terça-feira, 2 de junho de 2015

Dani Atkins - Uma Curva no Tempo



Ficha técnica: Uma Curva no Tempo (Fractured)
Autora: Dani Atkins
Editora Arqueiro
Lançamento original: 2009
Lançamento BR: maio/2015
240 páginas
POV: primeira pessoa - Rachel
Gênero: Romance Contemp; Chick Lit; Drama

Protagonistas: Rachel Wiltshire; Matt Randall; Jimmy Boyd
Local/ano: Londres e Great Bishopsford, Inglaterra/2008; 2013

"A noite do acidente mudou tudo... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel está desmoronando. Ela mora sozinha em Londres, num apartamento minúsculo, tem um emprego sem nenhuma perspectiva e vive culpada pela morte de seu melhor amigo. Ela daria tudo para voltar no tempo. Mas a vida não funciona assim... Ou funciona?

A noite do acidente foi uma grande sorte... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel é perfeita. Ela tem um noivo maravilhoso, pai e amigos adoráveis e a carreira com que sempre sonhou. Mas por que será que ela não consegue afastar as lembranças de uma vida muito diferente?"


Imagine-se vivendo entre o presente e o... presente, mas cada um deles sendo num foco diferente? E se a pessoa que você conhece há anos, inclusive trabalha junto, não o conhecesse mais? E se as perdas que você tivesse sofrido na vida pudessem ter sido deletadas como um simples piscar de olhos?

Rachel quer colocar para fora tudo que aconteceu nos últimos anos e para isso, talvez, escrever seja a resposta mais eficaz.

Aos 18 anos, namorando o cara que amava, prestes a partir para cursar jornalismo em outra cidade, tendo acabado de voltar de umas férias românticas com o namorado em Paris, Rachel estava feliz e sentindo que o futuro lhe pertencia.
Como despedida das férias, os amigos Matt, Sarah, Jimmy, Trevor, Phil e a recém chegada Cathy, e mais Rachel, estavam indo jantar num restaurante badalado. A casa estava cheia e a reserva deles os coloca na mesa de frente à enorme vidraça que dava na frente do estabelecimento.
Rachel estava bem e já com um pouco de saudade do que deixaria para trás. Cada amigo iria cursar algo diferente, o tempo deles ficaria escasso, apesar das promessas de amizade eterna. Fizeram o brinde de início de comemoração e num piscar de olhos tudo mudou.

Matt viu a confusão que se deu no trânsito em frente; vários carros começaram a bater numa espécie de engavetamento, mas um deles, perdendo o controle, se jogou contra o restaurante. Ele gritou alertando que todos corressem. Rachel acabou presa entre as cadeiras caídas. Num ato de desespero para salvar a amiga desde os tempos do jardim de infância, Jimmy se joga e a puxa, tirando-a do canto. O carro atravessa a parede e se choca contra os dois. Rachel, atordoada e coberta de sangue, mal consegue ver o corpo do amigo debaixo do que antes era a mesa em que estavam sentados...

Cinco anos se passam e Rachel está para voltar à sua cidade natal, Great Bishopsford, para o casamento de sua melhor amiga Sarah.
Ela conseguira se livrar do cargo de dama de honra, usando sua enorme cicatriz no rosto (em forma de relâmpago, que ia da testa à bochecha) como desculpa, mas ela não teria como se furtar de ir ao evento.
As comemorações já começariam na sexta, quando teria um jantar de despedida de solteira reunindo os velhos amigos da escola. Seria o primeiro encontro deles num restaurante desde o acidente.

O clima tentava ser o de mais camaradagem possível, mas Rachel podia sentir que todos estavam pisando em ovos. Seria por conta da cicatriz dela? Por que Jimmy não estava lá? Por que Matt e Cathy agora formavam um casal?
Alegando uma enorme dor de cabeça, o que era verdade, Rachel sai da festa mais cedo, mas acaba tendo Matt por companhia já que ele se oferecera em levá-la de volta ao hotel.
Na conversa tensa no carro, Matt diz que o que ele tem com Cathy não é nada sério, que Rachel não pode se esconder num mar de autopiedade, que Jimmy, que a amava, não ia querer isso...

Oi? Como assim Jimmy a amava? Como ela não sabia disso?

Sozinha no hotel, ela precisava de respostas e resolve ir até o cemitério onde ele fora enterrado.
Chegando lá, ela fica tão emocionada ao ver a lápide do amigo, que tem uma crise. Cai no chão quase desacordada e ao quase não conseguir se levantar, descobre que perdera a visão direita e a esquerda também estava comprometida.
O que o seu médico, Dr. Whittaker, temia em relação às dores de cabeça era isso, uma recaída séria. Buscando ajuda fora do cemitério, ela vê tudo escurecer...

Rachel acorda horas depois no hospital, tendo seu pai a seu lado. Ela sofrera uma cirurgia, mas tão logo as bandagens nos olhos foram removidas, ela estava bem. Na verdade bem demais. Ela começa a surtar por perceber que nada daquilo parecia com sua vida real. Encontrou os seus amigos, o seu pai estava bem de saúde... e Jimmy estava vivo!!!




Sim, era para deixar qualquer um louco.
Depois de muito surtar e ver que as pessoas ao seu redor se entreolhavam a cada vez que ela mencionava algo de trágico que havia acontecido com cada um, Rachel decide se dar uma chance e tentar entender o que realmente estava acontecendo.
Com todas aquelas batidas na cabeça - o acidente no restaurante havia realmente acontecido, e mais o assalto que ela sofrera, batendo com a cabeça -, ela estava sofrendo de um tipo de amnésia. Esta a fizera esquecer os últimos cinco anos.
Ela não se lembrava que havia se formado em jornalismo; ou que agora trabalhava como tal numa grande revista em Londres; ou que viajara para Paris com Matt e fora lá que ele a pedira em casamento; que tinha dado uma gata para seu pai para que ele não se sentisse tão sozinho com a partida dela; ou que seu amigo a havia salvado no restaurante mas que não morrera, apenas se machucara. Ela poderia estar sofrendo de Transtorno Dissociativo de Identidade.
Mas para Rachel não era que ela não se lembrasse dos últimos cinco anos; eles simplesmente haviam sido totalmente diferentes!!

A vida tem que seguir seu rumo e é isso que Rachel tenta fazer, mas, ao mesmo tempo, certas dúvidas precisam ser esclarecidas, e é exatamente Jimmy quem mais a apoia nessa busca à verdade.

E nesse meio tempo Sarah se casa; Rachel passa uma temporada com o pai; Matt mostra um lado que ela preferia não saber; Jimmy... bom, Jimmy é o Jimmy.

Se numa vida Rachel parece ter sido escolhida a dedo para sofrer todas as intempéries, na outra, ela consegue finalmente ter a oportunidade de conhecer o que há de bom para se viver, e, mesmo sabendo que nada dura para sempre, ainda se pode ter o eterno enquanto dure...

Antes de tudo, acho bom você se preparar...


Rachel parece ser a personificação do azar. Tudo de ruim que poderia acontecer com ela, acontece. Até que tudo muda radicalmente,e por algum tempo, você acaba se perguntando em qual universo paralelo seria melhor viver. Seria o trágico a verdadeira vida dela? Estaria ela em negação? Poderia ela realmente estar com amnésia e ter esquecido boa parte dos bons anos em que viveu?

Os amigos da época de escola poderiam não estar mais tão conectados, cada um vivendo sua vida agitada, mas agora com o casamento de Sarah seria a ocasião perfeita para se encontrarem. E o melhor, Jimmy estava realmente lá!

Com certeza Rachel tinha várias questões em sua vida mal resolvidas. e uma delas era em relação ao seu noivo, Matt. Mas uma vez que as peças começam a se encaixar, ela vê perfeitamente com quem ela deveria ter ficado desde o início.

A amizade entre Rachel e Jimmy remontava aos tempos da infância. As mães dos dois haviam sido amigas, e quando a mãe de Rachel morreu, deixando-a muito jovem, a família de Jimmy logo meio que a adotou, e a seu pai.

Passando por esse período confuso, recebendo várias informações do que havia feito, de onde trabalhava, que era de fato uma excelente jornalista, Rachel se encontrou. E se conheceu. E gostou do que viu.

Os personagens são muito bons. O enredo envolve totalmente. O ritmo é perfeito.
Pode parecer confuso em alguns momentos, mas logo o leitor se posiciona em meio ao tempo na história.
E o final? Eu disse pra pegar lenços? Eu avisei que devem ser vários?


 Não sei exatamente como classificar como me senti. Como algumas amigas leitoras costumam dizer, mesmo quando você chora, é um choro bom. Isso eu deixo a seu critério para julgar, mas definitivamente a história é linda.
E não se engane pela capa. É fofa, mas o conteúdo...





5 ESTRELAS!!!!

Sobre a autora




Nenhum comentário:

Postar um comentário