sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Semana Nacional: Babi A. Sette - Entre o Amor e o Silêncio



Ficha técnica: Entre o Amor e o Silêncio
Autora: Babi A. Sette
Editora Novo Século - Talentos da Literatura Brasileira
Lançamento: 2014
527 páginas

"Francesca Wiggs sofreu uma grande decepção amorosa e, desde então, está decidida a não se relacionar mais. Além de se dedicar a escrever o seu livro, ela resolve preencher os dias com um trabalho voluntário – a leitura para pacientes em coma proporcionaria para ela a distância para problemas com o coração.

No entanto, um grande imprevisto ocorre quando ela passa a se sentir atraída pelo paciente. Mitchell, descrito como um poderoso magnata, seria a antítese de tudo o que ela busca em um homem... se não estivesse em coma. 

Precisar de alguém inconsciente seria um absurdo, não seria? Amar uma pessoa que nunca responde parece loucura! Francesca já havia entendido e sentia-se quase segura diante disso. Mas, e se Mitchell acordasse?

A aproximação desses personagens tão diferentes revela um romance encantador e divertido, repleto de reviravoltas. Entre a vida e a morte, a ilusão e a realidade, o amor pode ser realmente o milagre que faz tudo mudar?"



ROMANCE CONTEMPORÂNEO. DRAMA.

Francesca era uma garota com talento para criar histórias e enterrar as pessoas dentro de si.
Desde muito nova ela aprendeu que a "falta" fazia parte de sua vida.
Seu pai saiu de sua vida quando era ainda muito pequena. Não porque tivesse morrido, mas porque decidira que uma família não estava em seus planos. Mesmo quando ela tentou localizá-lo anos à frente, ele sempre dava um jeito de escapar.
Então ela cresceu com sua mãe e avó materna na pequena cidade de Rutland, em Vermont.
Aprendeu a contar suas histórias às estrelas e esperar que elas dessem o veridicto se suas histórias eram boas.

Formou-se em Letras e dividia um apartamento com a amiga Olivia (Lilly).
Trabalhava como revisora de livros, fazendo seu próprio horário, e escrevia um livro.
Adorava morar em NY e tinha uma relação especial com a cidade desde sempre:

"Ela era incapaz de se cansar de Nova York e a cidade não se cansava dela.
Quando criança colecionava cartões-postais. Depois, um pouco mais velha, todos os filmes rodados tendo a cidade como fundo. Via e revia Manhattan, Breakfast at Tiffany's, Friends, Sex and the City, Descalços no Parque. Colecionava, como uma delicada relíquia." (pag 62)


Estudou teatro para vencer a timidez, e era boa em atuar. E foi lá que conheceu Vince, um famoso diretor de teatro que a envolveu em sua paixão e luxúria e por 3 anos viveram um tórrido romance. Tudo se encaminhava para o casamento quando Francesca sofreu sua segunda decepção masculina: deu o flagra em seu quase noivo transando com uma aluna de teatro novata, no mesmo esquema de sedução que ele usara com ela.

Para preencher mais seu tempo e não pensar na traição de Vince, Francie decidiu dedicar seu tempo num trabalho voluntário. Ficou sabendo de um novo programa num hospital local no qual voluntários liam para pacientes em coma, e se inscreveu. Logo ela foi selecionada e chamada para conhecer o paciente, Mitchell Petrucci.

Mitchell nasceu em berço esplêndido. Estudou nos melhores colégios, viajou para toda parte do globo, praticava - e era bom - todo tipo de esportes. Formou-se em Economia em Harvard e hoje era presidente da John Petrucci Group & Co. Ele foi criado para isso e era o melhor. Melhor que seu pai.
Além disso, ele tinha uma aparência de tirar o fôlego.
Com mais de 30 anos e dono de um patrimônio de bilhões, ele era sempre visto acompanhado por beldades. Não havia mulher no mundo que não caísse de amores por aquele homem lindo e inalcançável.

Mas esse homem enigmático e sexy comprou um novo brinquedo: um Lamborghini Reventón Roadster




Só que essa beleza acabou se envolvendo numa colisão séria e Mitchell foi parar no hospital. Em coma. Por meses.


Francie passou a ler para Mitchell duas vezes por semana o seu próprio livro. Era um romance contado na forma de cartas. Um personagem que recebera de sua mãe, quando ela estava próxima de sua morte, um baú. Nele continha cartas de desconhecidos contando um pouco de suas vidas e sempre com um tema em comum: a falta.
Esse filho ignorou o apelo da mãe em ler as cartas logo, lembrando-se do baú apenas quando ele mesmo estava morrendo, doente, trinta anos depois.
As cartas traziam histórias tocantes, de amor e perdas.

A cada dia Francie lia e reparava que apesar de toda fama e dinheiro, Mitchell nunca recebia visitas.Por mais que ela estivesse ali prestando um serviço para ajudá-LO, ela se sentia ajudada de alguma forma. E seu tempo ao lado dele aumentou...


"Li algumas coisas sobre percepção extrassensorial. Se existir tal coisa e o que sinto quando estou com ele é que deve haver algo... Quando há sintonia entre as pessoas , esses corpos se expandem, se conectam e trocam energia. Quando estou com ele, é tão forte que tenho certeza de que isso é real..." (pag 84)

E ela se apaixonou por um homem em coma!!

Meses se passaram e esse sentimento só fez aumentar ao ponto de fazer mal. Francie afastou-se por uns tempos e nesse período, quase por um milagre, quando uma situação judicial estava prestes a explodir, Mitchell sai do coma.

Feliz e esperançosa - sabe-sa lá do que - Francie vai até o quarto dele para se apresentar, e a recepção não poderia ter sido mais fria. Claro, Mitchell não a conhecia, não poderia se lembrar dela, e pela terceira vez Francie tem seu coração massacrado por um homem.

O tempo passa e uma situação inusitada (sem spoiler!!) faz com que Mitchell se reconecte com ela. Ele precisa descobrir tudo que diz respeito a essa mulher, principalmente porque através dela ele volta a se ligar num talento há muito esquecido (uma parte linda e triste da sua vida).

A partir desse reencontro deles, todo o romance em si começa a acontecer. Eles ainda precisam se conhecer, têm alguns embates, mas depois de tanto tempo de silêncio, o amor entre eles se mostra e ocupa um lugar que antes era preenchido pela "falta".


Quero dizer que depois de muito tempo sem ler livros da Novo Século, por motivos de um trabalho de baixa qualidade, principalmente com autores nacionais, parabenizo à equipe por este livro.
A capa é lindíssima, a revisão, impecável. O tamanho do livro é um pouco menor do padrão, mas a qualidade dessa Coleção Talentos da Literatura Nacional tem tudo para despontar. Parabéns!!

A história é linda. Na verdade é um grande romance, mas a autora procurou não se focar nisso. Ela disserta sobre as várias passagens nas vidas dos personagens para que o leitor possa ter a plena percepção do por que eles se tornaram quem são.
A escrita é em terceira pessoa, o que dá mais mobilidade à trama.

O final é delicado e as partes em que um sério empresário se torna romântico são de fazer suspirar.

Pontos positivos: a narrativa é muito bem escrita. A autora tem um ótimo vocabulário e fez o dever de casa ao transmitir informações sobre locais e atividades comerciais/econômicas.
Ponto negativo: esta mesma narrativa torna, em muitos pontos do livro, a leitura mais carregada. Em vários momentos eu me senti lendo um clássico shakespeariano.
Entenda, o romance dela é maravilhoso e o leitor se sente compelido a querer saber o final da história. Entretanto, nos tempos modernos em que vivemos, uma leitura dessa toma um pouco mais de tempo do que o habitual. Se você é do tipo que lê naturalmente devagar ou poucos livros por ano, vai amar. Mas se por diversas razões, você lê uma quantidade maior de livros e não consegue passar muito tempo numa mesma leitura, já aviso que VALE A PENA LER, mas você deve lê-lo mais devagar. Uma bebida encorpada, que deve ser saboreada.

5 ESTRELAS.

Sobre a autora


Facebook  |  SKOOB  |  Twitter

*Foto da autora: JP Fotografia & Eventos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário