sexta-feira, 17 de maio de 2013

Julia Quinn - O Duque e Eu (Série Família Bridgerton #1)


Ficha técnica: O Duque e Eu (The Duke and I - Bridgerton Series #1)
Autora: Julia Quinn
Editora Arqueiro
Lançamento original: 2000
Lançamento BR: 2013
282 páginas

"Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas.

Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível.

É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga.

A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.

Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida."


ROMANCE HISTÓRICO.

A família Bridgerton é daquelas que não passam desapercebidas por onde passa. A começar que são 8 filhos. Seus nomes foram dados em ordem alfabética: Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth. De todos, apenas a última não conheceu o pai, que faleceu quando a mãe ainda a esperava.
O título de Anthony é Visconde e ele agora é o patriarca da família. Não que sua mãe não tome as decisões da família, Deus sabe o quanto seria difícil calar  Lady Violet Bridgerton. Uma mãe amorosa e presente, que cuida dos seus filhos com mãos de ferro.
Acontece que esta é uma família numerosa e feliz. Daqueles que você gostaria de fazer parte ou, pelo menos, poder ter livre acesso à casa deles...

Bem diferente de como foi a vida de Simon Basset. Filho único, Simon perdeu a mãe já na hora do parto. Muito aguardado pelo pai, em busca de um herdeiro para o seu ducado, ele tornou-se uma decepção quando aos 4 anos ainda não falava, e quando começou a fazê-lo gaguejou tanto que o pai só lamentou e o abandonou aos cuidados da babá.
O relacionamento dele com o pai foi nenhum. E a animosidade entre os dois foi tamanha que, ao descobrir que o pai preferia achá-lo morto, Simon decidiu primeiro que falaria sem gaguejar e seria muito bom em tudo que se dispusesse. E, segundo, não daria nenhum orgulho ao pai.

Os anos se passaram e agora Simon era o Duque de Hastings. Viajou pelo mundo e apenas retornou à Inglaterra após a morte do pai. Depois de passar tanto tempo fora, não estava mais acostumado a muitas das convenções da sociedade. Sequer havia ouvido falar da maior colunista de fofocas da cidade, Lady Whistledown, uma mulher que parecia ter olhos e ouvidos em toda parte e, ao publicar suas fofocas 3 vezes por semana, dava nomes a todas as pessoas de quem falava, sem papas na língua. Inclusive os próprios Bridgerton:

" Os Bridgertons são, de longe, a família mais fértil da alta sociedade. Essa qualidade da viscondessa e do falecido visconde é admirável, embora se possa dizer que suas escolhas de nomes para os filhos sejam bastante infelizes. Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth. É claro que a organização é sempre algo benéfico, mas seria de esperar que pais inteligentes fossem capazes de manter os filhos na linha sem precisar escolher seus nomes em ordem alfabética..."

Uma fofoqueira terrível, mas ninguém deixava de ler sua coluna...

Voltando a Simon, ele agora se via de volta à sua terra natal e tornou-se um alvo para as mães com filhas em idade de debutar. PERIGO!!!! Num único baile ele foi apresentado a mais mães e filhas do que em toda sua vida. Como fugir disso?

Do outro lado do salão, Daphne Bidgerton parecia sofrer de algo parecido, sendo que sua mãe a carregava pelo braço apresentando-a a todos os que ela considerava bons partidos para sua filha. Ambos precisavam de um descanso.

Pensando nisso, eles uniram forças e decidiram fingir estarem se cortejando, assim, as outras mães o considerariam fora do páreo, e, no caso de Daphne, ela teria melhores propostas de casamento do que aquelas que havia recebido até o momento.

Sendo Anthony o melhor amigo de Simon, e conhecendo a reputação do amigo, não aceitou o plano de jeito nenhum, mas teve que ver uma certa lógica no que lhe foi apresentado pelos dois.

Mas o que era para ser uma farsa acabou se transformando em desejo, com direito a duelo no início da manhã num lugar remoto qualquer, e tanto Simon, quanto Daphne, se viram irremediavelmente presos à uma situação que não podiam continuar, mas não queriam fugir...

O que dizer dos Bridgertons, ele são a família mais fofa que tem na sociedade londrina. Numerosos, barulhentos, inteligentes, bonitos e unidos.
Daphne, a mais velha das meninas, tinha sim o sonho de casar e ter muitos filhos. Mas ela definitivamente não queria qualquer um. Depois de ver o quanto seus pais se amavam, um casamento de conveniência não fazia parte dos seus planos.
Já Simon não nutria as mesmas ideias. Com seu passado tão infeliz, ele se prometera jamais satisfazer as aspirações do velho duque. Ele batalhou para ser um ótimo aluno em Eton e Oxford e vencer a gagueira porque era exatamente o que o pai NÃO esperava dele. Mas tornar-se o próximo duque, casar e encher a casa de herdeiros: De jeito algum!!
E mesmo com esse conflito de interesses eles acabaram apaixonados. 

É muito legal de ver a interação entre os irmãos, a forma que os 3 rapazes mais velhos defendem a honra da irmã, a esperteza da mãe deles sabendo como lidar com cada um.
O romance pode parecer meio previsível, afinal, é um romance histórico do tipo felizes para sempre, mas ainda assim, você vai morrer de rir em várias partes, sentir seu coração dar um salto em outras e dar um sorrisinho estúpido em mais outras. Enfim, é um livro para ler, suspirar e pedir bis.

Série 5 ESTRELAS.

A capa, diferente dos modelos do mesmo livro em outros países, seguiu um modelo que está bem na moda, o de duas fotos separadas pelo título. A diagramação está perfeita e o preço sugerido pela editora, perfeito. Em muitos casos, você encontra descontos comprando pelos links de outros sites. A Editora Arqueiro está de parabéns pela iniciativa em trazer romances de época, com uma excelente qualidade editorial.

Ainda sobre o livro, logo no início você encontra uma tabela com os nomes dos filhos, os livros que contam suas histórias e os títulos provisórios de cada um. Devo dizer que os títulos provisórios estão excelentes para mim porque são as traduções dos originais, sem essa de mudar completamente só porque mudou o idioma.
No final do livro tem um pedacinho do próximo, "O Visconde que me Amava", que é a história de Anthony. E a capa do mesmo pode ser vista na contracapa.

Nada a reclamar e tudo a aplaudir. Agora é esperar o lançamento do próximo livro.

Minha outras resenhas das séries de Julia Quinn você encontra nos links abaixo:

Série Agentes da Coroa (Ex-Espiões) >> acesse

Trilogia Splendid >> acesse

Série Bevelstoke >> acesse

Série Quarteto Smyth-Smith >> acesse

Para adquirir o livro:  Submarino  |  Saraiva  |  Travessa


Sobre a autora:


Facebook  |   Goodreads  |   Site  

Nenhum comentário:

Postar um comentário