terça-feira, 5 de maio de 2015

Loretta Chase - O Príncipe dos Canalhas


Ficha técnica: O Príncipe dos Canalhas (Lord of Scoundrels)
Autora: Loretta Chase
Editora Arqueiro
Lançamento original: 1995
Lançamento BR: 04/maio/2015  LANÇAMENTO
288 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de época; Chick Lit

Protagonistas: Sebastian Leslie Guy de Ath Ballister, 4° Marquês de Dain, e Jessica Trent.
Local/ano: Devon e Londres, Inglaterra; Paris/1792;93;95;1828.

"Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...

Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.

Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.

Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes."

A história de nosso herói começa muitos anos antes de sequer ele ter nascido... E ainda assim, ele carregou nos ombros todo um peso de um pecado que não era seu...

O 3° Marquês de Dain perde toda a família - sua esposa e 4 filhos - para o tifo. Ele já contava com 42 anos. 
Precisando de um herdeiro, ele se casa com a rica e mimada italiana de apenas 17 anos, Lucia Usignuolo.
Além de ser mimada, o sangue quente que corria nas veias de Lucia fazia com que ela fosse impetuosa, temperamental e tivesse a boca suja de um marinheiro. O casal teve relações apenas até que ela engravidasse, o que para ele foi um total alívio.

O filho herdeiro finalmente nasceu, mas ao contrário de trazer a alegria que a família esperava, ele tornou-se ponto de discórdia entre os pais.
Sebastian nasceu muito parecido fisicamente com a família da mãe. Com os cabelos negros e um nariz adunco, ele acabou sendo desprezado por ambos os pais. O pouco de carinho e atenção que recebia vinha da mãe, e mesmo assim, não tanto quanto ele desejava.

Quando Sebastian contava com 8 anos, sua mãe saiu de casa com sua dama de companhia e nunca mais voltou. À noite, seu pai o chamou até seu escritório e lhe deu uma preleção simples e direta: sua mãe era uma Jezebel e seu nome nunca mais deveria ser mencionado naquela casa.
Ao sair de lá, Sebastian, que até então era uma criança calma, teve uma crise de fúria, quebrando todos os móveis da sala. Quando o pai o ouviu rezando em Latim, achou que já era o bastante e em duas semanas Sebastian foi "largado" às portas de Eton.

Lá ele também foi desdenhado pelos colegas. Havia o problema de sua feiúra e por todos já saberem o que sua mãe havia feito.
A turma liderada por Lord Wardell era quem mais perseguia Sebastian.

Quando completou 10 anos, Sebastian foi chamado à sala do diretor e lhe foi informado que sua mãe havia morrido de febre nas Índias Ocidentais - local onde havia fugido com seu amante. Ele escutou tudo em silêncio e pela segunda vez teve sua crise de fúria, mas desta vez com um alvo certo: Wardell. Apesar de Wardell ser bem maior e mais forte que Sebastian, isso não o impediu de transformar seu alvo num purê de batatas. E a partir dali eles se tornaram grandes amigos.

Sebastian passou a fazer parte da pior turma de baderneiros de Eton.
O grupo fazia brincadeiras de mau gosto, assédio aos indefesos; apostavam em dinheiro; fumavam e bebiam apesar da pouca idade. Aos 13 anos Sebastian foi apresentado aos prazeres da carne e ali ele aprendeu outra dura lição: apenas se tivesse muito dinheiro ele conseguiria tudo que quisesse na vida.

Com a mesada que recebia ele quadriplicou seus rendimentos com apostas.

Os anos se passaram e nunca Sebastian recebeu notícias de seu pai. Toda e qualquer informação era transmitida através do secretário. E foi através deste que ele recebeu uma nota, perto da época de se formar em Eton, em que lhe era dito que a continuidade de seus estudos se daria em Cambridge. Acontece que todos os Dain sempre estudavam em Eton e Oxford. Entendendo que este era mais um recado de seu pai mostrando o quanto o desprezava, Sebastian escreveu ao pai avisando que se quisesse investir a educação em Cambridge a algum pobre coitado que o fizesse, porque ele pagaria pelo próprio estudo em Oxford.

Aos 24 anos Sebastian finalmente tornou-se o Marquês de Dain. Ainda tentando atingi-lo, mesmo além túmulo, o pai dele deixou as finanças em petição de miséria. Sebastian não precisava do pai para viver dignamente com seu novo título. Ele vendeu o que não prestava, fez novos investimentos, reformou o que queria e mandou para o inferno o último ato de covardia do pai. E foi divertir-se em Paris.

E assim nasce o Lord Belzebu...

Jessica Trent tinha 27 anos - considerada mais do que uma solteirona já -, 1,65, cabelos negros. Sua beleza era sempre comparada à de sua avó, que tinha sido uma beldade em seu tempo e, na verdade, ainda era perseguida por vários admiradores oferecendo-lhe para serem seus amantes.
Ela também era conhecida por sua inteligência e teimosia e estava em Paris com o firme propósito de salvar seu irmão das garras de um amigo poderoso. Um homem conhecido por ser um dos maiores devassos já existentes. O famoso Lord Belzebu.

Bertram Trent, ou Bert, era dois anos mais novo que Jess, e ele simplesmente achava Sebastian o máximo. 
Por outro lado, Sebastian achava Bert um idiota, um perfeito cachorrinho que obedecia a todos os seus desmandos.
Livrar-se de Bert até que seria interessante, até que numa tarde, em que fazia negócios numa loja de antiguidades, Sebastian conhece Jessica. A partir dali sua cabeça não agiria mais da mesma forma.

Jessica não era só uma das mulheres mais belas que ele já javia encontrado. Ela tinha uma cabeça privilegiada, conversando sobre assuntos que mulheres normalmente não dominavam - como cálculo -, e seu senso de decoro também estava bem à frente de seu tempo.
Por um tempo ele tentou jogar com ela um jogo perigoso, fazendo com que a reputação dela ficasse manchada por andar com homem tão devasso, mas o feitiço acabou virando contra ele, e foi ELE quem acabou ficando falado por ter caído nas garras da beleza da neta de Genevieve.

Como assim? Lord Belzebu nunca se deixaria domar por um par de pernas sob saias. Então, ele decidiu atacá-la onde sabia que iria afetá-la: no idiota de seu irmão.

Preciso dizer que mais uma vez o tiro saiu pela culatra? E eles protagonizam uma das cenas sob a chuva mais sexies dos romances de época. E a partir dali Sebastian viu-se irremediavelmente perdido...




Já não bastava ele se sentir confuso com aquele beijo, um novo problema surge na cidade: apostas.
As pessoas começaram a apostar em quanto tempo um se renderia ao outro.



Sebastian não tivera uma experiência muito positiva no campo amoroso.
Algum tempo antes, na ocasião da morte e enterro de seu amigo Wardell, ele acabou se interessando pela irmã deste, Susannah, uma das poucas que lhe dava atenção. O romance começou tímido, levando meses para que Sebastian sequer conseguisse segurar na mão dela. Até que chegou um dia em que ao lhe dar um casto beijo no rosto, uma enxurrada de mulheres da família dela o cercou e o obrigou a agir da forma correta. Ele foi levado perante o pai da moça e ao notar que tudo se passara de um ardil para fazê-lo assumir as dívidas de TODA a família, Sebastian mandou todos às favas e saiu de lá calmamente. Pouco tempo depois Susannah estava casada com Lord Linglay, um velho de 65 anos, mas que ainda assim, conseguiu engravidar a esposa por várias vezes.

Tendo essa amarga experiência, Sebastian não se deixaria cair numa armadilha, e, com isso, ele faz com que Jessica caia em desgraça na frente de uma plateia e sai de cenário dando a mesma resposta que dera ao pai de Susannah.

A única diferença era que Jessica não era Susannah, muito menos o pai desta. E Jessica faz a Sebastian exatamente o que ele lhe mandara fazer:

"Então me mate."

Sabendo que a partir dali ela estaria em desgraça e que seus planos de abrir um comércio tinham acabado de ser enterrados, Jessica não pensou duas vezes em acertar em Sebastian onde lhe doeria mais...

Um duelo em que os dois oponentes sabem o lugar exato onde dar o tiro de misericórdia, mas que, ao mesmo tempo, ambos têm a certeza de que se jogarem com as peças certas, um vulcão poderia entrar em erupção da melhor forma possível...


Este é um dos livros mais premiados da autora. E levamos exatamente 20 anos para tê-lo traduzido oficialmente no Brasil.

O Príncipe... traz várias situações diferentes dos outros romances de época.
A começar pelo herói não ter uma beleza clássica. Oh sim, o seu conjunto tinha um porte cavalheiresco, mas definitivamente seu rosto era muito mais lembrado por sua feiúra do que o contrário.
Além disso, a reputação dele era totalmente execrável. Sebastian era um canalha dissoluto e fazia questão de manter essa fama. Ele tinha todos os tipos de vícios e ao mesmo tempo nenhum. Ele conseguia entrar e sair de qualquer vício que quisesse, mas o mesmo não acontecia com as suas amizades, com a cabeça mais fraca. Bom, basta dizer que o seu apelido, Lord Belzebu, não era por causa de seus belos olhos azuis.

Quando ele faz com que Jessica sofra aquela humilhação - e acaba levando o troco bem dado -, ele o fez pelo pior dos argumentos: nenhuma mulher era confiável.
O que foi uma surpresa para ele ao ser pego no revide dela, era que ele ESTAVA interessado em ficar com ela. E já que teria que pagar caro por isso, que pelo menos ele pudesse saborear por tudo.

Nos primeiros dias de casados eles não souberam levar bem a situação, mas logo Jessica mostrou mais uma vez que não tinha ficado solteira até tão tarde por falta de opções ou intelecto, e o jogo virou. E foi a partir daí que Lord Dain viu com outros olhos o que era ser amado e admirado por alguém.

Aquele menininho abandonado pela mãe e esquecido pelo pai ainda morava dentro dele. Com paciência e perspicácia Jessica consegue fazê-lo entender a maneira com que ela O VIA.
Mas como a vida acaba sendo uma repetição de cenário, mudando apenas os atores, dessa vez Sebastian teve que se confrontar com o que poderia ser a repetição da história de sua vida. E mais uma vez caberia a Jessica mostrar-lhe o melhor caminho a tomar.

O livro não acaba imediatamente após a cerimônia de casamento deles. Há muito mais depois, mas prefiro deixar que você, leitor, descubra por si só.

O livro tem diálogos inteligentes, personagens carismáticos por serem imperfeitos, ritmo excelente. E melhor, sem cliffhanger.
Uma história para se (re)ler de tempos em tempos. Um ótimo livro para se indicar às amigas que estão começando a transitar no universo dos romances de época.
Um felizes para sempre mais do que merecido.

5 ESTRELAS!!

Sobre a autora


Facebook  |  Website  |  Goodreads  |  Twitter


*Gravura de Alan Ayers
**ARC cedido pela editora, em parceria, em troca de uma resenha de opinião honesta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário