sábado, 4 de abril de 2015

Maratona Editoras: Gutenberg - Tessa Dare - Uma Noite para se Entregar (Spindle Cove #1)



Ficha técnica: Uma Noite para se Entregar (A Night to Surrender)
Autora: Tessa Dare
Editora Gutenberg
Lançamento original: 30/agosto/2011
Lançamento BR: 07/abril/2015
288 páginas
Gênero: Romance de Época; chick lit
POV: terceira pessoa

Protagonistas: Victor St. George Bramwell e Lady Susanna Jane Finch
Local/Ano: Sussex, Inglaterra/1813

"Spindle Cove é o destino de certos tipos de jovens-mulheres: bem-nascidas, delicadas, tímidas, que não se adaptaram ao casamento ou que se desencantaram com ele, ou então as que se encantaram demais com o homem errado. Susanna Finch, a linda e extremamente inteligente filha única do Conselheiro Real, Sir Lewis Finch, é a anfitriã da vila. Ela lidera as jovens que lá vivem, defendendo-as com unhas e dentes, pois tem o compromisso de transformá-las em grandes mulheres descobrindo e desenvolvendo seus talentos.
O lugar é bastante pacato, até o dia em que chega o tenente-coronel do Exército Britânico, Victor Bramwell. O forte homem viu sua vida despedaçar-se quando uma bala de chumbo atravessou seu joelho enquanto defendia a Inglaterra na guerra contra Napoleão. Como sabe que Sir Lewis Finch é o único que pode devolver seu comando, vai pedir sua ajuda. Porém, em vez disso, ganha um título não solicitado de lorde, um castelo que não queria, e a missão de reunir doze homens da região, equipá-los, armá-los e treiná-los para estabelecer uma milícia respeitável.
Susanna não quer aquele homem invadindo sua tranquila vida, mas Bramwell não está disposto a desistir de conseguir o que deseja. Então os dois se preparam para se enfrentar e iniciar uma intensa batalha! O que ambos não imaginam é que a mesma força que os repele pode se transformar em uma atração incontrolável."


LANÇAMENTO

Tudo o que o Tenente-Coronel do exército Victor Bram queria era o seu regimento de volta. Ele passara um bom tempo se recuperando de um tiro no joelho direito, que ainda o fazia mancar depois de muito tempo marchando e sentir fortes dores. Mas isso para ele era o mínimo. Comandar um pelotão era o seu destino e ele o faria nem que fosse com uma única perna.
Mas no momento ele estava tendo sérios problemas para atravessar uma estrada estreita por conta de ... ovelhas. Sim, havia centenas delas atrapalhando o seu caminho até Summerfield. Lá ele encontraria Sir Lewis Finch, antigo amigo de seu pai. o General Bramwell e que, com um pouco de sorte e sua influência, poderia lhe indicar de volta à ativa.

Além das ovelhas, Bram tinha mais um probleminha a resolver: seu primo Colin Sandhurst, o Lord Payne, visconde. Apesar de ter 26 anos, Colin só teria acesso à sua fortuna se se casasse ou ao alcançar os 27 anos, o que faltava pouco. Mas por enquanto ele era uma pedra no sapato de Bram, já que vivia arrumando confusão do tipo explosiva.

E foi exatamente Colin quem decidiu que para se livrar das ovelhas eles teriam de brincar de explodir. A explosão não só espantou as ovelhas, como jogou em cima de Bram uma certa dama que passava pelo local.

Susanna Finch era a encarregada de dirigir um local para jovens moças chamado Spindle Cove. 
As moças que por alguma razão não se ajustavam à sociedade, antes ou depois de serem apresentadas, ou quando sofriam de algum mal crônico de saúde, tinham em Spindle Cove um refúgio.
Susanna realmente se preocupava com essas moças, já que ela mesma nunca se sentiu bem-vinda àqueles bailes abarrotados de gente que não tinham uma conversa salutar a falar.
Por isso, quando no meio de uma apresentação ao local à uma senhora com duas de suas filhas que ficariam na cidade, foi interrompida por uma série de explosões, Susanna teve que ir verificar. E numa dessa ela acabou indo parar nos braços de um homem estranho.

A primeira impressão que um teve do outro não foi das mais simpáticas. Oh, sim, cada um achou o outro extremamente atraente, mas a personalidade deles parecia agir como um repelente.Viviam discordando e discutindo.

A fama da cidade era de ser pacífica e com poucos homens. Isso ajudava a que as famílias das moças se sentissem seguras em deixá-las lá por um tempo considerável. A permanência das moças fez com que um comércio local espécifico fosse criado e isso movimentava toda a economia local. Isso sem contar que algumas moças precisavam mesmo de um tempo longe de companhia masculina, fosse por total falta de traquejo social, fosse por serem atiradas demais.

Para Susanna aqueles homens, o tenente Bram, seu primo Colin e o cabo Samuel Thorne, estavam apenas de passagem. Tudo começou a ruir quando ela soube que eles estavam exatamente atrás do pai dela. Poderia ficar pior? Sim, ao invés de seu pai ajudar Bram a conseguir o seu cargo de volta, ele o segurou na cidade conferindo-lhe o titulo de Conde Rycliff e passando a ele a posse do castelo da cidade, castelo este que Susanna se sentia meio dona desde que chegara à vila muito doente.

A ideia de Sir Finch era que Bram criasse uma milícia para salvar o castelo que estava em ruínas e, ao mesmo tempo, defender a vila que acabava tendo uma de suas direções como alvo perfeito para a França.
Mesmo sem gostar de sua nova comissão, Bram levou adiante o plano de Sir Finch e daí começa mais um embate com Susanna.


Este era o horizonte de Bram: um primo entediado até a alma; um título que não queria, sem riqueza e com um castelo em ruínas; uma cidade sem homens; muitas mulheres solteiras entre querendo casar ou fugindo deles como se fossem criminosos... e uma mulher linda e inteligente que o desafiava diariamente.

Os cidadãos da vila, de certa forma, viviam para agradar a Srta. Finch; nada era decidido sem a opinião dela, e isto estava enlouquecendo Bram. E juntando a isso tinha o fator de que não havia homens capacitados para a milícia. Eram velhos demais, jovens demais ou desdentados demais. Até o padre teve que entrar na roda!!

E enquanto isso, a aproximação entre Susanna e Bram aumentava; e suas brigas; e sua atração inegável.
Bram descobriu por que Sir Finch e Susanna foram parar naquele lugar; qual era o real trabalho dela com as moças; o verdadeiro objetivo do pai dela e que ele não teria mais como ficar sem ela...



A primeira vez que li um livro desta autora - outra série - eu achei que seu estilo era bem parecido ao de Julia Quinn: com tiradas engraçadas, cenas sexies e um enredo que prende. Mas nesta série aqui descobri o quão polivalente ela é porque agora está muito mais parecida à Lisa Kleypas: engraçada e com erotismo mais forte.

O casal principal se estranha desde o primeiro encontro e Susanna mostra-se uma heroína forte, engajada e decidida. Sua vida não havia sido fácil e nem assim ela se entregou.
Ao invés de bancar a coitadinha, ela saiu a ajudar outras que pudessem ter passado pelo mesmo que ela.
Bram é um soldado forte, verdadeiro alfa, e que não tem vergonha de admitir que está atraído por Susanna desde o início. Não, não era amor, era atração mesmo, e ele não perdia a oportunidade de agarrá-la sempre que podia.

Mas além deles, vá se preparando para dar boas gargalhadas com Colin. Ele apronta das suas com todo charme e a partir deste livro você já começa a visualizar a história dele com uma das garotas.
Há também o cabo Thorne. Competente em serviço, caladão, forte, e que também terá o seu romance.
As pestes dos gêmeos Finn e Rufus, e Minerva e Kate, duas das moças que estão em Spindle Cove por motivos bem diferentes

É uma série que tem todos os ingredientes para agradar. E como estamos sedentas por novos autores de romances de época, bom saber que a editora Gutenberg resolveu entrar nessa nova onda sem medo de ousar ao trazer uma autora não tão conhecida do público brasileiro.

Sucesso a eles e sucesso a nós, que conseguimos mais esta.
O livro está em pré-venda nos principais sites por preços bem aprazíveis. Adquira já!!

Para conhecer sobre a outra série dela que mencionei >> Castle Ever After >> livro #2 e livro #1

5 ESTRELAS!!

*ARC, cedido pela editora em troca de uma resenha de opinião honesta.





Nenhum comentário:

Postar um comentário