sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Semana Editora Arqueiro: Scott Lynch - As Mentiras de Locke Lamora (Nobres Vigaristas #1)


Ficha técnica: As mentiras de Locke Lamora (The Lies of Locke Lamora)
Autor Scott Lynch
Editora Arqueiro
Lançamento original: 2006
Lançamento BR:  2014
464 páginas

"O Espinho é uma figura lendária: um espadachim imbatível, um especialista em roubos vultosos, um fantasma que atravessa paredes. Metade da excêntrica cidade de Camorr acredita que ele seja um defensor dos pobres, enquanto o restante o considera apenas uma invencionice ridícula.

Franzino, azarado no amor e sem nenhuma habilidade com a espada, Locke Lamora é o homem por trás do fabuloso Espinho, cujas façanhas alcançaram uma fama indesejada. Ele de fato rouba dos ricos (de quem mais valeria a pena roubar?), mas os pobres não veem nem a cor do dinheiro conquistado com os golpes, que vai todo para os bolsos de Locke e de seus comparsas: os Nobres Vigaristas.

O único lar do astuto grupo é o submundo da antiquíssima Camorr, que começa a ser assolado por um misterioso assassino com poder de superar até mesmo o Espinho. Matando líderes de gangues, ele instaura uma guerra clandestina e ameaça mergulhar a cidade em um banho de sangue. Preso em uma armadilha sinistra, Locke e seus amigos terão sua lealdade e inteligência testadas ao máximo e precisarão lutar para sobreviver."

Romance Histórico. Drama. Aventura.

Confesso, um livro difícil para ser rotulado. É um romance histórico, passando pela fantasia, com uma pitada de steampunk (acho que só eu vi dessa forma, mas tudo bem) e com romance de leve.

Começando pelo protagonista, Locke Lamora é uma figura!! No bom sentido da palavra. Ele surpreende. É ágil no que faz - roubar -, tremendamente esperto (o livro começa quando ele ainda é uma criança, mas sua habilidade de "mãos rápidas" já o havia colocado em apuros) e sua inteligência - não só para os golpes - é superior aos demais.

A cidade de Camorr tem uma aparência bem daquelas que vemos em filmes medievais, os muito ricos desprezando os muito pobres. Estes, por sua vez, precisam fazer o seu melhor para sobreviverem.
Locke não rouba dos pobres.

O interessante ao longo da leitura é que o leitor sabe exatamente quem é o protagonista. Ele não é um herói e nem tenta sê-lo, mas à medida em que a trama se desenrola e ele se vê envolvido num jogo de vida ou morte, onde sua fama de o Espírito é desafiada por um assassino sanguinário, ele automaticamente passa a exercer um papel que lhe é imposto pelas circunstâncias.

Para quem está acostumado a ler romances de época, eu diria que o espírito deste livro aqui é totalmente diferente, mesmo ele sendo ambientado na época passada. Por isso, talvez, ele tenha me lembrado tanto o estilo steampunk, no qual o enredo e os diálogos são tão importantes quanto a descrição das cenas. E neste ponto o autor foi mestre, ao detalhar suas cenas sem torná-las tediosas.

"Locke Lamora" é um livro a ser degustado com calma, como uma boa bebida cara.
Abaixo as capas estrangeiras:





A sequência do livro, MARES DE SANGUE (capa abaixo).



5 ESTRELAS!!

Sobre o autor




Um comentário:

  1. Nossa, parece encantador, mas eu não conhecia o termo Steampunk.
    Gostaria de saber mais sobre isso Vânia.
    Dá uma passadinha no meu blog quando puder: Sexo, Fraldas e Rock'n Roll
    Bjs ***

    ResponderExcluir