sábado, 19 de setembro de 2015

[Espólio Bienal 2015] Luna Bravin - Ligue-me Amanhã



Ficha técnica: Ligue-me Amanhã
Autora: Luna Bravin
Editora Bezz
Lançamento: 2015
130 páginas
POV: primeira pessoa - Evelyn
Gênero: Romance Contemporâneo; Chick Lit

Protagonistas: Evelyn Drummond e "Estranho"
Local/ano: NY; Florianópolis; Bahia; RJ; MG; SP; Polinésia/atual

"Evelyn mudou-se para os Estados Unidos aos 17 anos, no último ano de escola para fazer intercâmbio. Por causa de um garoto e da qualidade de ensino por lá, ela nunca mais voltou. Entrou para a mesma faculdade que seu peguete e acabaram por namorar sério, até noivarem três anos antes do final da faculdade -- prometendo a si mesmos que casariam após a formatura. Com 24 anos, vestida de noiva e ansiosa para a cerimônia, Evelyn é largada no altar ao que James, seu noivo (agora ex), foge com seu caso de três anos.
Sem reação apropriada, Evelyn troca suas passagens de lua-de-mel para uma na classe executiva e volta para seu país. Quando chega ao aeroporto e decide beber um café para acordar, ela, sem querer, acaba trocando seu aparelho de celular com o homem que sentava ao seu lado. Numa tentativa de descobrir quem está ligando atrás dela e o que fazer agora que seu namoro e noivado de anos acabou, ela começa a importunar o estranho que, agora, está com seu celular e que, infelizmente, não vai voltar logo dos Estados Unidos. Evelyn terá que enfrentar as amizades que deixou para trás e descobrirá que perdas dolorosas podem trazer um final feliz, no fim das contas."

Aos 17 anos, Evelyn sai de sua cidade, Florianópolis, para fazer um intercâmbio na cidade que nunca dorme, Nova York.
Lá, ela conhece James e acha que ele é o grande amor de sua vida. Por conta disso, a possibilidade de voltar para o Brasil cai drasticamente.
Sete anos e meio de relacionamento depois, Evelyn é, literalmente, abandonada na porta da igreja, mas não antes de, na noite anterior, ainda ter transado loucamente com aquele que logo seria seu marido.

Nos últimos três anos James manteve um outro relacionamento e foi com essa pessoa que ele covardemente fugiu e deixou Evelyn sozinha para encarar a vergonha perante os convidados.

Desesperada por ter remodelado toda sua vida por conta de um amor que ela achava ser para sempre, ela pega o primeiro voo de volta ao Brasil, deixando na igreja até mesmo os seus pais que haviam ido para seu casamento e um período de férias.
No aeroporto, já no Brasil, ela para para um cafezinho e depois parte para casa, e somente quando chega lá, ela decide ligar o celular e ver se o desgraçado fujão havia mandado alguma mensagem ou tentado ligar para ela.

E qual a sua supresa ao descobrir que seu celular não era o seu celular!!!

COMO ASSIM???

Ela liga para o próprio celular e um cara atende. Acontece que ele estava no aeroporto na mesma cafeteria que ela, e, provavelmente, como seus telefones eram do mesmo modelo, acabaram fazendo a troca sem querer. Só que o cara, apelidado por Evelyn a partir de agora de Estranho, estava de partida para os Estados Unidos sem data para voltar.
Ela conta para ele o que lhe aconteceu nas últimas horas e o quão importante era para ela ter qualquer notícia do ex. O Estranho promete mantê-la informada. E a partir daí, eles criam um vínculo, uma rotina de sempre se falarem e o Estranho se despede dizendo "ligue-me amanhã".

Numa próxima ligação percebendo o quanto Evelyn estava estressada, ele sugere que ela visite uma pousada. Lá, ela se vê num local humilde, usado para pessoas que buscam paz na pescaria. Já que estava lá, por que não tentar? E no meio do papo com seu guia, Evelyn descobre que aquele local pertence aos pais de um amigo seu. E o mais triste, ela descobre que esse amigo, Eduardo, havia morrido.

Evelyn, Isa, Eduardo e Catarina eram inseparáveis nos tempos do colégio. Quando Ev partiu para o intercâmbio, ela perdeu contato com todos. Isa virou psicóloga; Catarina, advogada, e Eduardo se entregou às drogas e morreu de overdose.
Através do pai de Edu, Ev fica sabendo da luta da família em ajudar o filho colocando-o numa clínica de recuperação após outra, até que o mandaram para uma na Europa, consumindo todas as economias da família. De lá, receberam uma carta comunicando da morte dele e de seu desejo em ser cremado. A família, então, recebeu suas cinzas tempo depois.
Também com os pais de Edu estavam todas as cartas que ele havia escrito para Ev mas que nunca chegaram a ela. Ao lê-las, Ev fica sabendo o que parece que todo mundo sabia, menos ela: que Eduardo era apaixonado por ela e sentia sua falta; sua luta contra as drogas e quando finalmente pareceu desistir de tudo.

Evelyn procura suas amigas do tempo do colégio e partilha com elas essa triste notícia, assim como as cartas de Eduardo. Numa dessas cartas, ainda não lida por ela, havia um último pedido: ele queria que suas cinzas fossem jogadas em diferentes locais:

Catedral Basílica da Sé;
Igreja Matriz de Sto Antônio;
Igreja de Nsa. Sra. de Ó;
Igreja e Convento de S. Francisco;
Mosteiro de São Bento;
Cristo Redentor.

Querendo encontrar um novo propósito para sua vida, virar a página de seu relacionamento longevo e fracassado, com o apoio de suas duas amigas e, agora também, do Estranho, Ev tem uma nova aventura à sua frente.

A viagem começa e o contato com o Estranho torna-se diário. Através dele, ela fica sabendo que: James a queria de volta; James ia jogar as coisas dela fora; James ia processá-la por perdas e danos.

Evelyn pensava cada vez menos em James e cada vez mais no amigo perdido e na estranha conexão que desenvolvera com aquele estranho de voz bonita, riso gostoso e frases de efeito que a faziam se sentir uma adolescente.

Numa das etapas da viagem feita de carro, elas acabam atropelando um animalzinho. Ele é resgatado e elas o levam a um veterinário local e acabam por conhecer Artur, o veterinário, que fica interessado em Isa e passa a ser o guia delas naquela cidade.

Partindo do Sul e indo a tantos lugares pelo país, Evelyn se depara com mais do que uma simples aventura.
Toda essa aventura acaba sendo um período de auto-conhecimento para Evelyn. Ela começa a enxergar valores que havia esquecido com seu deslumbramento ao partir para o intercâmbio e ver-se apaixonada por James.
Evelyn resgata a amizade das amigas; conhece lugares que foram importantes na vida do amigo perdido; reencontra James e percebe que para ele agora só havia desprezo. E no final dessa estrada, Evelyn encontra o que achava nunca mais ser capaz de sentir, o significado do verdadeiro amor.



Como um livro com tão poucas páginas consegue mostrar tanto, foi uma surpresa para mim.
O enredo é bem elaborado e tem várias cenas engraçadas, mas creio que a cena romântica final é a que pega o leitor de vez. Sem cliffhanger. Personagens interessantes, em especial o Estranho.
De um momento de total infelicidade - vergonha, embaraço -, Evelyn termina com a melhor das lições: de que aquilo que você precisa pode estar mais perto de você do que você imagina.

Uma linda história de amor, com todos os clichês de um chick lit, e seu gostoso final feliz.
É um livro que você termina de ler feliz e suspirando.

#amizade  #descobertas  #surpresas  #fuga  #sequestro  #medo  #salvação  #amor

5 estrelas.

Sobre a autora >> Facebook

Um comentário:

  1. Nossa, tô chorando aqui!
    Caramba. Parece que já li o livro e estou aqui completamente apaixonada por esse 'estranho'.
    O final feliz foi com ele? Será?
    Pois bem. Agora preciso ler esse danado, de cabo à rabo, para ler esse final feliz.
    Amo livros assim; com perdas, desilusões, sofrimento, mas que no final das contas, contribuem tanto para o crescimento pessoal dos personagens.
    Vai pra listinha, com toda certeza!

    ResponderExcluir