quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Jane Costello - Quase Casados



Ficha técnica: Quase Casados (The Nearly Weds)
Autora: Jane Costello
Editora Record
Lançamento origical: 2009
Lançamento BR: 2014
414 páginas
Gênero: Rom Contemporâneo; Chick Lit
POV: primeira pessoa - Zoe Moore

Protagonistas: Zoe Maureen Moore; Jason Redmond e Ryan Miller.
Local/ano: Manchester; NY; Boston/atual

"Para Zoe Moore, o dia de seu casamento foi o mais marcante de sua vida. Ou melhor, o dia em que deveria ter se casado, mas em vez disso, foi largada no altar após sete anos de namoro. Arrasada e disposta a se recuperar, ela decide se mudar de Liverpool para os Estados Unidos e trabalhar como babá. Ao chegar em Boston, ela se depara com a esperta Ruby, prestes a completar 6 anos, o adorável Samuel, que acaba de fazer 3, e o pai deles, Ryan Miller. Seu novo chefe, além de fazer uma bagunça sem precedentes e de ter um mau humor imbatível, é incrivelmente bonito. Depois de um começo um tanto decepcionante, Zoe e Ryan começam a se entender, mas ela está prestes a descobrir que recomeços podem ser mais difíceis do que esperava."


Depois de 7 anos de convivência, entre namoro e noivado, morando juntos, Zoe é abandonada pelo noivo na porta da igreja.
Jason, o homem lindo, bem sucedido e certinho que Zoe achara ter tido a sorte de tê-lo apaixonado por ela, acabou destruindo-a ali, na frente de todos que conheciam.
Perdida, sem saber o que fazer, depois de ter passado uma semana chorando, de ter dado um rumo diferente à sua vida do planejado inicialmente - como abandonar a faculdade de Direito no primeiro ano e acabar trabalhando de babá -, ela decide mudar toda sua vida e abandona seu trabalho como sub-diretora de uma creche e parte para os Estados Unidos, ainda no mesmo emprego, mas com chances de viver uma aventura.

Com o currículo excelente que possuía, ela foi considerada para trabalhar numa casa conceituada em NY, cuidar de duas crianças pequenas de uma família rica, cheia de empregados e eles ainda a levariam para uma viagem familiar pelas Bermudas.
Mas depois de sofrer horas no voo da Inglaterra até lá (poltronas apertadas e o nervoso por viajar de avião pela primeira vez), ao chegar em seu destino ela descobre que a ex-babá da família recuperou o emprego e agora ela seria realocada para outra família, em Boston.
Em Boston, ela deveria procurar pela Sra. Miller.
Ok, Zoe pega o trem e passa mais algumas horas observando o comportamento americano entre o sobe e desce das várias estações.
Ao chegar no seu destino, um homem lindo - apesar de bastante desgrenhado na aparência - com duas crianças muito parecidas com ele, estão com uma placa segurando seu nome.
SURPRESA!!! Não há nenhuma Sra. Miller, mas sim Sr Miller, com duas crianças lindas e educadas, mas...
Tudo o que ela NÃO faria na outra casa, Zoe teria que encarar na casa dos Miller.
Uma bagunça de dias, sujeira para todo lado, a despensa e geladeira vazias, duas crianças que se alimentavam à base de M&M's e que não gostavam de ir para a cama à noite.
Saldo do dia? Canseira do jet leg, da limpeza, de crianças fazendo manha para dormir, e ainda, um pai para lá de ausente.
Fazendo amizade com outras babás britânicas da área (Trudie, Amber e Felicity), Zoe descobre que as babás britânicas são super valorizadas na América (por seu jeito mais rígido de disciplinar - talvez por conta daquele programa Super Nanny - e pelo seu sotaque); que Ryan Miller é o gato mais valorizado na vizinhança, que é um galinha e que ficou viúvo quando o filho menor, Samuel, ainda era um bebê. Sua esposa morreu num acidente de carro.
De lá para cá ele meio que tomou desgosto pela vida e o caos da sua casa fez com que uma sucessão de babás passassem por lá. Algumas não duravam nem algumas horas.
Por mais confusa que fosse a dinâmica naquela casa, Zoe foi ficando e colocando as crianças, Ruby e Samuel, na linha. Isso sem contar que a casa já parecia mais apresentável.
Aos poucos toda a família foi colocando-a como o pilar que os mantinha de pé. Zoe descobre por que as crianças faziam tanto escândalo na hora de ir dormir; Ryan a convida para ser seu par numa festa de escritório; ao apresentar as crianças à sua namorada num picnic, Zoe salva Samuel de morrer afogado, e outras situações...
Zoe e Ryan acabam se envolvendo emocionalmente além do que deviam, e quando ela pensa que estavam se entendendo e ela já nem pensava em Jason com tanta frequência, ela descobre algo que a deixa perplexa; e ela prefere voltar para casa.
Voltando para Manchester, seu ex-noivo, depois de ter ligado algumas vezes para lá enquanto estava nos Estados Unidos, procura-a pessoalmente cheio de intenções de retorno. Depois de ter passado 7 anos de sua vida apaixonada por ele, Zoe não achou nada demais dar-lhe uma segunda chance. Mas quais seriam as chances de que numa outra situação ele não a abandonaria novamente?

capa original



Quase Casados é um romance escrito por uma britânica. A veia cômica deles é bem diferente da americana, puxando para piadas do dia a dia e situações de diferença entre as duas culturas.
O enredo, que poderia até ser triste, consegue passar uma aura leve com todas as atrapalhadas da protagonista, e, ainda assim, em alguns momentos você se pega engolindo a emoção com um pouco mais de dificuldade.
Assim que passa o mal entendido sobre a Sra. Miller ser na verdade o Sr. Miller, viúvo, com dois filhos pequenos, todo o comportamento dele começa a se encaixar. E diferente das outras babás que colocavam o rabo entre as pernas e partiam, Zoe o enfrentava. Isso deu estabilidade não só às crianças, mas também a ele.

Enquanto queria apenas distanciar-se para curar um coração partido, Zoe se viu envolvida numa família com perdas maiores que as dela.
Esquecer o ex-noivo foi um processo lento, e a história dá alguns saltos no tempo. Quando ela começa a receber telefonemas de um número restrito da Inglaterra, ela começa a imaginar ser o ex e qual seria a melhor maneira de se comportar caso ele a quisesse de volta. 

Ela não estava indo para um outro país para se apaixonar, mas sem que percebesse, aconteceu. E mais uma vez, viajou com o coração partido.

Mas voltando para casa e vendo que o ex-noivo a queria de volta - com o apoio de sua mãe que, até então, queria vê-lo morto -, Zoe passa a enxergar a vida com novos olhos. O desafio da viagem para um outro país e ter que se cuidar sozinha, deu-lhe nova perspectiva,e  agora ela sabia exatamente pelo que valia a pena lutar.

Apesar de ter mais de 400 páginas, o livro tem uma escrita bem leve e dinâmica, o que faz sua leitura ser bem rápida.
A capa faz uma comparação com os livros da Sophie Kinsella.. Mmmmm...Sinceramente? Não é tanto assim. É engraçado, diverte, mas Sophie é Sophie.

Ainda assim dou 4,5 estrelas.

Sobre a autora


Facebook  |  Website  |  Goodreads  |  Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário