quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Maggie Stiefvater - Os Garotos Corvos (A Saga dos Corvos #1)


Ficha técnica: Os Garotos Corvos (The Raven Boys)
Autora: Maggie Stiefvater
Editora Verus
Lançamento original: 2012
Lançamento BR: 2013
376 páginas


"Todo ano, na véspera do Dia de São Marcos,­ Blue Sargent vai com sua mãe clarividente até uma igreja abandonada para ver os espíritos daqueles que vão morrer em breve. Blue nunca consegue vê-los — até este ano, quando um garoto emerge da escuridão e fala diretamente com ela.

Seu nome é Gansey, e ela logo descobre que ele é um estudante rico da Academia Aglionby, a escola particular da cidade. Mas Blue se impôs uma regra: ficar longe dos garotos da Aglionby. Conhecidos como garotos corvos, eles só podem significar encrenca.
Gansey tem tudo — dinheiro, boa aparência, amigos leais —, mas deseja muito mais. Ele está em uma missão com outros três garotos corvos: Adam, o aluno pobre que se ressente de toda a riqueza ao seu redor; Ronan, a alma perturbada que varia da raiva ao desespero; e Noah, o observador taciturno, que percebe muitas coisas, mas fala pouco.

Desde que se entende por gente, as médiuns da família dizem a Blue que, se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morrerá. Mas ela não acredita no amor, por isso nunca pensou que isso seria um problema. Agora, conforme sua vida se torna cada vez mais ligada ao estranho mundo dos garotos corvos, ela não tem mais tanta certeza."

ROMANCE CONTEMPORÂNEO. YOUNG-ADULT. SUSPENSE. SOBRENATURAL.


A sinopse dá ênfase a dois jovens, Blue e Gansey. Mas na verdade são 5 em pé de igualdade de importância.

O que são Garotos Corvos? São os alunos da escola para meninos Aglionby, que tem como símbolo em seus uniformes o corvo. Os alunos dessa escola provêm das grandes famílias, os milionários, filhos de políticos, pop stars ou de alguma amante para manter o filho "fora do radar".

À primeira vista Gansey parece ser o líder. Vindo de uma família ainda intacta (quer dizer, não divorciada), ele é extremamente rico, e isso ajuda a ele não morar no campus da escola, mas num prédio pertencente à família.
Com ele vivem seus amigos Ronan Lynch, também de família rica, mas com um histórico mais sombrio. Seu pai fora morto e ele encontrou o corpo. Desde então sua mãe nunca mais falou e ele e seu irmão, Declan, vivem às turras. Ronan é inteligente e leal, mas seus segredos sombrios o fazem importar-se com nada mais. A não ser com seus amigos e a pesquisa de Gansey.
Tem ainda Adam, de família pobre, que mora numa comunidade de casas populares que antes eram uma área para trailers. Ele estuda em Aglionby graças a uma bolsa. Seu pai é abusivo e o espanca de tempos em tempos; o que irrita sobremaneira os seus amigos e Gansey vive convidando-o a ir morar com eles.
E ainda há Noah, o calado e misterioso Noah.

A pesquisa: A cidade de Henrietta, onde tudo acontece, tem uma grande energia magnética chamada "linha ley". Segundo a lenda - e pelos estudos de Gansey tudo era verdade -, se você conseguisse "despertar" o poder da linha, você teria como encontrar o espectro de Glendower. Isso daria o poder de pedir o que quisesse e seria realizado. Para isso, um certo tipo de ritual deveria ser feito. Mas toda essa busca já durava meses. Gansey tinha um diário abarrotado de anotações com as pesquisas, mas tudo ainda parecia confuso.

Como Blue entra na jogada: Blue vivia numa casa no mínimo peculiar. Sua mãe Maura e suas amigas Persephone e Calla eram médiuns. Recebiam pessoas em suas casas para lerem a sorte e seus futuros. Todos os anos, na véspera do dia de São Marcos - 24 de abril - Blue e sua mãe iam até a igreja para ver os futuros mortos daquele ano. Seus espíritos apareciam para a mãe dela e Blue, tomava notas de seus nomes.
Blue não conseguia vê-los ou ouvi-los, mas ela possuía um poder diferente: ela potencializava qualquer outro poder à sua volta.

Mas neste ano algo diferente aconteceu. Blue pela primeira vez viu o espírito de um rapaz, e pela roupa dele ela pôde identificá-lo como um dos garotos corvos. Ao perguntar seu nome ele o disse...

Normalmente a mãe de Blue entrava em contato com os "futuros mortos" para avisá-los de seu destino e para que colocassem a vida em ordem. No caso de Blue isso nem precisou ser feito, porque o destino fez com que Gansey procurasse as médiuns em busca de informações. A partir daí seus destinos estavam selados.

Mais do que vê-lo entre os espíritos e saber seu nome, só duas razões fariam com que Blue conseguisse vê-lo: ou por ser sua alma gêmea, ou por ser seu executor.

Começando... O livro me foi indicado por uma amiga. Que não o leu ainda. Nunca tinha ouvido falar na autora e para mim foi uma grata surpresa.

O estilo é jovem-adulto, mas ela não escreve para jovens-adultos retardados. Você precisa realmente prestar atenção à narrativa se quiser costurar a história. 
Os personagens são complexos. Sim, tive conexão com eles, mas em alguns momentos também tive raiva.

O livro tem 376 páginas, mas se você for como eu, que dá até as 100 primeiras páginas para ver se a história engrena, ESQUEÇA!!! A ação mesmo só começa lá pela página 170.

A família de Blue é atípica, claro. E o diálogo dela com a mãe é difícil porque nada é explicado. Os porquês são deixados pela metade como se tudo fosse um grande mistério. Na verdade, a Maura esconde de Blue muitas coisas, a começar por quem foi seu pai.

A história começa a tomar forma quando Blue se junta aos meninos na caçada da linha ley. Nem preciso dizer que, por causa do dom dela, ela potencializa qualquer ação sobrenatural que os rodeia e a busca começa a tomar forma.

Enquanto isso, há as histórias paralelas das famílias dos rapazes e são explicados os motivos de cada um estar à caça para ter o seu pedido atendido.
Mas também há suspense. Não somente sobre a busca deles, mas porque anos antes outras pessoas tentaram o mesmo e não deu certo, terminando num assassinato.

Depois que o livro engrena, você não consegue mais largar.
O bom é que, mesmo sendo uma série, ele não termina em cliffhanger, mas há um gancho para o livro 2, que terá seu foco em Ronan, e numa certa capacidade dele - preste atenção em exatamente a ÚLTIMA LINHA DO LIVRO -  BOMBA!!!


esta é a capa americana do livro #2


Apesar de a história tomar forma bem mais a frente, o ritmo é bom.
Pontos positivos: o texto da autora é inteligente. A editora fez um ótimo trabalho de tradução e revisão. As perguntas levantadas são respondidas paulatinamente e as não respondidas, esperamos nos próximos. O romance ficou meio dividido... Por conta da "maldição" envolvendo Blue e seu verdadeiro amor, o nome citado é um, mas dá a impressão que a princípio ela se apaixona por outro, mas tudo segue o curso que deve ser.
Ponto negativo: aceito que a família de Blue é totalmente fora dos padrões. Mulheres médiuns, solteiras, misteriosas. Mas achei que tinha mistério demais no meio. Muita coisa mal explicada, tudo muito etéreo. Vamos ver se isso a autora esclarece nos próximos livros.

E mesmo eu estando um tanto avessa a séries, esta acabou tornando-se interessante.
Tem magia, tem drama, tem suspense, tem romance casto, tem bons diálogos.
Vale a pena ficar de olho.
Como não conheço a autora, espero que ela não seja do tipo que mata seus protagonistas (isso está virando uma modinha irritante!!!).
Não sei a previsão da editora para o lançamento do livro #2.

4,5 estrelas.

Sobre a autora


 Website  |  Goodreads  |  twitter  |  Facebook

Um comentário:

  1. Bom, já ia ler mesmo, mas agora é pra ontem, rsrs. Gostei de ter somente esse ponto negativo, confio na avaliação ;)
    A trilogia dela de Calafrio é linda, vale a pena vc ler um dia!
    Obrigada pela resenha, bjs.

    ResponderExcluir