sábado, 19 de julho de 2014

Kristen Proby - Breathe With Me (With me in Seattle #7)



Ficha técnica: Breathe with me
Autora: Kristen Proby
Editora self
Lançamento original: 23/junho/2014
Lançamento BR: ainda não
280 páginas

"Às vezes você encontra a pessoa certa na hora errada ... 

Mark Williams amou Meredith desde que ele tinha dezessete anos. Um homem de sucesso com uma família forte, ele trabalhou duro para vencer essa fase de coração partido por tantos anos. Quando seu caminho cruza novamente  com a única mulher que ele já amou, Mark sabe que não há nada que ele não vá fazer para mantê-la em sua vida. Mas quando as coisas ficam difíceis, será que Meredith vai ficar ou ele vai perdê-la de novo? 

... Mas o verdadeiro amor tem uma maneira de achar o seu caminho de volta. 

Meredith Summers é uma dançarina. Uma das primeiras coisas que aprendeu sobre seguir seus sonhos é que o timing é tudo. Ela passou os últimos dez anos fazendo turnês de sonhos com mega-estrelas, enquanto tentava esquecer o namorado da escola que ela deixou para trás. Agora, ela está de volta em Seattle, abriu um estúdio de dança de sucesso com o seu melhor amigo Jax e está determinada a seguir em frente, deixando para trás seu passado cigano. Até o dia em que ela vê Mark Williams e o tempo para. É como se o tempo não tivesse passado quando Meredith encontra-se nos braços de Mark novamente. A química, as ligações e o amor são tão fortes como nunca e ouvir Mark sussurrar 'respira comigo' em seu ouvido é um bálsamo para a alma ferida. Mas será que ela vai agarrar esta segunda chance no amor, ou é o momento errado para eles de novo?"




ROMANCE CONTEMPORÂNEO. ERÓTICO. LANÇAMENTO. NEW ADULT.

Respira comigo...
Desde que começaram a namorar aos dezessete anos e tiveram sua primeira noite de amor, Mark tornou-se a rocha de salvação de Meredith. Quando ela ficava ansiosa e parecia entrar num estado de pânico, eram essas palavras dele que a acalmavam.

Eles se conheceram na escola, foram ao baile juntos, descobriram o sexo pela primeira vez mutuamente. Mas além de amar Mark, Meredith também amava a dança. Ela não conseguia se imaginar fazendo outra coisa desde que aprendera a andar. E quando uma chance de ir para NY estudar surgiu, logo após a formatura do Ensino Médio, ela não pensou duas vezes.

A princípio Mark ia com ela, mas praticamente no dia da partida ela terminou com ele.
Sua rotina como estudante de dança seria por demais exaustiva e a presença de Mark poderia acabar fazendo com que eles se desentendessem. Melhor terminar antes.

Mark Williams apaixonou-se por Meredith desde a primeira vez que a viu na escola. Aquele ano em que finalmente viraram namorados foi o ano de ouro, e agora eles iriam para NY. Nunca que Mark pediria a Meredith para desistir dos sonhos dela.
Foi um choque chegar à porta da casa dela e ser dispensado ali mesmo. Ele pensou que nunca se recuperaria.

Dez anos se passam e agora Mark trabalha na empresa de construção de Isaac, o Montgomery mais velho, com sua própria equipe.
Mark era um garanhão. Muitas mulheres, nenhum compromisso. Formou-se cientista, mas cansou da vida de laboratório e preferia trabalhar com algo que lhe desse mais flexibilidade de horário e que permitisse ficar perto de sua família, seus pais, Lucy e Neil, e seus irmãos mais velhos Sam e Luke, o ex-astro de Hollywood.

A família Williams, que já era bem unida, acabou juntando-se aos Montgomeries, através do casamento de Luke e Natalie. As reuniões com todos eles sempre eram motivos de muita bagunça e gargalhadas.

Fazia um ano que Meredith havia voltado para Seattle porque sua mãe estava doente, com câncer. Ela e seu amigo Jax, abriram um estúdio de dança para crianças e jovens, e no final daquele ano sua mãe perdeu a batalha para a doença.
Os Williams foram ao funeral e foi lá o reencontro de Mark e Meredith.

O retorno deles foi rápido e natural, mas pelo tempo em que ficaram afastados, resolveram que iriam se conhecer novamente. Muita coisa muda em dez anos...

Quando tudo parecia estar se encaixando, um acidente de carro põe em risco tudo o que eles já haviam conseguido, e mais uma vez Meredith não conseguiria ficar ao lado do homem que amava...

Fonte: Goodreads


A dançarina e o construtor. Amor de adolescência. A dor da perda.

Mark e Meredith têm uma daquelas histórias de amor que simplesmente estava destinada a acontecer.
Apesar da separação - e nenhum dos dois conseguiu esquecer um ao outro -, eles continuaram sentindo aquela forte atração. Sim, eles tiveram outros parceiros, mas nenhum que tivesse marcado.

Mark vinha de uma família super bem estruturada: os pais casados há muitos anos e ainda carinhosos em seu relacionamento; sua irmã mais velha Sam, não era casada, mas tinha um relacionamento estável com o músico Nash; e seu outro irmão Luke, estava há anos casado com Natalie, feliz, e já com um casal de filhos, Olivia (Livie) e o pequeno Keaton.
Isso sem contar a convivência com os numerosos, barulhentos e festeiros Montgomeries. Todos devidamente amarrados e alguns com filhos.

Vejamos se consigo lembrar da trupe: tem Isaac (o construtor) casado com Stace (a blogueria), com um casal de filhos, Sophie e Liam. Caleb (ex-SEAL) casado com a prima de Stace, Brynna (secretária de Isaac na empresa de construção). Brynna trouxe as gêmeas Maddie e Josie de seu primeiro casamento, e agora eles tinham o pequeno Michael, com apenas um mês. Will (o jogador de futebol americano) estava de casamento marcado com Meg (a enfermeira) depois de anos morando juntos. Matt (o detetive) namorava há pouco tempo Nic (a cake designer), mas tudo levava a crer que também logo juntariam as escovas de dentes. E Jules, a caçula da família (empresária junto com seu marido), e Nate tinham Stella.
Ainda havia o mais novo Montgomery, Dominic, fruto de um relacionamento extraconjugal do patriarca da família num período em que ele e a esposa estiveram separados. 
Quando todo esse povo se juntava - e eles adoravam inventar motivos para isso -, havia diversão, companherismo, cumplicidade e amor no ar. Como não ser afetado por isso?

O que poderia ser uma paixão de adolescente, para Mark era algo mais profundo e ele realmente sentiu-se destroçado quando Mer o dispensou. O jeito foi focar nos estudos e manter a mente ocupada.

Já Meredith veio de uma família com tragédias. Aos treze anos ela perdeu seu pai e sua irmã caçula num acidente de carro, ficando apenas ela, a mãe e a dança. Agora, sua mãe havia partido. Para ela abrir mão de Mark foi a coisa mais difícil que já havia feito, mas seus motivos eram racionais.
Encontrando-o no funeral de sua mãe, ela não pensou duas vezes em jogar-se nos braços dele e chorar mais essa perda.
Disso para voltarem a se encontrar foi um pulo, e logo ela também estava no meio de toda aquela família doida. Mas ela queria ir com calma; aproveitar a chance de se redescobrirem, focar em seu novo estúdio e, acima de tudo, tentar manter o coração a salvo.



Fracasso imediato!
E como todo homem de uma dessas duas famílias, Mark não conseguia tirar as mãos de Mer...


O casal parecia que estava indo bem, com a confirmação de que ainda sentiam algo muito forte um pelo outro, e isso logo resultaria em algo mais sério. Mas claro! Tem que ter o drama! E no caso de Mer, o drama veio acompanhado de uma baita crise de pânico.
Mark ia deixá-la fugir de novo? Mas nem pensar!!



Entre o que acontece para fazê-la entrar em pânico e como ele a convence a não desistir deles, eu não vou contar. Mas digo que nesse ínterim, ao longo da leitura, você passa por todo tipo de sentimentos.

Cena épica: a mulherada bêbada. Essas mulheres sabem se divertir. Quando bebem, o assunto preferido delas é: ORGASMO!!! E agora elas ainda têm a companhia de Jax, o amigo gay de Mer. Que tal umas perguntinhas escabrosas sobre como os gays se relacionam?
A cena de choro: um momento de recordação de Meredith.
As cenas "aaawwwwww": essas tem aos montes na história: com as crianças, o tratamento romântico dos casais e o pedido final. Esse povo aqui sabe causar.

O ritmo da história é ótimo.
Os personagens, mesmo os que aparecem a partir deste livro, são envolventes e dinâmicos.
As cenas hot continuam hot e maravilhosas.
Confesso que antes da metade do livro, quando vi que o casal já estava indo tão bem no relacionamento, sem nenhum "drama queen", pensei que acabaria sendo tedioso. Mas acabou me surpreendendo. Talvez exatamente porque não esperava muito dele.

Eu particularmente gostei mais desta história, mais simples e normal, do que dos dois livros anteriores, de Caleb e Matt.

5 ESTRELAS.

Agora, é me preparar psicologicamente porque o próximo livro, com a história de Dominic e, creio eu, a cerimonialista Alecia, será o último da série (previsão de lançamento para setembro/2014).




*Para ler as resenhas anteriores, digite o nome da autora em PESQUISAR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário