quinta-feira, 8 de agosto de 2013

MARATONA: Kristen Proby - Play With Me (With me in Seattle Series #3)




Ficha técnica: Play With Me (Book #3)
Autora: Kristen Proby
Editora self
Lançamento original: fevereiro/2013
Lançamento BR: ainda não
298 páginas

"Will Montgomery é um jogador de futebol americano profissional de sucesso, e aparentemente tem tudo na vida. Ele não está acostumado a ouvir um não, e certamente não aceitaria um como resposta. Quando ele joga seu charme sobre a amiga de sua irmã, Megan, uma garota de espírito livre, que não só recusa seus avanços, quanto o trata com uma deliberada hostilidade, sua curiosidade e desejo são atiçados.Ele está disposto a mostrar a ela que não é o atleta arrogante que ela acha que ele é,  e principalmente, a levá-la para sua cama.

Megan McBride não se deixou impressionar nem um pouco por Will Montgomery, com seu contrato milionário, seu carro de luxo e sua personalidade pública arrogante. Ela não tem tempo para um relacionamento, e se aprendeu algo da vida foi que amar significa perder, então ela mantém seu coração guardado a sete chaves. Mas ela não pode negar a atração incrível àquele sexy e tatuado atleta, e quando Will começa a quebrar suas defesas para alcançar-lhe o coração, seria ela capaz de admitir seus sentimentos para ele? Ou será que seu passado conturbado a impedirá de se entregar ao primeiro homem por quem genuinamente se apaixonou?"

ROMANCE CONTEMPORÂNEO. ERÓTICO. INÉDITO.

Megan é uma heroína bem diferente, em relação às outras já mostradas.
Ela teve uma infância e adolescência difíceis. criada e abandonada pela mãe viciada; por ter passado por várias casas de adoção temporárias e ter sido emancipada aos dezesseis para se manter sozinha.
Na primeira casa de adoção, ela encontrou Leo e ele passou a ser o seu anjo da guarda, até que, quando ela já estudava enfermagem, ele conseguiu um contrato para ficar famoso, e ele preferiu deixá-la em Seattle para cada um seguir com sua carreira.
Abandonada pelos pais, e agora pela pessoa que considerava seu irmão de criação, Megan aprendeu que a cada pessoa que ela dizia "eu te amo", era um passo para a separação.

Anos se passaram e agora ela é a chefe do departamento de oncologia infanto-juvenil do hospital de Seattle. Uma profissão com altos e baixos, com perdas e ganhos, que ela aprendeu a administrar bem.
Seu contato com Will se dá através de uma antiga amiga da faculdade, Julianne Montgomery, que por acaso é a irmã caçula de Will. Mas apesar de nunca tê-lo encontrado pessoalmente antes disso, Megan já tem assuntos pendentes com ele, e a opinião sobre ele que ela tem não é nada favorável. E assim eles começam, com o pé esquerdo.

Will, por outro lado, como já visto em outros livros (e resenhas), vem de uma família grande, unida e bem estruturada. Sua carreira como jogador de futebol americano se deu porque ele é bom no que faz, desde a época do colégio. Ele não é deslumbrado com a fama.
E quando ele conhece Megan, na companhia de Jules, fica intrigado porquê ela o trata com tanta hostilidade. Mas ele consegue tirar isso a limpo uma semanas depois, na festa de noivado de Jules e Nate. A partir dali Meg seria presença constante com as amigas Jules e Nat.

Mostrando-se irresistível e atacando no ponto fraco de Meg, seus pacientes no hospital, Will consegue chamar sua atenção e passa a convidá-la para saírem, e daí, o relacionamento começa a tomar forma.


Por ter tido péssimas experiências em encontros anteriores, Meg tem a chamada "regra de 3 encontros", até que o cara tenha a chance de levá-la para cama. Mas acredite, quando finalmente o terceiro encontro é dado como encerrado, esses dois não param de se encontrar entre os lençois...e na cozinha, e no carro, e no banheiro....



E conforme o relacionamento cresce, Will sempre mostra-se carinhoso e receptível aos temores dela. Ele acha graça do quanto ela acha o carro dele sexy, um Shelby Mustang preto...




Ou do fato de que mesmo sabendo o quanto ele é famoso e rico, ela não dá a mínima para o dinheiro dele, e ainda fica chateada quando ele quer comprar-lhe presentes..



A questão é: Megan é uma moça simples, com uma bagagem emocional enorme, com grandes e profundas perdas, fazendo-a ter sérios problemas em confiar facilmente em alguém. Mas é claro que com o passar do tempo ela se sente segura nas mãos de Will, e o fato da família dele ser um clã adorável, ajuda e muito.

Quando tudo parecia estar se desenvolvendo bem, apesar de Meg ainda não conseguir dizer as palavrinhas mágicas para ele, uma surpresa ocorre. A banda de Leo, a Nash, é contratada para tocar no casamento de Jules e Nate, e depois de 3 anos Megan e Leo estão cara a cara. E Will vê seu mundo desmoronar ao perceber que Meg jamais será dele do jeito que ele quer que ela seja. Por isso, talvez seja melhor que eles rompam agora, enquanto a dor ainda será suportável...

Aimeudeusducéu!!! É um drama atrás do outro.
A história é muito legal porque Megan é uma heroína porralouca. Ela amadora seus pacientes do hospital e faz o que pode para animá-los, como por exemplo, convidar pessoas famosas para fazerem uma visitinha a eles.
Os cabelos dela são sua marca registrada, sempre mudando o corte ou a cor, colocando umas mechas doidas aqui e ali. Mais algumas características dela: ela tem uma tatuagem no braço - um trecho de uma música -, não suporta vestir calcinhas e tem um piercing na...Oops!! Isso deixa Will completamente louco.

Ela é uma pessoa que se mostra forte, independente, porque foi isso que a vida fez dela, mas no íntimo ela precisa sim de alguém que às vezes cuide dela.
Sua paixão pela música, por cantar, ficou adormecida pelos anos com a partida de Leo, mas no casamento de Jules, isso volta, já que a amiga pede à ela que cante a música do casal.

E por falar no casamento de Jules e Nate (meu casal favorito até agora!!!), foi tudo tão fofo.
A descrição da decoração, o clima entre os convidados, até o vestido dela era lindo, bem fashionista, estilo grego...



O livro também é recheado por capítulos com POV dos dois.
Cenas marcantes? Bom, a cena HOT entre eles top de linha é aquela em que eles brigam por conta do reaparecimento da mãe inútil de Megan, e ela sai do carro dele debaixo de chuva e ele vai atrás dela, a segura e...pimba! Ali na rua, debaixo de chuva. Uau!!!!

Agora, a cena mais hilariante é quando as meninas fazem a despedida de solteira de Jules. Nada de strippers, apenas um encontro entre as mulheres num bar para beberem. O ponto é: elas BEBEM! Sem noção. E os irmãos de Jules, Caleb e Matt são os responsáveis em irem buscá-las e as levarem para casa. Até aí tudo bem. O negócio é o papo delas no carro. ORGASMOS!!!! Não, você não tem noção do hilário que é aquele bando de mulher falando em pênis, vaginas, transas e apadravyas com todas as palavras chulas existentes, com aqueles dois caras ali, no banco da frente. E Jules tentando passar um torpedo para Nate pedindo a ele para ter orgasmos quando chegasse em casa, mas ela não consegue soletrar algumas palavras. Dá para imaginar que palavras eram essas... Definitivamente as mulheres dessa série têm sérios problemas com bebida...

Dicas para os próximos livros:

* O aparecimento de Leo e sua quedinha por Samantha, irmã de Luke, mostrando que serão o casal da vez;
* Caleb e Brynna continuam naquela troca de olhares, que todos na família já repararam, mas ninguém comenta nada. E ele não gosta nada quando fica sabendo que um carinha dançou com ela na noite da bebedeira delas;
* Matt me parece um personagem que vai impressionar.  É o policial, caladão, não bebe, mas admitiu que tem preferência por transa um pouco mais ousada. OMG!!! Quando será o livro dele? Aff...segundo o blog da autora o livro de Matt será o 6, TIED WITH ME. Ui!! Que nome sugestivo ("amarrada comigo")!!!

Como sempre, Kristen escreve um romance leve, com muitas cenas HOT e engraçado na medida certa.
Este também traz uma playlist embutida na história, sendo que algumas músicas citadas são imaginárias, de autoria de Megan com Leo:

Playlist Play With Me:

1) Carly Rae - Call me Maybe (preferência das meninas. Gostar dessa música é quase uma "lei", segundo Brynna)
2) Switchfoot - I Dare You to Move (tatuagem de Megan)
3) Harry Connick Jr. - It Had to be You
4) Christina Perri - A Thousand Years
5) Jason Mraz - I Won't Give Up (música do casamento de Jules e Nate)
6) Train - Marry Me

E novamente eu, dando meu pitaco na trilha sonora, já que a resenha é minha e eu escolho o que eu quiser (rsrsrsr), lembro dessa música abaixo quando leio a fala de Megan. O estilo calmo, voz e violão, me faz lembrar da personagem.

"Toda vez que eu te vejo
Eu me coloco de joelhos e rezo
Esperando por aquele momento final
Em que você diz as palavras que não tenho coragem de dizer..." 





Próximo livro: o rockeiro Leo Nash e a editora (desempregada) Samantha Williams.


*Ao som de "Everytime I see You", com Donna Lewis
**Para ver mais gravuras citações (quotes) do livro visite meu álbum no PINTEREST 

Nenhum comentário:

Postar um comentário