sexta-feira, 12 de julho de 2013

Angela Levin - Diana's Baby: Kate, William and the Repair of a Broken Family



Ficha técnica: Diana's Baby - Kate, William and the Repair of a Broken Family
Autora: Angela Levin
Editora emBooks
Lançamento original: maio/2013
Lançamento BR: ainda não
ebook (cerca de 100 páginas)

"Sua Alteza Real o Duque de Cambridge, mais conhecido talvez como o príncipe William de Wale (Gales), tinha toda a vantagem por ser o neto da rainha - a não ser o que ele realmente precisava. Ele foi privado de um ambiente familiar seguro pelos pais que, eles mesmos, nunca tiveram a estabilidade e a proteção que a vida familiar pode trazer. Mas o príncipe William parece agora ter quebrado o ciclo destrutivo da parentalidade disfuncional ao se casar com Kate Middleton, uma garota comum, cuja variação vem justamente por ser da  classe média.

Será que o nascimento de seu primeiro bebê  vai resgatar gerações de infelicidade vivida em privado pela família real?"

BIOGRAFIA. INÉDITO.





(English review scroll down)

Eu diria que não é muito fácil escrever uma biografia sobre alguém que a todo custo quer manter sua vida o mais privada possível.
É claro que sempre há os ex-empregados ou ex-amantes que querem algo ao divulgarem intimidades de pessoas tão discretas, em especial quando essas pessoas fazem parte da realeza. Mas ainda assim muita coisa fica sem uma explicação concreta, partindo para a suposição.

O livro foca a vida de William. O segundo na sucessão do trono inglês.
Notadamente não se poderia falar de William sem citar sua criação, seus pais, e citar Charles e Diana significa voltar no tempo e tentar entender a dinâmica do fracasso de um casamento que, durante algum tempo, foi considerado o casamento do século.

Há muito mais livros publicados contando a história pelo lado de Diana do que de Charles. Além do que ele não concedeu um milhão de entrevistas falando de sua vida pessoal, como Diana o fez, em público e em segredo, colaborando com as chamadas "biografias não autorizadas".
Mas o que se sabe é que nenhum dos dois teve uma infância feliz. Charles por ser filho da Rainha da Inglaterra, uma mulher que colocava seus deveres cívicos e seus cavalos acima dos filhos. Nenhuma demonstração de carinho em público e cobrança de todos os lados.
Diana veio de um lar onde os pais se agrediam verbal e fisicamente, e quando finalmente eles se separaram, a mãe perdeu a guarda dos filhos (3 meninas, contando com Diana, e um garoto) porque a própria avó de Diana testemunhou contra a filha por achar vergonhoso que ela tivesse se separado do marido.

Antes mesmo de casar Diana já desenvolvera o distúrbio da bulimia e escondera de todos por anos. E ainda sofreu de depressão pós parto e mania de perseguição por parte não só da família real, mas de todos.


Quando seu casamento com Charles já não mais funcionava, quando sequer conseguiam ficar no mesmo ambiente, Diana usava o filho mais velho, ainda um adolescente, como seu confidente de sua infelicidade e seus amantes.

Criado super protegido e carregando uma carga maior do que devia, William tinha tudo para se tornar um homem tão frio quanto seu pai, ou talvez um devasso avesso à compromisso.

Mas de uma maneira ou de outra, por uma ou outra influência, ele conseguiu quebrar a maldição. Casou na idade que quis, com a mulher que ele escolheu e agora esperam o nascimento de seu primeiro filho, ou filha, para esta semana.






Sim, talvez ainda se mostre cedo para dizer se eles terão direito ao "felizes para sempre", mas pelo menos, até o momento, o que se vê é que tanto ele, quanto Kate, tentam de todas as formas conciliar a vida pública de um membro da realeza, com as sutilezas da vida de um cidadão comum. Mesmo tendo de obedecer tantos protocolos, volta e meia eles não se envergonham de mostrar em público o quanto eles se querem bem (diferente de outros casais reais da mesma idade deles).

procurando pelo toque das mãos


um olhar


a conversa cúmplice




O livro é curto, procurando pontuar os principais momentos que podem ter influenciado a vida de todos os envolvidos: avós, pais e o casal em questão.
Uma leitura rápida para quem gosta de ler biografias, e uma homenagem, e porque não dizer, aproveitando a oportunidade, ao novo herdeiro que chega.
4 ESTRELAS.



Para adquirir o livro:  Amazon

Sobre a autora: Goodreads

*ARC cedido pela autora através do NetGalley, em busca de uma resenha de opinião honesta.
--------------------------------------------------------------------------------------

(English review)

I dare say it is not easy to write a biography about someone who at all costs want to keep their life as private as possible.
Of course there is always the ex-employees or ex-lovers who want to disclose something as subtle intimacies of people, especially when those people are part of the royalty. But still much remains without a concrete explanation, leaving for the assumption.

The book focuses on William's life. The second in succession to the English throne.
Notably one can not speak without quoting William's raising, his parents, Charles and Diana and quote means going back in time and try to understand the dynamics of the failure of a marriage that, for some time, was considered the wedding of the century.

There are many more books published telling Diana's side of story than Charles's. Besides that he has not given a million interviews talking about his personal life, like Diana did, in public and in secret, collaborating with calls "unauthorized biographies".
But what is known is that neither of them had a happy childhood. Charles being the son of the Queen of England, a woman who put their civic duties and her horses up own children. No display of affection in public and charges from all sides.
Diana came from a home where the parents verbally and physically assaulted, and when they finally divorced, the mother lost custody of the children (3 girls, with Diana, and a boy) because her own grandmother testified against daughter for finding a shame that she had separated from her husband.

Even before marrying, Diana had already developed bulimia disorder and hidden from everyone for years. And still suffered from postpartum depression and mania of persecution by not only the royal family, but everyone.

When her marriage to Charles no longer worked, even when they could not stay in the same room, Diana made the eldest son, a teenager, as her confidant of her misery and her lovers.

Created super protected and carrying a heavier load than it should, William had everything to become a man as cold as his father, or perhaps a scoundrel averse to compromise.

But one way or another, by one or another influence, he managed to break the curse. He married at the age that he wanted with the woman he chose and now await the birth of their first son, or daughter, for this week.

Yes, perhaps even show up early to say whether they are entitled to "happily ever after", but at least so far, what we see is that both he, as Kate, trying in every way to reconcile public as member of royalty, with the subtleties of life of an ordinary citizen. Even having to obey many protocols, time and again they are not ashamed to show in public how much they care to each other (unlike other royal couples of the same age of them): a touch of hands; a look.

The book is short, looking punctuate key moments that may have influenced the lives of all involved: grandparents, parents, and the couple in question.
A quick read for those who enjoy reading biographies, and a tribute, and why not say, seizing the opportunity, the new heir arrives.
4 STARS.

Um comentário: