quinta-feira, 8 de outubro de 2015

[ESPÓLIO BIENAL 2015] Carina Souza - Reflexo do Amor (Storm Black #1)




Ficha técnica: Reflexo do Amor
Autora: Carina Souza
Editora Bezz
Lançamento: 2015
286 páginas
POV: primeira pessoa - Karen e Chris
Gênero: Romance Contemporâneo; Chick Lit

Protagonistas: Nina "Karen" Werner e Chris Carter
Local/ano: SP; RJ/atual

"Será que os olhos sempre enxergam a verdade? Talvez não, pois, quando me deparo com meu reflexo no espelho, vejo toda a dor e mentira que carrego nos ombros. Só percebi a verdade quando o vi cantando naquele palco. Fugi com medo de algo que não poderia controlar! Se ele olhasse de perto para mim, mal teria condições de saber que não se foge daquilo que o destino decide juntar. Ele faria com que eu encarasse meu reflexo e revelasse minha alma. "


Nina Werner. Linda. Modelo. Pele branca, olhos cor de mel, cabelos negros. Quem vê cara, não vê coração, e não sabe o inferno que é a vida dela.
Kátia Barcellos. A mãe. Empresária da filha que não quer perder a mordomia que o dinheiro da filha traz. Casada com Hélio, que ficou desaparecido por uns tempos devido a dívidas, mas agora retorna tentando reaver seu casamento com Kátia.
Isabela. Amiga e assessora particular de Nina.

Cumprindo um contrato, Nina deveria ir a uma festa, onde o show dos Storm Black aconteceria e depois eles fariam fotos promocionais. Mas assim que ela ouve os acordes da banda, algo de estranho acontece com ela. Ela sente uma ligação com aquela letra e isso, de certa forma, a assusta. Ignorando o que poderia acontecer depois, Nina vai embora.

Mas ela precisa fugir de seus pesadelos, e assim, ela acaba indo numa "festinha" com um conhecido seu que lhe fornece drogas. Nina quer esquecer. Nina toma uma overdose. E agora só há escuridão...

A banda Storm Black é composta pelo vocalista Chris; Will, seu irmão e baterista; Issam, um descendente de árabes, tatuado, e totalmente viciado em tecnologia; e Natan, ou Nate, o verdadeiro "comedor" da banda.
O show acaba e a parte do contrato em que eles deveriam tirar fotos com a grande modelo do momento não pode ser realizada porque a tal modelo desapareceu. Com muita raiva, Chris diz que não quer saber da talzinha, que provavelmente é uma patricinha mimada.

Nina acorda de sua overdose. Descobre que sua mãe havia interditado os seus bens e ela seria mandada para uma cliníca de desintoxicação de um amigo de Hélio.
O grande problema nisso tudo era que Nina queria justamente fugir dele.
Desde que ela tinha 8 anos Hélio a assediava. Nunca chegou às vias de fato porque não queria deixar provas, mas havia o tormento psicológico, além de se masturbar na frente dela.
Óbvio que a tonta da Kátia nada sabia e estava ocupada demais infernizando a filha para não esquecer os compromissos para reparar no marido pedófilo.

Nina, ou Karen, como prefere ser chamada - seu nome real - faz amizade na clínica com Raquel. Esta arma com um enfermeiro a fuga das duas, mas isso iria precisar de dinheiro. Karen entra em contato com Isabela, que arruma o dinheiro.

As duas fogem numa noite de falso blackout e vão para o RJ, onde a avó de Raquel mora.
Lá, Karen precisa trabalhar. Um trabalho de babyssiter de uma família rica surge e ela pega.
Ela vai tomar conta da pequena Valentina, filha de Pâmela, que por acaso é irmã de Chris e é ele quem paga as contas da família toda.

Chris adora a sobrinha e sempre que pode, que está fora de época de turnês, ele a leva para sua casa. A babá vai junto, e assim, eles se encontram,
Mas até então Chris não sabia que Karen e Nina Werner eram a mesma pessoa, Ele se encanta com ela. E como ela havia mudado a aparência, cortado o cabelo e clareado, ele a chama sempre de Raio de Sol.

O interesse é demonstrado desde o início, quando ele não a coloca na ala dos empregados, mas num quarto próximo ao dele, com a desculpa de que Valentina poderia precisar dela durante a noite.
Eles se encontram num show da banda, na qual ela vai com Raquel mas não a convite dele e sim de outro rapaz da banda. Chris fica possesso por isso; ele não queria o seu Raio de Sol misturado com aquelas piriguetes, muito menos chamando atenção de outros caras.

As brigas dos dois são homéricas. Ela porque não queria chamar atenção da imprensa e ser descoberta por sua mãe e padrasto. Ele porque estava a cada dia mais apaixonado e não queria dividi-la com os outros.

E os dias passam, e Karen tem de lidar com a mãe escandalosa; o padrasto mau caráter; as piriguetes que se acham donas de Chris; com uma prima dele menor de idade mas que acha que ela quem deve ser a Sra. Chris. E com isso, as várias confusões são armadas.

O enredo é fofo. Um grande romanção disfarçado em livro sexy.
O casal passa por muitas coisas até finalmente ficar junto, uma coisa meio novela mexicana.
O ritmo é bom.
A capa é bonita.
Não tem cliffhanger.
Interessante final ao(s) algoz(es).

Tem um erro na descrição da personagem. No início do livro diz que ela é morena, mas o tempo todo adiante ela recebe apelidos por ser branca demais ("Raio de Sol" e "Boneca de Porcelana"). Além disso, o livro não traz a sinopse nem na contracapa, nem na orelha. Ou seja, numa loja, você quer conhecer do que se trata a história e não tem como.

4 estrelas.

Sobre a autora






Nenhum comentário:

Postar um comentário