quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Semana Nacional: Marina Carvalho - Simplesmente Ana



Ficha técnica: Simplesmente Ana
Autora: Marina Carvalho
Editora Novo Conceito
Lançamento: 2013
304 páginas


"Imagine que você descobre que seu pai é um rei. 
Isso mesmo, um rei de verdade em um país no sudeste da Europa. E o rei quer levá-la com ele para assumir seu verdadeiro lugar de herdeira e futura rainha… 

Foi o que aconteceu com Ana. Pega de surpresa pela informação de sua origem real, Ana agora vai ter que decidir entre ficar no Brasil ou mudar-se para Krósvia e viver em um país distante tendo como companhia somente o pai, os criados e o insuportável Alex. 

Mudar-se para Krósvia pode ser tentador — deve ser ótimo viver em um lugar como aquele e, quem sabe, vir a tornar-se rainha —, mas ela sabe que não pode contar com o pai o tempo todo, afinal ele é um rei bastante ocupado. E sabe também que Alex, o rapaz que é praticamente seu tutor em Krósvia, não fará nenhuma gentileza para que ela se sinta melhor naquele país estrangeiro. A não ser… A não ser que Alex não seja esta pessoa tão irascível e que príncipes encantados existam. Simplesmente Ana é assim: um livro divertido, capaz de nos fazer sonhar, mas que — ao mesmo tempo — nos lembra das provas que temos que passar para chegar à vida adulta."


ROMANCE CONTEMPORÂNEO. YOUNG-ADULT.

Não há como não comparar a história de Marina Carvalho com a de Meg Cabot, vamos começar dizendo logo isso.
Mas ao invés de ficarmos repisando o que tem de igual, que tal olharmos o que tem de diferente?

Ana é uma jovem que já está fazendo faculdade de Direito, pela PUC de Belo Horizonte.
Tem uma mãe que trabalha com eventos, especificamente na área culinária, e é tão famosa e bem recomendada que já começa o livro se apresentando no programa da Ana Maria Braga.
Seus avós maternos não são tão parados assim, em especial sua avó, que tem um fôlego de gata, e é viciada em se exercitar.

Como uma jovem moderna, Ana está em dia com as principais redes sociais. Então, imagine sua surpresa ao entrar em seu Facebook e se deparar com uma mensagem de um homem desconhecido dizendo: "Acho que sou o seu pai"?!

Curiosa, ela foi encontrar esse estranho e a história que ele conta a ela não bate com a que ouviu a vida inteira, de sua mãe. Melhor solução? Acariação. E ao chegar na empresa da mãe com o estranho a tiracolo, Ana pôde confirmar que sua mãe havia mentido esse tempo todo.

Os dois haviam se conhecido em Londres, tiveram uma rápido e tórrido romance e quando ela soube quem ele era, preferiu terminar tudo e se mandar. Já estava grávida e não contou para ele que seria pai.

Andrej Markov não era apenas o pai de Ana. Ele era o rei de um pequeno país chamado Krósvia.

Ele havia se casado um tempo depois, mas sua esposa já havia falecido, sem lhe deixar um herdeiro direto. Isso fazia Ana a sua princesa, a descendente direta do trono.
Ausentando-se de um período da faculdade e de sua vida absurdamente normal, Ana decide viajar e conhecer seu pai e seu país. Isso significava também se ausentar de uma paquera recente, o Artur. Logo agora que tudo estava indo tão bem...

Chegando em Krósvia, Ana teve que se adaptar à vida de uma princesa. A princípio ela conseguiu andar pela cidade sem ser importunada, até que sua existência caiu nos noticiários e ela era perseguida e aclamada por onde quer que fosse.

Mas além de se adaptar a viver no luxo de um palácio, ter empregados e secretários para ajudá-la em tudo, conhecer uma tia e primos pequenos que sequer tinha ouvido falar, houve Alexander.

Caso muito sério...



Alex era filho da rainha, mas não descendente do rei Andrej. Mesmo após a morte de sua mãe, ele continuava tendo livre acesso ao castelo, e, a princípio, os ânimos dele e Ana não combinaram. Alex achava que, de alguma maneira, Ana era uma golpista. Para ficar de olho nela e desmascará-la, ele se oferece para ser o guia dela pela cidade. E adivinha o que aconteceu?

Mas claro, eu não poderia deixar de citar que Alex já tinha uma namorada, a Laika (sim, o mesmo nome de cachorro). E essa patricinha iria causar muitos problemas na vida de Ana.

O livro é um grande romance young-adult, com passagens fofas do dia a dia de uma menina comum que se descobre princesa (um sonho ainda recorrente entre muitas meninas).
Há várias referências sobre princesa Diana e Katy Middleton, além do próprio livro da Meg Cabot.
É uma leitura gostosa para qualquer idade, que contém os principais ingredientes de um conto de fadas moderno.
Nada de grandes novidades, mas que entretem.

O livro tem continuação já lançada.




4,5 estrelas.

Sobre a autora



Nenhum comentário:

Postar um comentário