quarta-feira, 25 de março de 2015

Maratona Editoras: Editora Valentina - Gail Carriger - Inocência? (O Protetorado da Sombrinha #3)



Ficha técnica: Inocência? (Blameless)
Autora: Gail Carriger
Editora Valentina
Lançamento original: 2010
Lançamento BR: março/2015
302 páginas
Gênero: Steampunk; fantasia
POV: terceira pessoa

Protagonistas: Lady Alexia Maccon; Professor Randolph Lyall; Conde Conall Maccon
Local/Ano: Londres; Paris; Nice; Florença/1871

"Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Ao abandonar a residência do marido e se mudar de volta para o lar de sua terrível família, Lady Maccon se tornou o escândalo da temporada em Londres. Além disso, a Rainha Vitória dispensa Alexia do Conselho Paralelo, e a única pessoa capaz de ajudar a esclarecer os fatos, Lorde Akeldama, inesperadamente deixa a cidade. Como se não bastasse, Alexia é atacada por joaninhas mecânicas assassinas, indicando – como apenas joaninhas são capazes de fazê-lo – o fato de que todos os vampiros londrinos estão muito interessados em vê-la rigorosamente morta. Enquanto Lorde Maccon concentra seus esforços em ficar cada vez mais ébrio e o Professor Lyall se desdobra para que a Alcateia de Woolsey se mantenha coesa, Alexia deixa a Inglaterra em direção à Itália em busca dos misteriosos Templários. Somente eles têm o conhecimento sobre os seres preternaturais que Alexia precisa para entender sua crescente e inconveniente condição, mas eles podem ser piores que os vampiros – e estão armados com molho pesto."

LANÇAMENTO

Antes de começar a resenha em si, preciso desabafar.
Como assim esta série QUASE foi cancelada? É isso mesmo, leitor!. Por alguma razão sobrenatural - para seguir a linha do livro -, a editora tinha decidido não continuar a lançar a série.
Ah ah. Ela não contava com a mandinga, saravá, três pulinhos de São Longuinho dos leitores. Uma verdadeira campanha foi feita com vários blogs e pessoas deixando recado na página do Facebook da editora. Até o site Submarino entrou na campanha e passou a vender os 2 primeiros livros a preço de 1.

Com o estoque devidamente esvaziado, a editora voltou e disse que comprou os livros restantes.
Mas ainda assim o lançamento deste #3 demorou 1 ano...



Ok, ok. Tá aqui na minha mão devidamente lido. Então, vamos à resenha!!

Vocês que já conhecem a série sabem que é uma história "fumada". Passado e futuro se misturam em cenas e explicações científicas que deixam o leitor vesgo e tonto. Tudo isso é STEAMPUNK.
Não conhece? Então leia as resenhas dos livros anteriores:



Lembrando que a partir daqui talvez role algum spoiler caso você não tenha lido os anteriores. Sorry. Não tenho como evitar. Então, se preferir não prosseguir com a leitura, pare aqui agora.

 *******************************************************************************************

Terminamos o livro #2 muito P da vida, querendo arrancar a cabeça de Conall por conta da maneira que ele tratou Alexia ao descobrir que ela estava grávida.

Racionalmente falando um lobisomem não poderia engravidar uma humana, mas a gente já sabe que Alexia não é uma humana comum. Ela nasceu sem alma. Isso significa que ela tem o poder de fazer com que os seres sobrenaturais voltem à sua forma humana tão logo ela os toque.
Bem, não precisa ser expert em genética para entender que cada vez que eles se tocavam ao transarem, ele deixava de ser um lobisomem para tornar-se um mortal, certo?
Mas quem disso que Conall teve cabeça fria para pensar nisso? E sejamos sinceros, quando Conall teve cabeça fria para qualquer coisa relacionado à sua esposa?

Começamos a história com Alexia tendo que voltar a morar na casa da mãe, que casou-se novamente há alguns anos e deu a Alexia duas meias-irmãs egoístas e detestáveis, Felicity e Evylin.
Estas culpavam Alexia, por agora ser uma mulher adúltera e abandonada pelo marido, pela atual situação delas em serem preteridas na sociedade londrina, inclusive com Evy tendo recebido uma carta do noivo, naquela manhã, rompendo o compromisso.
Conclusão: Alexia foi expulsa da casa da família.

Sua outra opção seria a casa do velho (no pleno sentido da palavra) amigo, o vampiro Lorde Akeldama, o vampiro mais bem informado e espalhafatoso de Londres. Mas ao chegar na casa dele, ela a descobre totalmente abandonada, como se o dono tivesse saído às pressas. E ao sair da casa do amigo, ela foi atacada por umas joaninhas mecânicas venenosas. Ou seja, não bastava ser expulsa da alcatéia do marido - e da proteção da mesma -, ser expulsa da casa da família, não encontrar refúgio na casa do melhor amigo, agora ela descobre que ainda querem-na morta!

Hoje não era um bom dia para ter se levantado da cama...

Mas como Alexia não é mulher de se encolher na cama, chorar as pitangas e se acovardar, ela imediatamente bola um plano para descobrir como fora possível ela ter engravidado, quem a queria morta e, também, poder esfregar na cara daquele marido teimoso que ela não o tinha traído.
Ela chama seus fiéis escudeiros: Madame Genevieve Lefoux (a famosa chapeleira e cientista); o Beta da alcateia Prof. Lyall e Floote, seu secretário particular e antigo mordomo da família dela (e que também havia trabalhado para o pai dela). Ela decidiu que o melhor lugar para ir seria a Itália, onde os Templários poderiam dar-lhe a explicação necessária dos da sua espécie.

Enquanto isso, Lorde Conall Maccon amargava sua estupidez enchendo a cara e fazendo besteiras, como cantar ópera o tempo todo. Mas como um lobisomem não consegue se embriagar com bebida comum, ele bebe....formol.
Enquanto ele, como Alfa, se encontra neste estado lastimável, outros lobisomens se veem no direito de o desafiarem pelo posto. E claro, se ele mal podia se manter acordado, quem tinha que lutar no lugar dele era o pobre Beta, Prof. Lyall.
Demora algum tempo até ele cair em si e admitir que tinha feito uma baita confusão expulsando a esposa de sua proteção e não acreditando na inocência dela. Seria preciso mais do que simplesmente se rastejar para tê-la de volta, já que toda Londres, entre humanos e vampiros, a acusavam de indiscrição.
Uma reparação no jornal, talvez? Para que todos lessem seu pedido de desculpas.
Mas ele sabia que enquanto isso, Alexia estava em perigo em algum lugar por aí e ele precisava encontrá-la e salvá-la.

Durante a viagem de Alexia e seus amigos, ela vai descobrindo mais alguns detalhes sobre sua gravidez. Ela não conheceu seu pai, mas encontrou várias pessoas que o conheceram e/ou admiraram. E entre ataques de vampiros e encontros com Templários silenciosos e que gostavam de bordar, Alexia se depara com uma informação sobre seu bebê que pode mudar todo o mundo sobrenatural...



Esta série é diferente por várias particularidades. 
A começar pela mistura temporal. Ela acontece no século 19, dez anos após a Rainha Vitória ter perdido seu marido. Mas há várias menções de invenções que só aconteceram muito tempo à frente. Depois, há a questão de ser Fantasia. Humanos e sobrenaturais vivendo pacificamente (????).
A autora abusa da licença poética e cria várias expressões, portanto, o linguajar ao longo do livro não é tão mundano, mas ao mesmo tempo não se torna enfadonho.
As aventuras ocorrem desde o início. Quase todo o tempo nossa protagonista está envolvida em algum tipo de confusão, como se ela as atraísse como abelha no mel.

O lado romântico do casal principal também é bem tumultuado. Tanto Conall quanto Alexia têm o temperamento forte e suas discussões costumam ser épicas e engraçadas.

Os livros precisam ser lidos na ordem para um melhor entendimento. Agora então que a gente fica sabendo o que pode ocorrer com o bebê deles, saber que teremos de esperar por mais um ano inteiro até que a editora lance o #4....

É uma série divertida, diferente, inteligente.
5 ESTRELAS!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário