segunda-feira, 22 de junho de 2015

Maratona Rom Históricos: Sarah MacLean - Entre o Amor e a Vingança (O Clube dos Canalhas #1)







Ficha Técnica: Entre o Amor e a Vingança (A Rogue by any Other Name)
Autora: Sarah MacLean
Editora Gutenberg LANÇAMENTO
Lançamento original: fevereiro/2012
Lançamento BR: 2015
304 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de Época; Chick Lit

Protagonistas: Michael Henry Stephen Lawler, Marquês de Bourne e Lady Penélope Marbury
Local/ano: Surrey; Londres, Inglaterra/1821; 1831


"O que um canalha quer, um canalha consegue... Uma década atrás, o marquês de Bourne perdeu tudo o que possuía em uma mesa de jogo e foi expulso do lugar onde vivia com nada além de seu título. Agora, sócio da mais exclusiva casa de jogos de Londres, o frio e cruel Bourne quer vingança e vai fazer o que for preciso para recuperar sua herança, mesmo que para isso tenha que se casar com a perfeita e respeitável Lady Penélope Marbury.

Após um noivado rompido e vários pretendentes decepcionantes, Penélope ficou com pouco interesse em um casamento tranquilo e confortável, e passou a desejar algo mais em sua vida. Sua sorte é que seu novo marido, o marquês de Bourne, pode proporcionar a ela o acesso a um mundo inexplorado de prazeres. Apesar de Bourne ser um príncipe do submundo de Londres, sua intenção é manter Penélope intocada por sua sede de vingança – o que parece ser um desafio cada vez maior, pois a esposa começa a mostrar seus próprios desejos e está disposta a apostar qualquer coisa por eles…

…até mesmo seu coração."



Um dia de azar. Quando a sorte parece bater à sua porta de forma tão inesperada e avassaladora e quando você dá por si, percebe que fez a pior jogada de sua vida...e pôs tudo a perder.



Bourne foi levado a acreditar que aquele era seu dia de sorte. Já havia ganhado tanto no jogo... mas o seu guardião, o Visconde de Langford, o fez ir além e, com isso, Bourne perdeu o que mais lhe era caro na vida, a propriedade Falconwell.
Aos 21 anos Bourne amargava a derrota no jogo 21. Ironia do destino. Envergonhado, ele partiu deixando a casa da família para trás, assim como os seus amigos. E durante anos ninguém mais ouviu falar dele.

Penélope Marbury era vizinha de Michael, filho de Marquês de Bourne. Ela e Tommy, outro vizinho e filho do Visconde de Langford, eram inseparáveis nas bagunças. Quando Michael partiu para estudar em Eton, ele e Pen continuaram a se comunicar por cartas. Até que ele parou de lhe responder. Até que ela parou de escrever.

Nas cartas, Penélope lhe contava tudo, desde suas estripulias com Tommy, de como sentia falta de Michael, até sobre como andava sua temporada, sua apresentação à Sociedade londrina.
Sim, ela havia sido considerada a bela da temporada e por sorte, e felicidade de sua mãe, ela conseguiu conquistar ninguém menos do que o Duque de Leighton, que vinha de uma linhagem impecável e se orgulhava disso (a respeito desse duque, a história dele se passa em outro livro, que será lançado pela Editora Arqueiro, da série LOVE BY NUMBERS).

Por um acaso do destino, Penélope acabou ficando a ver navios quando o duque a trocou por uma outra mulher ("uma mulher de cabelos negros. Elas sempre têm cabelos negros..."), casando-se com esta em uma semana, e deixando a reputação de Penélope completamente manchada - mesmo que o pai de Penélope quem tenha terminado o noivado da filha por conta de um escândalo - NO SPOILER - a sociedade não perdoava a mulher; a culpa era sempre dela. 

E os anos se passaram e os pedidos de casamento à mão de Penélope foram diminuindo.
Por causa do escândalo com seu nome, suas outras irmãs acabaram sendo afetadas. Duas delas, as gêmeas Victoria e Valerie, casaram-se com homens de títulos mas que, na opinião de Penélope, elas poderiam ter arrumado algo melhor. Agora ainda havia as outras duas mais novas, Olivia e Philippa (Pippa), que estavam no mercado de casamento. Olivia culpava Penélope por sua falta de pretendentes e Pippa, focada mais em seus estudos científicos do que propriamente em ser cortejada, estava conformada em ter Lorde Castleton fazendo-lhe a corte, mesmo que ele fosse um tanto insípido (para não dizer burro) para ela.

Aos 28 anos, já há algum tempo Penélope não poderia ser considerada a primeira escolha de alguém.
Querendo reverter essa situação, seu pai, o Marquês de Needham e Dolby, aumentou ainda mais o dote da filha, acrescentando a ele Falconwell; terras que havia adquirido num jogo de cartas do Visconde de Langford.

Dez anos após a vergonha que passou, Bourne agora era um homem três vezes mais rico do que no passado.
Ele era um dos sócios de um dos cassinos mais famosos - e infame - de Londres, o Anjo Caído.

O local era administrado por 4 sócios: Bourne; Temple; Cross e Chase. Este último foi o responsável em unir os outros nobres, antes jogados à sua própria sorte, para erguerem uma das casas noturnas mais frequentadas e cobiçadas da cidade.
O Anjo Caído não tinha apenas a parte da jogatina, mas também luta e muito romance proibido, inclusive para as damas.

Mas apesar de toda essa riqueza, nada tirava da mente de Bourne recuperar suas terras e se vingar de Langford, já que ele tinha certeza que o homem havia trapaceado.
Ao saber que as terras agora pertenciam ao dote de uma antiga amiga, Bourne não pensa duas vezes em como consegui-las. Se ele tivesse que receber uma esposa na barganha, que fosse. E assim, ele deu início ao seu plano.

Presa na arapuca plantada por Bourne, Penélope acaba por aceitar a proposta dele, mas antes faz uma contraproposta. Preocupada em como o casamento deles poderia afetar mais ainda suas irmãs, ela pede a ele que espalhem uma história de amor de infância que os fez se reencontrar e finalmente dar vazão aos sentimentos. Dessa forma, através de seus contatos, Bourne começa a odisseia em provar a todos o quão apaixonados eles estavam, com direito a dança escocesa, visco e pudim de figo...



Se a primeira parte de seus planos tinha sido concretizada - recuperar Falconwell -, faltava a vingança. E esta veio inesperadamente através de seu sogro. Bourne teria como acabar de vez com a reputação de Langford, mesmo que para isso tivesse que arruinar uma outra pessoa inocente. E isso, Penélope jamais permitiria.

Seu casamento com Bourne, - ou Michael, como ela preferia chamá-lo -, era de conveniência, ela sabia disso, mas ela queria transformá-lo em algo mais. Ela queria a mesma chama no olhar que ela vira o duque de Leighton dar à esposa, ela queria a aventura. E se o amor não pudesse existir, que ela vivesse a aventura então... E ir ao Anjo Caído fazia parte do roteiro...



Convivendo com Penélope, Bourne teria que escolher que caminho cruzar. Ele estava ciente que não poderia ter uma esposa como ela a seu lado e ainda assim prosseguir com a vingança. Mas Pen sabia quem ele era desde o início. A vingança, o rancor foram sua força a seguir em frente e sobreviver. Algo que nem mesmo o amor de sua esposa poderia demovê-lo de alcançar...



CA-RA-CAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!
Que livro é esse????

Não consegui largar, juro que tentei, mas os personagens são envolventes demais para isso.
O enredo também te prende com situações que supreendem quando uma coisa puxa a outra.

Os 4 sócios são uma coisa de louco. Não poderiam ser mais diferentes e, ao mesmo tempo, mais parecidos.
Três deles são nobres e têm uma história que os colocou à margem da sociedade no qual foram criados. Agora eles viviam no submundo. Eram mais ricos do que muitos nobres que frequentavam sua casa de jogos, mas sabiam que suas famas não eram as melhores. E na verdade, não davam a mínima para isso.

Um marquês, um conde e um duque... e um misterioso.

Ahhh!! O quarto livro sim tem muito mais a revelar!!!

Penélope também é uma protagonista que surpreende. Ela entende o jogo em que está metida, sendo apenas uma peça no grande jogo da vida, em que os jogadores - os homens - jogam a seu bel prazer e não se preocupam - ou pelo menos nem sempre - de que forma aquele jogo se repercutirá em sua vida. Primeiro seu pai querendo casá-la de qualquer maneira; depois o duque que, por se apaixonar por outra mulher, esqueceu o que isso acarretaria à vida dela; e agora Michael.

Suas irmãs também acabavam por ser um fardo maior ao saber que por sua culpa, as chances de um bom casamento para elas diminuía. Se Penélope queria algo mais para si, ela também queria dar essa chance a elas.

E apesar de a princípio ela se mostrar tão resignada em sua situação, com o passar do tempo, ela mostra sua força e luta pelo que quer.

Entre o Amor e a Vingança nos transporta a Londres do séc XIX, em meio a amores de infância, vinganças antigas, amizades inesperadas e segredos infames e todos os ingredientes que nos deixam sem fôlego e só comprovam o grande talento de Sarah MacLean. Uma série para suspirar, sonhar, sorrir e se emocionar, e acompanhar de perto a cada lançamento.


+ 5 ESTRELAS!!!


Sobre a autora


Goodreads  | Facebook  |  Website  |  Twitter


*ARC cedido pela editora em troca de uma resenha de opinião honesta.
**Gravura de Jon Paul Ferrara: www.jonpaulstudios.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário