quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Semana Nacional: Andréa Titericz - Mansion Rouge: O primeiro amor é sempre agridoce



Ficha técnica: Mansion Rouge: o primeiro amor é sempre agridoce
Autora: Andréa Titericz
Editora Literata
Lançamento: 2014
186 páginas

"A vida de Anna Moore sempre fora muito pragmática, a objetividade e eficiência eram as únicas coisas que importavam. Nada poderia abalar o mundo totalmente estruturado de Anna Moore, nada, exceto Jorge Rimes. 

Jorge Rimes era o problema na vida de Anna, mas um homem como este é um problema na vida de qualquer mulher que o cerque. Arrogante, inteligente e acima de tudo extremamente sexy, desestruturar corações era uma hobby do qual Jorge muito se orgulhava até que Anna abalou o seu mundo. 

Anna e Jorge viviam vidas com caminhos totalmente distintos até que um casamento frustrado, o despertar sexual, Mansion Rouge e um ninho de mentiras os colocam mais próximos do que poderiam imaginar. 
Entretanto um obstáculo surgiu que eles não esperavam... O amor! 
E este sentimento desconhecido tirou a sanidade da fria e objetiva Anna e derrubou o cinismo do descarado Jorge, perturbando suas vidas e sendo posto a prova pelo sabor amargo de traumas, segredos e mentiras. 
Será que a doce paixão que os consumia, seria suficiente para vencer todas as barreiras? Uma relação conturbada com emoções a flor da pele... Nada muito doce, muito menos azedo, simplesmente agridoce."





Martini ou Tequila? Qual bebida combina mais com você? Ou, será que você já parou para pensar que há uma bebida que combina mais com sua personalidade?




Ok, o livro não se trata de bebidas, mas de escolhas; de desejos reprimidos; de sempre tomar a melhor decisão; de fazer uma loucura pura e simplesmente...

Anna Moore é a menina que decide não chorar mais. Quando criança viu seu pai mudar o jeito de ser depois que a esposa saiu para comprar leite e nunca mais voltou. Sozinho, ele precisou dar conta de criar sua única filha, até que conseguiu um emprego de mordomo na casa de Richard Oshan, que pegou a menina como afilhada.
A partir do dia em que chorara tudo que pôde pela mãe desaparecida, Anna decidiu ser a melhor que pudesse em tudo que fizesse e que não se apegaria a ninguém.
Ela estudou e trabalhou, desde os 14 anos, no setor de correspondência da empresa do padrinho. Não recebeu nada de mão beijada. Cada departamento que ela galgou na rede de hotéis Kingston foi por mérito próprio. Graduou-se em Ciências Econômicas em Oxford, e agora ocupava o cargo de diretora executiva.

Anna era bela e elegante, mas estava sempre no modus operantis executiva eficiente. Seu noivo, Alan, também trabalhava na empresa e estavam com o casamento a poucos dias de ser realizado. 
Tudo parecia estar indo muito bem, até que chegou o abusado, irônico, charmoso e lindo brasileiro e diretor de marketing e relações públicas, Jorge Rimes. Ah! E por acaso Jorge era enteado do padrinho de Anna. Este havia se casado há pouco tempo com uma brasileira, Cecilia, pessoa a qual Anna logo se simpatizou.
Mas para Anna houve dois problemas nessa apresentação: primeiro, ela havia conhecido Jorge antes, no bar do hotel, enquanto esperava pelo seu noivo, que acabou não aparecendo. Ela bebia um martini e Jorge havia se aproximado e dito que aquela bebida não combinava com ela, e lhe ofereceu outra. O segundo problema era que desde o primeiro instante, ela sentira uma atração arrasadora por ele, mas, 1) ela era noiva, e 2) ele era um galinha!!

"- Agridoce.
- Como? - Anna questionou.
- Seu gloss doce junto com o limão, o licor e a tequila, deixaram-na com um gosto irresístivel. Agridoce."

Dizer que a convivência dos dois no mesmo andar era um tormento seria pouco, e lógico, Jorge não deixava barato e a irritava constantemente, chamando-a de "Anninha".

Anna casou, mas o casamento não durou mais que um mês, quando ela recebeu uma mensagem anônima com o video de seu marido traçando a secretária dela. Despediu a secretária E o marido.

Angustiada pela vida monótona e metódica que tinha, Anna deixou-se levar pelas sugestões de sua nova secretária, Marla, e ela foi apresentada à Mansion Rouge, uma casa de prazeres bem discreta no coração de Londres. Lá, usando uma máscara que poderia ocultar-lhe toda a face, Anna teria a liberdade de observar e vivencar suas mais secretas fantasias e sentir-se viva pela primeira vez na vida.
E numa (in)feliz coincidência, em sua primeira noite na Mansion Rouge, Anna se depara com Jorge como um dos frequentadores. E o melhor, com a máscara, ele não a reconheceu. Por que, então, não vivenciar suas fantasias com ele já que era com ele que ela fantasiava nos últimos tempos?


Uepaaaaa! Que o negócio ficou bom!!

Anna sentiu-se livre finalmente e próxima a uma pessoa que nunca imaginara ser capaz. Mas isso não poderia sair das quatro paredes da Mansion. Isso queria dizer que Jorge nunca poderia saber que "Sharon" e Anna eram a mesma pessoa. Hummm...Será que daria certo?

E por questões de trabalho, os dois precisaram viajar juntos para descobrir um caso de roubo em um dos hotéis da rede; e foi quando tudo mudou...

Dá para mais ou menos imaginar o que vai acontecer com o casal. Por outro lado, a autora traz algumas nuances interessantes à vida de Anna, como por exemplo, como sua vida muda a partir desse roubo na Escócia.
Anna é mostrada como alguém pragmática, mas toda sua vida havia sido moldada pelo abandono da mãe; seu relacionamento com Alan, seu ex-marido, sempre fora morno, controlado; todo seu foco era em ser a melhor no trabalho não por uma questão de competição, mas porque ela não saberia fazer diferente. É quando Jorge surge em sua vida - e a Mansion Rouge, e Sharon - que ela passa a compreender quem era a verdadeira Anna Moore. E toda essa transformação se passa em frente aos olhos do leitor.

A capa é linda.
Os personagens são interessantes.
O ritmo é bom.
Pontos positivos: é sexy, e apesar do tema, não achei erótico demais. Sem cliffhanger.
Ponto negativo: erros de revisão, mas nada tão grave que atrapalhe a narrativa.

Gostei bastante da história, ficando grudada nela até terminá-la bem rápido.
A autora além de linda, é fofa, e amadorei conhecê-la na bienal de SP.



4,5 ESTRELAS!!

Sobre a autora




2 comentários:

  1. Adorei a resenha !
    Adoro a Andréa, linda, simpática e talentosa!

    ResponderExcluir
  2. Onde encontro esse livro ebook? Nao consigui encontrar no google play, nem em outro lugar :(

    ResponderExcluir