ainda está em sua descoberta. 
A própria Ward em entrevistas antigas admitiu que tinha receio de escrever um livro com a conotação homossexual tão acentuada. Sim, porque sabemos que Vishous e Z tiveram em suas vidas passagens nessa área, mas os dois sempre mostraram suas preferências pelas fêmeas e até arrumaram suas companheiras. Aqui não tem nada disso. São dois homens grandes, fortes, lindos e viris, pronto e acabou.
Depois, quando você ler o livro, vai perceber que a história é totalmente voltada no Qhuinn. Seu passado, o fato de ter sido repudiado por sua família por não ser "perfeito" (leia-se ter um olho de cada cor), até mesmo os empregados de sua casa o evitavam!! Desde o início, no prólogo, a atenção é voltada para ele e sua busca de um lugar ao sol (não exatamente ao sol porque eles não podem sair de dia...). Portanto, nada demais a capa trazer apenas ele e não os dois.

O ENREDO

Lembrando um pouco, no livro anterior Qhuinn salvou o Rei Cego, Wrath, de uma maneira fantástica, perdeu a família para os lessers, acabou por descobrir que era apaixonado por Blay há um bom tempo e perdeu-o porque Blay cansou de esperar e acabou envolvendo-se com o primo de Qhuinn, Saxton. Há também o caso da Escolhida Layla, que foi afetada pelo período de necessidade de No'One/Autumn, e pediu a Qhuinn que se deitasse com ela para que ela engravidasse.

Neste livro Layla realmente está grávida, mas tem o perigo de perder.
Saxton e Blay começam bem no romance, mas o primeiro sabe que Blay continua apaixonado por Qhuinn. E o que é pior: Saxton apaixona-se por Blay, tornando o relacionamento deles insustentável. O jeito então é se separar.
Pelo ato de bravura de Qhuinn ao salvar o Rei, Wrath pede a Saxton, como novo advogado da Irmandade, para pesquisar na Antiga Lei se há alguma forma de transformar Qhuinn em um dos Irmãos. Acontece que pela lei isso só poderia acontecer se você fosse da realeza ou se tivesse nascido por uma das Escolhidas. Apesar de a família de Qhuinn ser rica, ele não se encaixava em nenhuma das duas situações... E neste livro há mais uma situação em que Qhuinn torna-se o herói do dia. Não vou contar como, mas acredite, é espetacular a façanha. 

Quanto aos inimigos, os lessers nem aparecem tanto, mas o Ômega continua aprontando das suas. Pelo que parece há um novo tipo de arma usada pela Sociedade Lesser, que eu chamo de gosmenta. Ela começa a aparecer neste livro, mas acredito que será melhor explorada nos próximos. Isso inclusive, envolve uma parte importante em relação ao próprio Qhuinn. O surgimento de alguém de seu passado...

Além dos lessers, não podemos esquecer que ainda há os Bastardos tentando matar Wrath e usurpar de seu trono. Há várias cenas IMPORTANTES onde eles aparecem. Novas alianças sendo feitas... E também a questão de que Xcor está apaixonado por Layla e descobre que ela está grávida. E vamos e convenhamos, ela também arrasta uma asa por ele.

Uma nova admissão ocorre na casa da Irmandade. Lembram-se dos irmãos Sombras, aqueles que trabalhavam com Revh em sua casa noturna? Pois bem, por uma história paralela com eles, e também por eles sempre apoiarem a Irmandade quando Revh pede sua ajuda, eles vão morar na mansão com os Irmãos. Como um deles, o Trez, se apaixona por uma das Escolhidas que encontra na colônia onde o Primale (Phury) fica com elas e onde Revh se refugia de tempos em tempos, acredito eu que o próximo livro seja sobre eles dois (Trez e Selena). A não ser que a Ward dê um salto no tempo e faça com que o próximo livro seja de Layla e, provavelmente, Xcor. Mas como os guerreiros oficiais da Irmandade já estão todos com seus devidos companheiros, e os Bastardos ainda estão do lado contrário, acho que Trez é uma aposta mais segura. Mas veremos... a titia Ward pode ter uma carta na manga.

Além dessa possibilidade, há também a questão de uma futura gravidez da Rainha (sim, porque apesar da opinião contrária de Wrath, Beth anda aprontando das suas para engravidar). E não esqueçamos que, numa entrevista dada há algum tempo, Ward disse que próxima à gravidez de Beth, Rhage e Mary também teriam um filho (milagre? Adoção? Não sabemos ainda). Isso tudo pode estar bem breve de acontecer (2014 talvez?)...

Aparições raras: Lassiter (fez falta. Adoro o bom humor dele. E mesmo aparecendo pouco, conseguiu irritar V e Butch); Bella, Ehlena, Marisa (reunião do conselho); Xhex (pelo visto ela só ajuda a Irmandade quando pedido, mas não faz parte mais da equipe que sai toda noite a lutar).

Quem não apareceu: Mary, Autumn, Cormia, Virgem Escriba.

O ROMANCE

Esta é a parte mais aguardada, porque acima de ser um romance homossexual, é uma história de amor.
Quem acompanha desde o início, na verdade, nem se lembra - ou se incomoda - que trata-se de dois rapazes amigos, que conheceram-se em sua fase pré-transição, que se apoiaram em várias ocasiões e agora, vivem um amor conturbado.

Há muito Blay sabe o quanto está apaixonado por Qhuinn. Mas Q era um caso complicado. Sua família o desprezara, depois finalmente sua família morreu, ele foi aceito na Irmandade e colocado como "guarda-costas" de John Matthew (uma forma que o Rei encontrou de preservar a vida de Q já que ele havia feito algo errado, mas em defesa de John. E como este é irmão da Rainha Beth, logo ele é da realeza, tendo, portando, direito a uma escolta especial).
Qhuinn era um ótimo lutador e não tinha medo de encarar o perigo. Por isso a sua ousadia na maneira que fez para ajudar o Rei a escapar de uma emboscada e salvar-lhe a vida.
Mas por tudo que havia sofrido na vida, ele ainda carregava uma mácula: não conseguia se livrar da desaprovação de sua família. E mesmo descobrindo-se apaixonado por Blay, e sabendo que o havia perdido para o seu primo almofadinha-advogado Saxton, ele não conseguia se declarar. E depois, quando tentava fazê-lo, havia tantos mal entendidos que ficava difícil falar.

Tem certos momentos que o envolvimento dos dois parece uma grande novela mexicana. Não no mau sentido, mas porque quando tudo parecia que ia se resolver, algo extra acontecia. Bem enervante...

Blay continua sendo aquele cara boa praça, de bom coração, que apesar de sofrer as pitangas por ver Qhuinn e Layla juntos, e mais ainda por ela estar grávida dele, ainda assim ele a ajuda toda vez que é necessário. Um fofo.

Apesar de todo o vai e vem e das confusões no meio do caminho, é de se esperar que tudo se resolva bem. 
Tirando a morte de Wellsie (desnecessária) e o fato de ter matado a companheira de V transformando-a numa fantasma (mais desnecessário ainda!), até hoje, todos os casais na Irmandade terminaram juntos. Portanto, não há porque a gente pensar o contrário aqui.

O final é uma graça, romântico e digo, até surpreendente (vamos descobrir ou talvez comprovar, que apesar do excesso de testosterona presente naquela casa, ninguém é homofóbico e mais ainda, o Rei é um romântico incurável).

Um detalhe a mais: a família de Blay é nota Um Milhão!!

Isso é o basicão.
Espero não ter estragado MUITO a ansiedade de vocês. Dei várias dicas, mas não entreguei todo o ouro.

E para terminar num clima bem alegre, nada como uma musiquinha, não escolhida por mim, mas pela própria tia Ward, de JOURNEY, "Dont Stop Believin' ". E se você achou a escolha dessa música meio GLEE (ahahahahahaah..), dê uma olhada na segunda parte da letra:

NÃO PARE DE ACREDITAR

Estranhos esperando
Subindo e descendo a rua
Suas sombras procurando pela noite
Pessoas paradas nas ruas
Vivendo apenas para encontrar emoção
Se escondendo em algum lugar na noite

Dando duro pra ter o que quero
Todos querem uma emoção
Pagando qualquer coisa para rolar os dados
Só mais uma vez

Alguns ganharão, alguns perderão
Alguns nasceram para cantar blues
Oh, o filme nunca acaba
É assim sem parar sem parar sem parar

Não pare de acreditar
Se prenda naquele sentimento




7 comentários:

  1. Adorei, feito por uma pessoa sensata! hahahaha
    Acabou que as duas achamos um super novelão mexicano, mas do melhor possível! E espero mesmo que o próximo livro seja do Trez o que faria mais sentido. Mas aí vai ser mais um livro destruída pelo sofrimento do Xcor.
    Agora to ansiosa pra saber quem vem!
    E você nem reclamou muito do sacooo que foi aguentar aqueles milhares de capítulos de Sola Morta. Fala sério, sofrível, né?
    Mas foi lindo, valeu a pena. Quero mais Qhuay agora, tia Ward foi má, soltou pouco.

    Bjuux!

    ResponderExcluir
  2. Vc é é uma menina mto má. Como vou conseguir esperar a tradução?
    Eu quero uma overdose de Quinn e Blay mas já vi que isso não acontece no livro.
    Ansiosa.

    ResponderExcluir
  3. Ai!! Adorei a resenha,apesar de ter q esperar o livro ser lançado aqui,vou esperar feliz por ter lido tudo isso!! Ansiosa d+++
    BJSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha! Como sempre você foi ótima!
    Estou no início da leitura, comecei ontem e hoje vou ler mais um pouco.
    Não tenho preconceito, pq torci pelo V. e B. ficarem juntos... Afina história de amor é história de amor e ponto final, não interessa o gênero, hahaha!!!!
    Abraço!
    <3

    ResponderExcluir
  5. Acho que vou ter um troço de tanta ansiedade.
    Adorei a resenha e os spoilers(amo demais, rs)
    Bjus

    ResponderExcluir
  6. o livro finalmente amantes, é lindo.Gente chega a dar um frio na barriga. O amor deles é com um conto de fada.Você não se sente lendo um casal diferente.Mas sim uma historia linda de amor.

    ResponderExcluir