terça-feira, 25 de agosto de 2015

ESQUENTA BIENAL | Julia Quinn - O Conde Enfeitiçado (Os Bridgertons #6)



Ficha técnica: O Conde Enfeitiçado (When He was Wicked)
Autora: Julia Quinn
Editora Arqueiro
Lançamento original: 2004
Lançamento BR: agosto/2015
304 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de época; Chick lit

Protagonistas: Francesca Bridgerton e Michael Stirling
Local/ano: Londres; Escócia; Índia/1820; 1824

"Toda vida tem um divisor de águas, um momento súbito, empolgante e extraordinário que muda a pessoa para sempre. Para Michael Stirling, esse instante ocorreu na primeira vez em que pôs os olhos em Francesca Bridgerton.

Depois de anos colecionando conquistas amorosas sem nunca entregar seu coração, o libertino mais famoso de Londres enfim se apaixonou. Infelizmente, conheceu a mulher de seus sonhos no jantar de ensaio do casamento dela. Em 36 horas, Francesca se tornaria esposa do primo dele.

Mas isso foi no passado. Quatro anos depois, Francesca está livre, embora só pense em Michael como amigo e confidente. E ele não ousa falar com ela sobre seus sentimentos – a culpa por amar a viúva de John, praticamente um irmão para ele, não permite.

Em um encontro inesperado, porém, Francesca começa a ver Michael de outro modo. Quando ela cai nos braços dele, a paixão e o desejo provam ser mais fortes do que a culpa. Agora o ex-devasso precisa convencê-la de que nenhum homem além dele a fará mais feliz."

Diferente dos outros livros da série, neste nossa protagonista já encontrou o amor da sua vida, e não foi na infância.
Francesca Bridgerton encantou-se com John Stirling, conde de Kilmartin, escocês, e o encantamento foi mútuo. Logo eles firmaram um compromisso e casaram-se, mudando-se para as terras dele na Escócia.
Francesca, de todos os filhos de Violet, sempre foi a mais reservada. Como o resto da família, ela era muito bonita, com seus olhos azuis profundos e seus cabelos castanhos avermelhados. Seu jeito não era o mais expansivo, mas sim de uma inteligência mais irônica e sarcástica.
Ela foi bem aceita pela família Stirling. Muito-bem-aceita por sinal.

Michael Stirling, primo de John, pouco tempo mais velho, mas não o herdeiro do condado; conhecido como o Devasso Alegre, sempre se orgulhou da fama que tinha. Até ter seu coração estraçalhado pela flexa do cupido em relação à esposa de seu primo.
Com tanta mulher no mundo para ele se apaixonar, tinha que ser justamente por Francesca?

E ele e John sempre foram tão unidos, praticamente irmãos, isso não estava certo.
O casal se amava, qualquer um poderia ver isso, e era um tormento ficar perto dela sem poder tocá-la da maneira que ele queria fazê-lo. Mas ainda assim ele matinha a fachada de devasso, aquele que não queria compromisso, e Francesca tomou para si a tarefa de arrumar-lhe uma noiva. Quem sabe sua irmã Eloise?

Aos 2 anos de casamento, o casal seguia feliz e apaixonado, mas ainda sem herdeiros.
Numa tarde, Francesca saiu para passear com Michael, já que John estava com dor de cabeça e precisava descansar para um encontro político à noite, e quando retornou teve seu mundo virado do avesso. Seu amado marido havia morrido enquanto dormia.
Nesse mesmo período Francesca acaba sofrendo um aborto espontâneo, apesar do cuidado que as duas famílias tomavam com ela.
E assim, Michael virou herdeiro de John e seu sucessor ao título.

Imagina a situação dele, sempre se dera bem com o primo, nunca o invejara, e de repente se vê dono de suas terras, seu título, responsável em tomar conta da família... A única coisa que Michael não se permitia possuir era Francesca e, assim, ele se afasta dela e parte para as Índias, deixando-a como administradora das terras Kilmartin.

Quatro anos depois, aos 26 anos, Francesca se dá conta de que quer ter um filho e para isso precisava de um marido. Ela decide voltar a Londres mais cedo para se preparar para essa empreitada.
Michael acha que agora ele já tem condições de encarar Francesca e opta por ir direto para Londres, ao invés de passar pela Escócia. E é na casa Stirling em Londres que ambos acabam se encontrando de madrugada.

Para manter as aparências e bons costumes, Francesca, então, se muda para a casa da mãe. Numa noite em que Michael deveria aparecer para jantar com as Bridgertons e não comparece, Francesca preocupada vai averiguar o que houve e o descobre de cama, com febre, por conta da malária. Esta de tempos em tempos reaparece numa nova crise, mas ele não queria que ninguém soubesse.

Nesse ínterim, no reencontro dos dois, Francesca se dá conta de que Michael não havia apenas mudado na aparência (estava mais moreno pelos anos vivendo numa terra ensolarada). Aos olhos dela ele não era mais somente o primo de John... Ele era um homem! De boa aparência, educado, inteligente, cavalheiro e com um título.
Por outro lado, em seu retorno, Michael se dá conta de que seus sentimentos por Francesca não haviam mudado em nada, mas ele continuava com a resolução de não tomar para si a "esposa" do primo.

O baile de aniversário de Violet Bridgerton chega e Francesca decide abandonar o meio-luto. Sua aparição vestindo azul, que combinava com seus olhos, foi demais para Michael.
Para não parecer que ela não o aceitava como o novo conde, dizem as regras que ela deveria socializar com ele, e nisso, eles acabam se estranhando.

"Eu estou sempre observando você..." (pag. 168)

No dia seguinte, a sala da mãe dela estava abarrotada de flores. Novos candidatos à sua mão. E agora havia um duplo chamariz: ambas as famílias (Bridgertons e Stirlings) iriam providenciar dote para ela.

Como cabeça da família Stirling, Michael passa a ser assediado no clube por outros cavalheiros querendo confirmar a disponibilidade de Francesca (e seus dotes, no plural). Isso aborrece sobremaneira a Michael, e o mais observador dos Bridgertons, Colin, repara nisso e o aconselha a se casar com Francesca antes que alguém cruel o faça.

Por mais que eles tentem evitar, o desejo enclausurado há tanto tempo torna inevitável que aconteça o primeiro beijo. Assustada com o conflito de seus sentimentos, Francesca acaba fugindo de Michael e retorna à Escócia.
Mas agora, ele estava decidido a conquistá-la. Ele segue atrás dela e por um tempo eles mantém um jogo de sedução. Mas isso não era o bastante. Ele a queria para si totalmente, mente e corpo. E mesmo que a convencesse a se casar com ele, ele precisava ter certeza de que a felicidade dela estava assegurada...

"Francesca não precisava amá-lo. Mas tinha de se sentir livre. Livre para ser feliz.
Porque se não estivesse feliz...
Bem, isso o mataria. Podia viver sem o seu amor, mas não sem a sua felicidade."  (pag 282)

E em meio a disputas, reconciliações, descobertas, Michael e Francesca buscam a aprovação da pessoa que ambos amam e passam, desta forma, a contemplarem a verdadeira felicidade que almejam e sabem que juntos podem encontrar...



Por alguma razão eu achei que este volume foi o mais distinto de todos.
O ritmo é um pouco diferente porque o casal a princípio não estava junto e não eram solteiros sem compromissos para almejar estar. Na cabeça de Michael, eles NUNCA estariam.
Quando Francesca começa a se sentir "estranha" ao estar perto de Michael, o primo querido de John, aquele que ela amava como a um irmão, o mundo parece não fazer mais sentido. Era um turbilhão de emoções, e ela preferiu fugir a encarar isso tudo.
Mas logo Michael a segue até a Escócia e eles não conseguiam ficar longe um do outro por muito tempo.
E quando os sentimentos finalmente são aceitos há mais um obstáculo: John.
Ele seria sempre uma lembrança viva naquela casa. A casa e terras que eram DELE.
Isso também os dois tiveram de trabalhar em seus corações.

É um romance mais maduro. Uma segunda oportunidade.
A trama é linda. 
Os personagens, conhecidos. Apesar que aqui os Bridgertons não aparecem tanto quanto nos outros.
O final, perfeito.

Mas daí, eis que surge nas redes sociais o lembrete de que a autora, tempos depois de lançar a série original, escreveu um segundo epílogo para alguns dos livros.
Este aqui ganhou um também.
Dá para perceber lendo este livro que Francesca tem um certo problema para engravidar, diferente de seus irmãos. Até mesmo Eloisa, mais velha nove meses que Francesca e se casando depois, engravida primeiro que ela. Isso vai causando uma tristeza profunda nela, e não há nada que Michael, ainda muito apaixonado, possa fazer pela esposa.
Mas daí, há um acontecimento e o segundo epílogo é a coisa mais emocionante que você poderia ler.




Merecido mais do que 5 ESTRELAS!!!
Lembrando que a autora já se encontra no Brasil, fazendo turnê por algumas capitais, e em breve estará no RJ, na bienal.

Faltam 09 dias para a Bienal/RJ




Nenhum comentário:

Postar um comentário