sábado, 22 de novembro de 2014

Semana Nacional: A. J. Ventura - Maior que Tudo (In Love in NY #1)



Ficha técnica: Maior que Tudo
Autora: A. J. Ventura
Editora self
Lançamento: 21/outubro/2014
261 páginas

"Aos 26 anos, a sonhadora e romântica professora Anna já desistiu do príncipe encantado. Apaixonada por musicais da Broadway, vive através do teatro as emoções que acha que nunca terá na vida real. Sem se sentir atraente fisicamente, passa os dias entre o teatro e os alunos, sem nunca ter experimentado o arrebatamento de uma paixão. Tudo muda ao conhecer o misterioso Joel. De uma beleza estonteante e com a sensualidade à flor da pele, ele tem o poder de tirar Anna da concha e mostrar que ela pode ter mais a ensinar do que imagina. 

Conhecer um homem como Joel, muda a forma como Anna encara a vida, os homens e a si mesma. Ele não oferecia nada além de prazer, mas seria possível que ele visse além da aparência física e se interessasse de verdade por ela? Devia acreditar? Devia pular do precipício que era o relacionamento meramente sexual que ele propunha? Anna sentia que bastava que ele a tocasse para que toda decisão fosse a favor dele.... Estava perdida!"


ROMANCE CONTEMPORÂNEO. ERÓTICO.

O sonho de ser bem sucedida na terra do Tio Sam fazia parte da vida de Anna Severini. Uma carioca que amava a família que morava em Vila Izabel, torcia para o Flamengo, guardava cada centavo que podia na perspectiva de abrir um negócio com a amiga Pat, sua amiga desde a época da faculdade de Letras, pela UFRJ.
Anna tinha 26 anos, olhos e cabelos castanhos, um sorriso solto, bom humor (mas não de manhã cedo, por favor!) e uns quilinhos a mais, o que a classificava como plus size. Sua grande paixão era assistir os musicais da Broadway, e quando foi a NY pela primeira vez com o irmão Carlos, decidiu que era ali que queria viver.

Numa de suas noites de ir ao teatro, ao correr para chegar a tempo de assistir a última apresentação de um determinado ator, Anna teve a vida mudada por dois fatores: primeiro, quando um homem lindo lhe pediu uma informação, depois, quando esqueceu seu celular no teatro e acabou tendo-o devolvido exatamente por aquele pedaço de mau caminho.

Mas Anna não se enganava. Mulheres como ela não faziam o tipo que fizessem os homens virar a cabeça para darem mais uma olhadinha. Ela era comum demais e, mesmo não tendo problema quanto ao seu peso, ela sabia que as estilos bonecas faziam mais sucesso. Ela encaixava-se exatamente na letra de uma das canções da peça "Wicked": "Não deseje, nem comece. Desejar só machuca o coração... Ele é o cara, mas eu não sou a garota." (veja o video com a letra completa AQUI )
Então, imagine sua surpresa quando O cara reapareceu e mostrou um certo interesse nela!
Digo "certo" porque desde o início ele deixou claro: amigos, mas sem comprometimento.

Joel Williams, 32 anos, advogado, trabalhando em plena Wall Street, lindo, alto, olhos claros. Ele sim era o tipo de homem do qual as mulheres viravam a cabeça, deixavam bilhetinhos com seus números de tel e caprichavam no rebolado.

Eles saem à primeira vez e surpresa!!! Anna tinha um segredinho guardado desde seu nascimento. À primeira vista Joel ficou surpreso, mas depois, aceitou o desafio. Afinal, qual cara não gosta de saber que foi o primeiro? E a partir desse primeiro final de semana deles, as noites de Anna nunca mais foram as mesmas.

O acordo que eles tinham era: sem cobranças, sem relacionamento sério, o primeiro que quisesse sair fora poderia. Mas claro, Anna era  a mais inexperiente, e Joel mostrava-se o príncipe em armadura prateada que toda garota gostaria de encontrar. Ele era carinhoso, atencioso, bem humorado e parecia não se importar com o fato de Anna não ter o corpo esquelético das super modelos.
Por outro lado, ele mantinha sua vida pessoal num total mistério. Ela sabia pouco dele. Sabia que trabalhava na Wall Street, mas não em que prédio; o primeiro encontro havia sido numa casa de praia - que na certa havia sido decorada por alguma mulher; os encontros em sua maioria eram na casa DELA; ela tinha o número do cel dele, mas ela sabia que ele tinha um outro aparelho; quando ele viajava, supostamente a trabalho, na volta estava sempre com um humor do cão e nunca tocava no assunto. Eram segredos demais. Mas ela preferia manter assim a perdê-lo.

Até que ela encontrou uma fotografia. Papai, mamãe, filhinho. Todos felizes e sorridentes. E Anna descobre que seu príncipe encantado havia acabado de transformar-se em sapo.
Uma coisa era ele ter segredos, outra bem diferente era ele ter uma família. E Anna decidiu que a história deles acabava ali.

Determinada a seguir em frente, Anna dá uma chance a um colega de trabalho, Roger; um cara lindo, que tinha o mesmo interesse por teatro que ela, e estava afim dela há 1 ano.  Ele não era Joel, muito menos a fazia se sentir como o ex, mas quem disse que a vida era justa? Com certeza Roger também era lindo e não tinha vergonha de andar com ela de mãos dadas por aí. E quando tudo poderia seguir um novo rumo, Joel reaparece, mais magro e barbudo, tomando satisfações ao vê-la aos beijos com Roger.

Com qual dos dois ficar? Com o cara que a fazia esquecer de tudo por ter a cabeça nas nuvens, mas que escondia sua verdadeira identidade, escondendo-a do resto do mundo? Ou o cara legal, que não a excitava tanto assim, mas garantiria um romance pé no chão?

Façam suas apostas!!



Maior que Tudo é um romance caliente moderno, que traz uma protagonista comum, com neuras e complexos como muitas garotas da atualidade. 
Estou acima do peso; sou comum demais; coisas boas acontecem com pessoas à minha volta, nunca comigo... Quem nunca?
Mesmo quando sua melhor amiga teimava em dizer-lhe o quão especial ela era... Ora! Melhores amigas são exatamente para isso! Isso não conta.
Por outro lado, também como toda mulher, na mesma proporção que consegue se colocar para baixo, de repente, encontra uma maneira de elevar o astral, com uma simples troca de roupa e um gloss poderoso:

"Ana saiu do banho determinada a agir normalmente e dar a Joel o que ele queria. Assim que chegou ao quarto, vestiu uma bermuda caqui e uma blusa branca com uma caveira colorida feita de flores. Adorava aquela blusa e se sentia bem com ela.  Soltou os cabelos e passou um brilho nos lábios." 

Mas quando ela estava com Joel, mesmo não havendo juras de amor, ela sentia-se bem. ELE a fazia se sentir especial pela forma com que a tratava, como a olhava, como notava os detalhes do que ela gostava ou de como agia. Porém, com tantos segredos entre eles, mesmo se apaixonando, não havia como continuar a vê-lo.

Os personagens são interessantes, trazendo dilemas bem conhecidos dos leitores. Anna tem umas tiradas engraçadas quando fala consigo mesma.
O livro é escrito na terceira pessoa.
O ritmo é bom, sem pressa, com alguns pulos temporais.
A história tem começo, meio e fim. 
O romance deles é intenso, com muitas cenas para lá de hot. Talvez a primeira vez, o primeiro beijo, tenha acontecido cedo demais, mas nos livros atuais tem sido assim mesmo...
Acredito que o ponto alto, além do próprio romance, seja o grande segredo que Joel carrega, o porquê de todo aquele mistério e todas aquelas viagens.

Talvez em alguns momentos da história a trama caia no "lugar comum", mas ainda é um romance com seu HEA para fazer as românticas de plantão suspirarem, e acreditarem que até as "mais normais" têm direito a seu final feliz.

4 estrelas.

E apesar da primeira música da protagonista ser bonita, mas de letra triste, que tal terminar uma grande história de amor com uma trilha mais otimista, e que tenha tudo a ver com a cidade que ela tanto ama? Depois da Estátua da Liberdade e do Empire States, um dos maiores símbolos da cidade são os taxis amarelos...



Sobre a autora




*Ao som de "I'm not that Girl", musical WICKED.
"Big Yellow Taxi", com Counting Crows.

Em 14/03/2015 - Mudança de capa na 2° edição do livro:



Nenhum comentário:

Postar um comentário