terça-feira, 24 de março de 2015

Kristen Proby - Easy Love (Boudreaux #1)




Ficha técnica: Easy Love
Autora: Kristen Proby
Editora Ampersand Publishing
Lançamento original: 03/março/2015
Lançamento BR: ainda não
246 páginas
POV:  primeira pessoa - Eli e Kate
Gênero: Romance Contemporâneo; Chick Lit

Protagonistas: Eli Boudreaux e Mary Katherine "Kate" O'Shaughnessy
Local/Ano: New Orleans,Louisiana; Denver/2014

"A família de Eli Boudreaux constroi navios e barcos em Louisiana por gerações. Ele vem de uma família trabalhadora e rica e seu império está crescendo a perder de vista. Aos trinta anos, ele é o CEO mais jovem a dirigir Bayou Enterprises, co-presidência com o seu irmão mais velho. Sua cabeça para negócios e sua ética de trabalho também está fazendo-o rapidamente o melhor que a empresa tem visto em gerações. Sua equipe o admira, as mulheres o adoram e a família de Eli é sólida. Mas ele descobriu recentemente que alguém de dentro do seu negócio está roubando-os e ele está determinado a descobrir quem é. 


Kate O'Shaughnessy é contratada por empresas em todo o mundo para se infiltrar e investigar todos os membros da empresa, inclusive o CEO, para encontrar a pessoa ou pessoas responsáveis por desviar dinheiro. Ela é excelente em se misturar, tornando-se parte da equipe, e encontrar o elo mais fraco. Ela é inteligente, perspicaz, e ela agora foi contratada pela Bayou Enterprises, especificamente por Eli Boudreaux. A atração é imediata e a química, avassaladora, mas Kate já ouviu tudo sobre o passado do Playboy Eli e ela têm um trabalho a fazer. Dormir com o chefe não faz parte desse trabalho, mesmo que apenas o som de seu nome falado por ele e do jeito que ele preenche um terno de grife, a faça suar.


Os encantos sulista de Eli surpreendem Kate. O homem cuja reputação rotula-o como cruel, insensível mulherengo, não é o homem que ela está conhecendo intimamente. Ele é generoso, protetor e a faz sorrir. Vencendo as barreiras de Kate, sua atitude reservada e descobrindo o seu amor por lingeries sexies e caras é um desafio que Eli não pode resistir, mas sua natureza doce, o amor à família e o senso de humor cativam Eli de uma forma que ninguém mais fez.


Mas chega a hora da descoberta da pessoa responsável por tentar sozinho desmantelar o império de Eli, e o tempo de Kate seguir em frente. Até que ponto irá Eli para manter a seu lado a mulher por quem ele está apaixonado?"


Primeiro nos apaixonamos pelos pontos turísticos de Seattle, a terra que tem um monumento que mais parece um disco voador (e aparece no filme Os Homens de Preto) e do time de futebol americano Seahawkes...



Esta é a terra dos Montgomery da série With Me in Seattle (que acabou de ser lançada no Brasil pela editora Charme, com o livro FICA COMIGO).

Depois nos deliciamos com o frio de Montana, a terra do Grande Céu, dos cowboys e da cidade pequena onde todos se conhecem...



Com a família King na série Love Under the Big Sky.

Agora estamos de malas prontas para um novo ponto norte americano: NEW ORLEANS. A cidade do jazz, dos bairros com um toque francês, das ruas com pavimento de paralelepípedo.
New Orleans, também conhecida como cidade BIG EASY, tem esse apelido porque no início dos anos 1900 existia um salão de baile com esse nome, mas o apelido pegou mesmo somente em 1970, quando um jornal local comparou a cidade dizendo ter um jeito de vida muito mais maleável do que a corrida NY.






Aqui é a terra da família Boudreaux.
O pai, falecido há dois anos, deixou um império de construção de barcos para que seus filhos levassem adiante.
A Bayou Industries é dirigida por 3 deles: Beau (o mais velho), Eli (com 30 anos) e Savannah. Os outros filhos seguiram seus próprios caminhos, mas todos têm tido sucesso em suas empreitadas.
Declan é gêmeo com Savannah - ou Van, como a chamam. Ele é músico. Logo em seguida vem Charlotte (Charly), que tem uma loja de roupas e acessórios femininos; e a caçula Gabby, que dirige um Bed & Breakfast um pouco afastado da cidade central, em Bayou mesmo. Ela é mãe solteira - ficou grávida ainda no Ensino Médio,e o pai se mandou ao saber - do esperto Sam.
Uma família grande que regularmente se encontra para usufruirem da companhia uns dos outros na casa da mãe, onde todos ajudam na cozinha.

No momento, apesar de estar indo de vento em polpa, a Bayou Industries está sofrendo um "vazamento". Foi descoberto, meio que por acaso, que quantias não muito grandes têm sido regularmente desviadas e os 3 irmãos precisam descobrir quem é o ladrão.

Savannah tem uma amiga que trabalha exatamente nisso, uma empresa em Denver especializada em descobrir, de dentro, quem é o responsável por esse tipo de desvio. E Beau e Eli concordam que ela contrate a amiga.

Kate chega em NOLA estranhando o jeito doido dos taxistas dirigirem e a umidade do ar todo o tempo.
Colocada para morar num loft pertencente à empresa, ela ficaria por lá de 4 a 6 semanas, fazendo amizades, ganhando a confiança de outros empregados, enquanto trabalhava como assistente de um dos diretores, e hackeava os computadores.
A princípio, Van deveria recebê-la, as duas e mais Declan, foram companheiros de quarto na faculdade e tinham mais do que intimidade, mas uma reunião impossibilitou a presença de Van, colocando Eli no trabalho de receber a nova funcionária.
Lógico que antes disso Eli recebeu mil e uma recomendações para manter-se longe de Kate. Sua fama de garanhão e destruidor de corações não era à toa.

Com a chegada de Kate este tornou-se o desafio de Eli, como ser educado e um bom anfitrião sem ser sedutor. Mas o desafio foi aceito e ele fez todo o possível para entreter a visitante - fora do expediente - levando-a  a conhecer os principais pontos da cidade.

Mas, na verdade, ficar perto de Kate não era uma dificuldade. Ela tinha uma personalidade cativante, era inteligente e espirituosa e, além disso, boa de garfo. Nada como levar uma mulher que sabe saborear um prato para comer nos melhores restaurantes da cidade.
Enquanto durante o expediente eles nem se viam, depois do horário Kate passou a ser uma companhia constante de Eli.
E com isso eles passaram a se conhecer.
E com isso Eli viu o quão íntima Kate era de seu irmão Declan (o que o deixou irritado); que ela tinha um tal de Rhyes na sua vida (mais um motivo de irritação); que 3 drinks era o limite dela antes de começar a jogar charme ao garçon sarado (eu já disse que a lista de irritação dele estava crescendo?); que ela fora casada e que o filho da mãe do ex-marido dela fizera das suas (isso já passava de irritação. Já era passível de assassinato!).
Ele também vê que apesar de poucas amizades, Kate sabe mantê-las como ninguém e que por baixo daquela mulher cheia de garra, que sabia muito bem se defender de um assaltante, havia uma mulher que fora profundamente magoada e tatuara uma frase em seu corpo - "eu me basto do jeito que sou" - para sempre se lembrar de sua força.
E enquanto isso, eles foram se envolvendo... no começo só pela atração física, mas não deu para segurar o sentimento.


"Minha vida tem sido em preto-e-branco pelos
últimos dois anos, e no momento em que ela
entrou pela porta do meu escritório, 
tudo se tornou em cores vivas"


Mas todo esse relacionamento tinha dia para acabar: tão logo ela descobrisse o autor do desvio de dinheiro.
E quando isso acontece, até mesmo a última noite deles acaba sendo uma total decepção, e, mais uma vez, Kate se lamenta por ter sido ingênua em se deixar envolver por um homem como Eli.
De volta a Denver ela segue com a sua vida - de uma forma não tão normal... - mas talvez assistir uma maratona de Vampires Diaries seja melhor do que acreditar que ela ainda tem alguma chance de encontrar o verdadeiro amor...



Fórmula de Kristen Proby: pegue uma família não muito pequena (quantos mais irmãos, melhor) e com alguma condição financeira (quem quer saber de mocinho pobre?) e uma cidade com pontos turísticos que te façam querer correr para fazer as malas, e você tem um novo sucesso.

Os Boudreaux são lindos, ricos, sexies e se dão super bem. Dessa vez o time está bem dividido, 3 homens e 3 mulheres. 
O primeiro livro traz o segundo filho, Eli. Ele foi o mais afetado com a morte do pai primeiro porque ele que estava com o pai quando este morreu, depois, porque minutos antes eles estavam tendo uma certa discussão. Desde então Eli mudou sua atitude de esbanjador playboy e focou em sua carreira, na empresa da família. Ele cuidava da família e da empresa. Ponto.

A cidade é um personagem forte, portanto, acostume-se a ler trechos nos quais os pontos altos da cidade são citados e elevados a um patamar quase de amante. E isso é proposital. Você realmente fica louca de vontade de fazer essa viagem.

Como primeiro livro da série, ao mesmo tempo em que muito é dito, ainda ficam faltando vários pedaços do quebra-cabeça. Você sabe a ordem de nascimento dos irmãos, mas não sabe a diferença de idade entre eles; a cidade tem uma forte colonização francesa e o sobrenome deles é francês, o que deve ter afetado a escolha do local; Beau, o mais velho, tem esse nome provavelmente por causa do pai, que se chamava Beauregard François Boudreaux; a empresa deles é destinada a construção de barcos mas esse tema foi pouco explorado aqui, e por assim vai.

Além disso há os personagens secundários que podem voltar em livros futuros.
Por exemplo, Rhys, o primo de Kate, é jogador de baseball profissional pelo Chicago Cubs, e tudo leva a crer que ele vai se envolver com uma das Boudreaux (meu palpite é a Gabby, por causa do menino que é louco pelo esporte); Ben Preston aparece em apenas duas cenas. Ele é amigo dos Boudreaux por longa data e treinador de Krav Maga de Beau e Eli, e, pelo visto, ele tem uma queda enooooorme por Savannah, mas por enquanto ela ainda é casada. E ainda tem a Lila, amiga de Kate, trazida para NOLA por Eli numa surpresa à amiga, ela conhece um policial na esteira de bagagem do aeroporto e mais tarde se encontram num bar. E adivinha? Eles ganham um livro todinho para eles!!!



EASY WITH YOU, faz parte da série With me in Seattle (#8,5), e traz a história do detetive parceiro de Matt Montgomery (#6). Asher é viúvo e tem uma filha, vivem em Seattle e conhece Lila aqui, em NOLA. Um relacionamento fadado ao fracasso pela distância, mas...  (Lançamento HOJE!!! -  resenha em breve).

O ritmo da história é bom.
Os personagens, como sempre, machos alfas, homens que quando se apaixonam não veem ninguém mais à frente deles; família grande; mocinhas decididas e independentes. Tudo que você já conhece do estilo da autora e sempre se apaixona de novo, e de novo, e de novo.
No enredo há muito romance, cenas engraçadas (a autora adora uma cena em que pelo menos uma mulher fica bêbada), um pouco de mistério, tentativa de assassinato. E dessa vez a autora decidiu colocar um pouco mais de perto uma cena mais forte sobre violência contra a mulher. Nada chocante, mas ela foi um pouco mais fundo do que no livro #2 da série em Montana. Mas nada muito profundo. A autora é, antes de mais nada, uma romântica. Não espere uma história com personagens cheios de profundos problemas psicológicos.

No mais, agora é esperar o próximo da série, que deve ser de Rhyes e Gabby e completar mais uma coleção da autora.
Boa leitura, boa diversão.

5 ESTRELAS.


a autora




Um comentário:

  1. Amei tudo, nem sei como me expressar aqui, a não ser por agradecer mais uma vez, por este blog esta cheio e repleto de boas indicações.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir