domingo, 1 de dezembro de 2013

Veronica Roth - Insurgente (Divergente #2)



Ficha técnica: Insurgente (Insurgent)
Autora: Veronica Roth
Editora Rocco 
Lançamento original: 2012
Lançamento BR: 2013
511 páginas

"Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor."


ROMANCE CONTEMPORÂNEO. DRAMA. SUSPENSE. YOUNG-ADULT.



Fica absolutamente impossível falar sobre o livro #2 sem dar spoilers. Dá para perceber até pela sinopse disponível acima... Este livro começa exatamente na cena em que parou no livro anterior. Portanto, continue a ler por sua conta e risco...





A guerra começou.
Uma guerra contra todos os divergentes.
Beatrice/Tris descobre que ela não é a única com esta característica. Na verdade muitas pessoas a seu redor escondem esse mesmo segredo. Alguns há bastante tempo.

O que todos eles precisam descobrir é porquê os divergentes estão sendo caçados.

Jeanine Matthews mostra-se ser a vilã, mas confiança aqui é uma coisa que não se pode ter de forma desmedida. De uma hora para outra quem você menos espera pode ser um espião para a facção dos Eruditos.

Um outro ponto também crucial é que oficialmente há cinco facções (ver resenha do livro #1), mas há uma sexta denominada "sem facção", e esta agora é a mais poderosa.
Composta por pessoas que foram sendo descartadas por suas facções ao longo dos anos, ela é composta pelos sem teto, os mendigos, os velhos. Antes, os Abnegados os alimentavam e vestiam pelo ato de caridade que faziam. Apenas os Abnegados importavam-se com eles. Mas os anos passaram e agora eles são numerosos e compostos por pessoas de todas as facções. Isso significa que entre eles há quem saiba pensar (Eruditos) e quem saiba lutar (Audácia). E o exército deles agora é maior...

Mesmo havendo mais divergentes do que Beatrice supunha, ela continua sendo o alvo preferido de Jeanine, porque o seu teste mostrou que ela poderia escolher entre até 3 facções, quando o número máximo de outros divergentes é 2.

Há uma série de baixas nesse livro; personagens que antes se destacaram.

E chegou o tempo de cada um deles decidir de que lado ficará. Ninguém será poupado. Mais do que divergentes, eles agora serão Insurgentes. E precisam descobrir que segredo Jeanine não quer deixar que eles saibam...

Eu disse na resenha anterior que o livro era viciante. Não consegui parar de ler. Uma pena que o livro 3 só sairá em 2014. Espero que saia ainda no primeiro trimestre.

O livro continua seguindo a linha aventura dramática. Os altos e baixos da história são muitos. Os segredos são revelados a todo instante, e mortes são inevitáveis. Algumas bem dramáticas mesmo.

Tris às vezes se torna um pouco chata. A personagem é forte, encara seus medos, mas algumas atitudes - talvez por conta da idade - são desnecessárias. Como Quatro diz para ela numa das cenas, ela se torna viciada em adrenalina.

O romance deles cresce, mas, ao mesmo tempo, fica abalado. Quatro tenta entender porquê ela age de determinada forma, parecendo bem mais que não se importa em morrer, mas ele está muito apaixonado para deixar que ela faça uma bobagem maior.

O ponto focal do livro é um segredo que está por trás do porquê Jeanine persegue os divergentes. A princípio o motivo fica sendo que, como eles não são manipuláveis, é praticamente impossível fazê-los serem obedientes às normas sem questionamentos. Mas o assassinato em massa dos divergentes é mais do que isso. Poucas pessoas conhecem esse segredo. Os pais de Tris e Caleb sabiam; o pai de Quatro, Marcus, sabe; Jeanine sabe e até o final do livro, todos os moradores das facções descobrirão.

Considero a "bomba" maior não o segredo em si, mas QUEM o revela. Isso sim se torna interessante e um excelente gancho para o livro 3.

O que tem me fascinado nessa trilogia é a forma de escrita da autora: sem pedantismo, sem palavras rebuscadas, o entendimento é imediato, as explicações são boas, e pasmem, não precisa ser erótico para prender a atenção do leitor. Uma distopia plena da palavra, que mostra o âmago do ser humano, e do que ele é capaz de fazer para manipular ou para sobreviver. 

Escolha de que lado você está.


Sobre a autora:


Nenhum comentário:

Postar um comentário