segunda-feira, 19 de outubro de 2015

[ESPÓLIO BIENAL] Patricia Dias - Quando te vi, Amor



Ficha técnica: Quando te vi, Amor
Autora: Patricia Dias
Editora Bezz
Lançamento: setembro/2015
560 páginas
POV: terceira pessoa (prólogo) e primeira pessoa - Lexie
Gênero: Romance contemporâneo; Chick Lit; Drama

Protagonistas: Lexie e Giovanni Polli
Local/ano: NY; Portugal/2008; 2012

"Lexie foge há quatro anos das suas escolhas, de menina prodígio de Wall Street passa a ser apenas uma americana numa aldeia do norte de Portugal que vive contando as poucas pessoas que ela permite que entrem na sua vida, fugindo do passado e escondendo-se da sua natureza.
Está perto dos trinta, sem objetivos.
Vive os seus dias a passear com seu cão, a receber a visita de Susi e visitas sexuais do seu "amigo" David.

Gio não escolheu, a vida não lhe deu essa hipótese, simplesmente o brindou com uma doença degenerativa. De restaurador de arte e pintor promissor, passa a ser uma pessoa doente.
E achando ser a ultima oportunidade de sua carreira, abandona Florença acompanhado pelo seu amigo de anos, Miguel , vem encontrar uma Lexie ermida, que o fascina e o desafia.
A caminhada de Lexie acontece com aquela mão quase invisível de Gio, que a faz perceber que o seu crescimento e sua aceitação dependem de ter almas iluminadas, como a dele, por perto, pois, são nos erros e no sofrimento de quem a acompanha que aprende a conviver com os seus fantasmas e reaprende a viver."

"Você é livre para fazer as suas escolhas, mas é prisioneiro das suas consequências." Pablo Neruda

Destruída. É assim que Lexie se encontra ao abrir a porta e ter de encarar seu irmão Marcus e sua melhor amiga Theresa.
A cena não poderia ser a pior: seu apartamento todo revirado, cheirando a bebida, caixas de comida e outras substâncias não tão inocentes assim. Mas o duro de tudo isso foi o que os dois encontraram no outro cômodo da casa.

Decepção. Isso não foi sentido só por Marcus e T, mas pela própria Lexie. Ela sabia que estava se destruindo e na cabeça dela, o motivo para tal ato era forte demais.
Arrastada pelo irmão, ela foi levada para uma clínica de reabilitação. Para em poucos dias sair de lá pelo choque ao receber a notícia da morte de um ente querido.
A reabilitação dela teria de se dar de uma outra forma, em outro lugar. Longe de tudo que a lembrasse daquela tristeza tamanha que ela mal conseguia carregar no peito. E assim, ela parte para Portugal...

Uma casa grande para uma pessoa só. Uma herança. De companhia apenas o seu cão, Eros, que teimava em lhe lamber a cara todos os dias para acordá-la, fazê-la alimentá-lo e irem passear.
A vida de Lexie estava mais tranquila. Os fantasmas do passado ainda a assombravam, mas estavam mais longe.
A vida era pacata, com seu trabalho de tradução - coisa que poderia fazer online, sem ter contato com novas pessoas -, a amizade com Susi e ouvir uma ou outra fofoca da cidade através da senhora que tomava conta da mercearia local.

A vida não era perfeita, mas para Lexie, estava melhor do que o tumulto em NY.
A quinhentos metros de sua casa havia uma outra casa, que logo apareceram novos moradores.
À primeira vista, segundo as más línguas, havia dois homens e um velho morando lá. Mas depois ficou constatado que eram somente os dois homens. Gays? Era o que rolava na fofoca local.
Lexie não tinha interesse em saber; não queria ir lá dar as boas-vindas a seus novos vizinhos.
Mas o carteiro local fez uma confusão - e isso parece que ele fazia com frequência -, e deixou uma caixa na casa dela que pertencia ao novo vizinho.
Susi, curiosa em querer saber mais sobre eles, fez Lexie abrir a caixa, e no final, confusão. Não houve como recuperar a caixa e tiveram que colocar o conteúdo em saco plástico para devolver a ele.
Um dos conteúdos da caixa eram umas fotos, de vários locais pelo mundo. Mas o mais importante era que um dos caras da foto era lindo, e a partir daí Lexie começou a chamá-lo de deus italiano de olhos verdes.

Tudo seria até engraçado se o tal "deus" não tivesse visto tudo pelo binóculo e ainda escutado as duas à sua porta quando foram entregar a encomenda violada.
No dia seguinte, uma visita a Lexie. Os vizinhos.

O deus italiano se chamava Giovanni Polli, ou Gio. O outro, muito mais simpático, se chamava Miguel. Com este a conexão foi instantânea; a conversa fluiu super bem. Já com Gio...

Mas numa cidade pacata, em que praticamente nada acontece, que tal se divertir atormentando a nova vizinha? E foi exatamente isso que Gio começou a fazer.
A relação Lexie-Gio oscilava entre "só suporto você pelo Miguel" a "tenho vontade de te matar"; mas nesse meio tempo, eles tinham alguns assuntos agradáveis a tratar. Isso sem contar que Eros adorava a companhia de Gio, e dizem que cães são bons julgadores de caráter, certo?

E lentamente a animosidade passou a uma amizade agradável; de amizade a atração; de atração a paixão arrebatadora.
Nada aconteceu de um dia para o outro. Nada de grandes milagres. E por falar em milagres, sim, Gio gostaria que este acontecesse em sua vida. 

O relacionamento cresce, mas diferente de Lexie, que fugira de NY de vez, Gio estava em Portugal apenas para passar uma temporada. E seu prazo estava terminando.
Lexie acaba descobrindo que ele precisava voltar, mas apesar da dor, ela acreditava que o que eles sentiam um pelo outro era tão forte, tão grande, que ele acabaria mudando de ideia e ficando com ela.

Portugal seria o pedaço de paraíso deles.
As dificuldades existentes poderiam ser superadas.
Restava saber até que ponto, após tantas entregas, tantos segredos do passado revelados, eles suportariam aquele que mudaria tudo e todos, e os faria mais unidos e mais fortes, ou terminaria de quebrar os cacos recém colados...



Um livro com mais de 500 páginas e que traz uma história de amor, superação, decepção, medo, angústia, chegadas e partidas.

Lexie e Giovanni não são perfeitos; longe disso.
O relacionamento deles, conturbado, viciante, apaixonado ao desespero, tem seus altos e baixos.
Os dois têm personalidade forte, e o mais importante de tudo, cada um traz uma bagagem grande, pesada e que querem esconder a qualquer custo.
Não vou dar absolutamente nenhum spoiler sobre o que permeia o relacionamento deles. Achei de uma coragem ímpar da autora trazer um tema deste tipo a uma literatura romântica, mas é exatamente isso que faz de seu livro único. Eu NUNCA vi um mocinho trazer essa experiência de vida.

Lexie também não era flor que se cheirasse. Estava em Portugal para apagar o passado e expiar seus pecados. Até então a tentativa seguia lenta. Com o aparecimento de Gio em sua vida, a  tempestade foi tamanha que o verbo perdoar passa a ser mais fácil de conjugar. Mesmo no ato mais difícil: o SE perdoar.

O ritmo é bom, explicativo.
A capa eu achei linda, tem tudo a ver com a história.
Os personagens são fortes, mesmo os secundários.
Senti conexão com os personagens, e mesmo quando em vários momentos quis matar alguns deles, a vontade de ler me fazia virar a próxima página.
Ah! E para você que não se contenta com um romance simples, mas quer ação, segredos revelados, "roupa suja sendo lavada" e choro, prepare-se.

Um livro que te faz pensar. Te faz rir, chorar, desejar, torcer, querer amar e ser amado na mesma medida. Um livro que te leva a querer saber a continuação, que - GRAÇAS A DEUS!!! - já está para sair.



A estreia da autora portuguesa Patricia Dias foi estonteante e inesquecível.

5 ESTRELAS.

Sobre a autora



6 comentários:

  1. Nossa, amei, perfeito!!

    ResponderExcluir
  2. Esse livro e apaixonante pra mim, Patricia Dias e fora de série, um excelente escritora, quem ler suas obras ficaram apaixonada, livros envolventes e muito bem escritos! Quando te vi amor e Quando te deixei amor uns dos melhores ou o melhor que já li!!!

    ResponderExcluir
  3. Eu leio muito, desde menina ( já se vai algum tempo), leio de todos os gêneros, dos clássicos da literatura mundial aos escritos contemporâneos, faço letras por amor, uma vez que não dá pra sobreviver no Brasil nesta profissão e posso dizer sem sombra de dúvidas que a Patricia Dias é a escritora mais brilhante da nova safra de escritores (inclusive já disse isso a ela)
    Quanto ao livro Quando te vi amor, é realmente apaixonante, pois descreve personagens reais com sentimentos críveis, e cheios de atitudes reais e politicamente incorretas como qualquer um de nós, louca para ter em mãos Quando te deixei amor!

    ResponderExcluir
  4. Este livro está no topo dos meus favoritos da vida.
    A escrita da autora é excelente. Descreve as imperfeições dos seres humanos com tanta "perfeição "
    A história é tocante. Lindamente descrita. Com toques de humor de deixa tudo mais leve.
    E que venha logo a sequência, pra acompanhar o meu qtva na minha estante/guarda-roupas
    #AmorPraTodaVida

    ResponderExcluir
  5. Lendo a resenha me deu vontade de esquecer que já li só pra sentir toda essa emoção da primeira vez de novo S2
    História inesquecível S2

    ResponderExcluir