terça-feira, 26 de novembro de 2013

Andrea Bahia - Waterland: Perseguindo Sonhos (Livro #1)



Ficha técnica: Waterland - Perseguindo Sonhos (livro #1)
Autora: Andrea Bahia
Editora Tribo das Letras
Lançamento: 22/novembro/2013
370 páginas
Ebook


"O que fazer quando parte de sua memória foi apagada misteriosamente de sua mente? Quando dois anos de sua vida são um total mistério? Quando duas vidas se misturam em sonhos e realidades? Quando você passa a questionar sua própria sanidade? Seguir em frente é a única opção existente... 
Anna é uma garota normal: jovem, bonita e confusa. Sua vida poderia ser perfeita se não fosse pelas dúvidas que abalam sua mente e o mistério que assombra o seu passado. 
Numa tentativa de redescobrir a si mesma, ela embarca para o outro lado do mundo, Austrália, deixando para trás o conhecido e buscando as respostas tão desejadas. O que ela não esperava era que essa nova vida traria não apenas respostas, e sim mais perguntas a serem respondidas, mais emoções a serem vividas e um amor que resistiria a barreira do inexplicável..."

ROMANCE CONTEMPORÂNEO. LITERATURA FANTÁSTICA. LANÇAMENTO. NACIONAL.

Depois de tanta água em volta de mim, como estou me sentindo...



'Bora desatar esses nós e entender a história.
Escrito na primeira pessoa, pelo ponto de vista da mocinha, Anna Clara Oceânides. Linda, rica, bem nascida, 22 anos, formada em Filosofia e agora vivendo do outro lado do mundo, na Austrália, pronta para recomeçar, estudando Psicologia. Mas recomeçar o quê?
Bom, quando criança, Anna e o pai sofreram um acidente quando passavam a noite fora velejando. Infelizmente seu pai morreu, e ela ficou dois anos desaparecida. 
Ao retornar para casa, apesar de fisicamente ela encontrar-se bem, foi constatado que ela estava com uma espécie de amnésia. Ela não conseguia se lembrar o que havia ocorrido ou onde tinha estado durante aquele período. Por um longo tempo ela fez tratamento psiquiátrico e aprendeu a lidar com os estranhos sonhos que tinha.
A princípio ela achava que esses sonhos eram reais, lembranças de algo ocorrido, mas o que ela relatava era fantástico demais para ser real. Com isso, ela chegou à conclusão de que sua mente havia criado um "mundo paralelo", algo que a ajudasse a superar a morte de seu pai e trazer algum conforto.
Anos mais tarde sua mãe foi diagnosticada com câncer, e acabou falecendo. Mesmo ainda tendo seu avô materno como família, ela sentia-se tão desamparada que preferiu mudar os ares, fazer algo que já havia planejado, mas postergado. E assim, ela parte para Sidney.
Lá, tentando levar uma vida mais simples, diferente do luxo e riqueza acostumada a viver junto de sua mãe e avô, ela faz novas amizades, participa de festas, caminhadas...



Blue Mountain - Australia

Como ela sempre sentiu-se conectada ao mar - em especial porque a riqueza de sua família provinha dos recursos tirados de lá, ela retoma suas aulas de natação no Parque Aquático da faculdade, e lá ela se depara com o time de pólo, e dentre os participantes, um chama sua atenção.
Nereu Marinho, louro, olhos verdes, alto, com um físico de chamar atenção e um sorriso que a cativou de imediato.

 

Mais do que somente por sua beleza, Anna sentiu uma espécie de conexão com ele, mas não havia como explicar, haja vista eles nunca terem se encontrado antes.
Só que uma coincidência a fez ficar com o cabelo em pé: Nereu possuía uma marca de nascença em forma de concha no ombro, da mesma forma e lugar que Anna. Seriam eles parentes? Antes de morrer, seu pai havia mencionado algo sobre a Austrália.... Teria seu pai algum familiar vivendo lá? Seria Nereu seu primo? Ou pior, seu meio irmão?
Eles passam a se conhecer através de amigos em comum e as dúvidas começam a ser esclarecidas, mas, ao mesmo tempo, novos questionamentos surgem.
Anna descobre que seus sonhos desde que voltara do alto mar não eram meras equações mentais de seu dia a dia, mas sim uma espécie de viagem astral onde ela podia se comunicar com pessoas que faziam parte de sua infância. 
Waterland era o nome da cidade onde ela ficara naqueles 2 anos desaparecida. Seus cidadãos conhecidos como os Guardiões dos Mares e da Água Doce, eram responsáveis pelo monitoramento e equilíbrio dos mares e sua influência na vida terrestre, assim como o relacionamento daquele com o homem.
O casal Glauco e Tétis que haviam acolhido-na na época do naufrágio; Dóris, sua melhor amiga, não eram frutos de sua imaginação, mas pessoas reais. E Nereu também fazia parte desse grupo. Mas por alguma estranha razão, ela não conseguia se lembrar de já ter conhecido todos eles antes, ou até mesmo de que ela e Nereu eram mais do que amigos.
Em busca de respostas, Anna e Nereu seguem pistas, visitam locais, tentam de todas as formas resgatar as memórias dela. E esbarram num inimigo perigoso e poderoso que pode não só acabar com o relacionamento amoroso entre ela e Nereu, como até mesmo fazer Anna arrepender-se de ter suas lembranças de volta...

Terceiro lançamento da editora Tribo dos Livros num pequeno espaço de tempo (dois anteriores já resenhados), "WATERLAND" é um romance moderno, com pitadas de sobrenatural e uma mergulhada na lenda de Atlântida.
Desde seu acidente em alto mar, Anna sentia-se uma pessoa diferente. Talvez fossem os seus sonhos reais demais, talvez a sua falta de memória, mas fosse o que fosse, isso a tornava diferente, e com isso, ela não tinha muitos amigos da idade dela.
Como filha e neta única ela recebia todas as atenções, mas seu mundo começou a ficar de cabeça para baixo a partir da morte de seu pai e anos depois, de sua mãe.
Os sonhos que a acompanhavam foram encaixados em sua rotina e com o passar do tempo eles não mais assustavam, mas eram a melhor companhia que ela tinha ao longo do dia. Eles só vinham à noite, e ela os chamou de Comunidade das águas.
Pode imaginar a loucura que foi ao descobrir que seus sonhos eram reais, que ela fazia parte de uma comunidade com certos poderes - apesar de ainda serem humanos - e que seu futuro nessa comunidade já estava mais do que traçado.
Tentando recuperar um pouco da sanidade que ainda lhe restava, ela passa a evitar Nereu; como se a presença dele fosse a principal razão de ela estar perdendo o controle de uma vida "normal". Até que ele a encosta na parede e a traz de volta à razão:

"Se você não quiser dormir, eu fico acordado com você, por quantas noites aguentarmos. Mas não se afaste. Você é minha, Anna. Sempre foi e sempre será."

O relacionamento dela com Nereu, mesmo antes de ela recuperar totalmente a memória, vai crescendo e mesmo sem ela lembrar como eles eram antes, uma coisa ela tinha certeza: o sentimento entre eles era forte. Ela queria solidificar a relação, entregar-se a ele, mas ele se recusava a aceitar daquela forma:

"Eu não quero só o agora, minha linda... Eu quero o sempre..." 

E ele manteve essa posição até que finalmente ela recuperasse a memória e eles passassem não só a conviver enquanto acordados, na faculdade ou outros ambientes em comum, mas também nos sonhos, quando ambos visitavam Waterland...

"Um suspiro de frustração soa, quando a distância se faz. Eu sorrio, assoprando um beijo. Ele captura o beijo com a mão e leva ao peito."

Nessas visitas à cidade, enquanto ela ainda tentava encaixar todos os pedaços de sua antiga vida, muitas vezes ao se deparar com uma informação forte demais, ela fugia.


E confesso, isso me enervou mais vezes do que eu gostaria...


Para completar o quadro, em meio a tantas lacunas existentes, Anna passa a ser perseguida por uns homens encapuzados. E agora? Quem eram eles e o que queriam com ela?


Antigas perguntas respondidas, novas sendo formuladas. Ao longo dessa busca, Anna vê-se em meio ao fogo cruzado de duas civilizações irmãs e inimigas, ressentidas por privilégios de força maior. E exatamente ela pode ser a chave para terminar com séculos de guerra, ou a isca perfeita para a vitória de um dos dois lados.



Minhas Impressões:
Apesar de não ser um livro tão grosso, pelo padrão que costumo ler, "Waterland", para mim, pareceu maior do que de fato é.
Ao mesmo tempo em que o romance entre Anna e Nereu cresce e o mistério a respeito de seu passado, sua amnésia e seu futuro despertam o interesse, há trechos em que me senti numa verdadeira montanha-russa de emoções.
Anna é uma heroína doce e inteligente. No início, por todas as suas perdas e essa questão memórias X sonhos, é natural que ela se encontre fragilizada e insegura em alguma situações. Mas conforme a história se desenrola, e ela passa a descobrir suas origens e tudo que isso implica, achei que demorou um tantinho para que a "ficha dela caísse" e ela passasse a juntar as peças do quebra-cabeça.
Nereu insistindo que só ficariam juntos depois que ela recuperasse completamente a memória e as fugas dela, também me tiraram do sério algumas vezes.
De modo geral, o enredo moderno com fundo de literatura fantástica, é muito bom. Os personagens são cativantes, mesmo os secundários - amigos da faculdade e da cidade marinha. Achei Tétis uma personagem forte e de suma importância à trama.
O ritmo da história foi lento até que ela começasse a lembrar de seu passado; a partir daí, ficou mais dinâmico e satisfatório.
Pontos Positivos: gostei das explicações dadas da metade do livro em diante. Os pontos principais foram respondidos: o que era Waterland; qual o papel de cada personagem que Anna via em seus sonhos; qual o seu papel na cidade; quem eram os homens encapuzados; porquê ela teve amnésia e qual foi o gatilho que a fez recordar de tudo.
A personagem principal, apesar de eu não ter sentido conexão com ela, desenvolveu-se a olhos vistos perante o leitor. A princípio frágil, depois, determinada a descobrir as respostas, até chegar à mulher corajosa que sabe que pode fazer a diferença. Isso deu todo o charme à história, já deixando um bom "gancho" para o próximo livro.
Esse primeiro livro não considero que tenha terminado em cliffhanger, mesmo sabendo que a aventura de Anna continua num segundo volume. Na verdade, no próximo, respostas a outras perguntas virão, e ela deverá saber como agir.
Ponto Negativo: o enredo é interessantíssimo, em especial para pessoas que gostam de ler sobre lendas - no caso aqui uma clara referência às lendas do mar - e aquelas que acreditam que os sonhos são muito mais do que pensamos. Mas no caso de Waterland, achei que a história demorou a engrenar. Ao mesmo tempo em que eu estava morta de curiosidade de descobrir as respostas às mesmas perguntas que Anna buscava saber, eu às vezes queria dar uma sacudida em alguém do livro (personagens variados) para ver se algo acontecia de uma vez. Somente quando as memórias afloram que tudo flui melhor, sem enrolação.
Enfim, o livro tem romance, aventura, mistério, um pouco de ficção científica e lendas milenares. Tudo isso faz de Waterland um livro interessante a ser explorado. 
Sua leitura definitivamente não é rápida. Há detalhes que precisam de atenção, principalmente por se tratar de uma série (há necessidade de uma parte da história não cair em contradição com outra). Mas nota-se que a autora procurou não deixar o leitor no vácuo neste primeiro volume da obra. As aventuras de Anna prometem fortes emoções a seguir. 
E durante a leitura, o leitor nota a influência da música, assim como da água, na história. A autora criou uma playlist nota 10:
  • Broken - Seether   ft. Amy Lee
  • You and Me - Lifehouse
  • Just Breath - Pearl Jam
  • Don't You Remember - Adele
  • Lullaby  Nickelback
  • Equalize - Pitty
  • Duality - Slipknot
  • Just Give me a Reason - P!ink & Nate Ruess
  • Saber Voar - Chimarrutz
  • A Lua que eu te dei - Ivete Sangalo

4 estrelas.

Para adquirir: AMAZON

Sobre a autora

Nenhum comentário:

Postar um comentário