sexta-feira, 3 de maio de 2013

Katie McGarry - No Limite da Atração (Livro #1)



Ficha técnica: No Limite da Atração (Pushing the Limits #1)
Autora: Katie McGarry
Editora Verus
Lançamento original: 2012
Lançamento BR: 2013
364 páginas


"Ninguém sabe o que aconteceu na noite em que Echo Emerson, uma das garotas mais populares da escola, se transformou em uma “esquisita” cheia de cicatrizes nos braços e alvo preferencial de fofocas. Nem a própria Echo consegue se lembrar de toda a verdade sobre aquela noite terrível. Ela só gostaria que as coisas voltassem ao normal.

Quando Noah Hutchins, o cara lindo e solitário de jaqueta de couro, entra na vida de Echo, com sua atitude durona e sua surpreendente capacidade de compreendê-la, o mundo dela se modifica de maneiras que ela nunca poderia ter imaginado. Supostamente, eles não têm nada em comum. E, com os segredos que ambos escondem, ficar juntos vai se mostrar uma tarefa extremamente complicada.

Ainda assim, é impossível ignorar a atração entre eles. E Echo vai ter de se perguntar até onde é capaz de ir e o que está disposta a arriscar pelo único cara que pode ensiná-la a amar novamente. No limite da atração é um livro sexy e envolvente sobre o amor de duas pessoas que estão perdidas e que juntas tentam desesperadamente se encontrar."




ROMANCE CONTEMPORÂNEO. YOUNG-ADULT.

Intenso. É exatamente assim este livro.
O que se fala por aí é que este livro seria uma nova versão de "Belo Desastre". 
Obviamente ambos têm algo em comum: trazem as histórias de dois casais jovens, que se conhecem enquanto estudantes, cheios de problemas, traumas, segredos, se apaixonam, brigam, desmancham, voltas às boas e querem mais do que tudo ficar juntos. As similaridades param aí.

"No Limite..." , mais do que uma história de amor, é uma história de buscas de respostas, resiliência, família, aceitação entre os amigos, superação. Mas não pense que vem embalado em depressão e cenas que te deixam pra baixo.

Minha curiosidade quanto ao livro foi aguçada pelos vários comentários nas redes sociais. Tirando os faniquitos de algumas meninas, que não podem ver/ouvir falar de um bad boy tatuado, a história realmente convence.
Comecei a leitura meio desconfiada. Seria uma réplica de outro livro famoso lançado pela mesma editora? Mas ao passar algumas paginas já percebi que não. E não deu outra. Li o livro numa tacada só!

Echo e Noah têm uma história trágica cada um. Ela era uma garota popular, pintora, dançarina, bem quista pelos amigos, desaparece por uns dias da escola e quanto retorna não é  mais a mesma pessoa. Quieta e amedrontada, ela passa a vestir-se de forma estranha, sempre escondendo o corpo, em especial os braços. A fofoca que se espalha pela escola é de ela tentou o suicídio.

Noah já traz uma história mais antiga. Após perder seus pais num incêndio que destruiu sua casa, e ter salvo seus irmãos menores, ele foi realocado por várias famílias com guarda provisória sobre ele, separando-o de seus irmãos. Sua fama atual era de  que ele possuía um comportamento desequilibrado para a agressividade. Por anos ele só pensava em conseguir a guarda de seus irmãos e ter sua vida de volta.
Duas almas atormentadas que acabam por se encontrar no final do curso do Ensino Médio através da mesma terapeuta.

Com o passar da leitura você vai entendendo cada lado do problema, suas dificuldades, seus medos. Por isso mesmo eles decidem ajudarem-se.
Com toda essa proximidade era impossível eles não se apaixonarem.
É muito fofo vê-lo descrevendo-a e citando seu cheiro de "canela e creme". 
Ela também se encanta por ele, com seu físico bem definido e sua tatuagem que ia do ombro até as costas, e as sensações que sentia, muito mais do que "borboletas no estômago".

Com isso você já começa a suspirar e querer que o casalzinho fique junto...



Mesmo não sendo um livro depressivo, ele tem algumas cenas fortemente emotivas e, por isso, não deu para segurar...



As visitas vigiadas que Noah fazia a seus irmãos; o desespero de Echo tentando localizar sua mãe e entender o que acontecera; a superproteção de seu pai; os comentários, murmúrios e risinhos que ela aguentava quando ia à escola... Pelo menos três cenas me levaram a ter que enxugar as lágrimas ou eu não ia conseguir ler nada.

O livro não é uma história de amor adolescente pura e simplesmente. O enredo é belo e forte ao mesmo tempo. Não tem sexo explícito, mas encantamento.

A maneira da autora narrar tudo também foi um achado. Escrito na primeira pessoa, a história traz o ponto de vista tanto de Noah, quanto de Echo. Os capítulos trazem a história linear, mas alternando o dono da voz. Assim, a gente não precisa esperar meses até que um outro livro traga a história pelo ponto de vista do outro personagem. Ali mesmo a gente já sabe a profundidade do que cada um sente pelo outro.

A conexão com os personagens é rápida; o ritmo da história não é cansativo por ser diário. Algumas passagens tomam a liberdade de pular alguns dias sem que nada se perca; mesmo sendo um livro com começo, meio e fim para estes personagens, você acaba querendo que eles apareçam nos próximos livros da série.

Um livro para ler, se emocionar e se apaixonar. Mais uma vez a Verus acertou em sua escolha.

Abaixo, a capa da primeira edição, quando lançado no Reino Unido:



Apesar de a autora ter uma playlista no final do livro (pelo menos na edição original em inglês), resolvi colocar como trilha sonora uma música jovem e com letra bem a ver com o jovem casal. Enjoy it.




*Ao som de "What Makes You Beautiful", com One Direction.

2 comentários:

  1. Eu estou doida para ler esse livro... a capa e a sinopse me atraíram muito e depois de ler sua emocionante resenha o desespero bateu por aqui!!!!

    Linda resenha Vaninha!!!

    Maldade com as amigas pobres!!!!

    kkkkkkkkk

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  2. oiiii.. alguem tem esse livro no limite da atração pra me enviar.. Por favor.... vanessa.rando@gmail.com

    ResponderExcluir