terça-feira, 24 de novembro de 2015

Alexandra Hawkins - After Dark with a Scoundrel (Lords of Vice #3)



Ficha técnica: After Dark With a Scoundrel
Autora: Alexandra Hawkins
Editora St. Martin's Paperbacks
Lançamento original: 01/fevereiro/2011
Lançamento BR:  ainda não
292 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de Época; Chick Lit

Protagonistas: Lord Hugh Mordare "Dare" e Lady Regan 
Local/ano: Londres/1817; 1822 

"Um beijo roubado

Jovem, gentil e altamente impressionável, Lady Regan não deixa de se intrigar com os amigos rebeldes de seu irmão - os Lords of Vice - perversamente encantadores. Um homem em particular, o arrojado Lord Hugh Mordare (conhecido simplesmente como "Dare" na sociedade), totalmente cativa-a, apesar de sua reputação como um mulherengo notório. Mas quando ela rouba um beijo inocente de Dare, Regan é rapidamente despachada para um colégio interno, seguramente longe do perigo ... e do desejo.

Uma Doce Sedução

Cinco anos depois, Regan volta uma dama e com uma beleza arrebatadora. A Academia de Miss Swann para Jovens Damas lhe ensinou como se comportar na sociedade. Mas todo o treinamento no mundo não pôde extinguir o amor dela por Dare. Agora, ela espera para vencer o mestre da sedução em seu próprio jogo - pela ousadia: desafia-o a amá-la. Desta vez,  o coração de ambos está na mira ... e o vencedor leva tudo."


Regan perdeu os pais muito novinha e seu irmão Frost, o conde de Chillingsworth, tornou-se seu guardião. Na verdade, seu pai havia morrido numa caçada e a mãe, pouco tempo depois, se mandou com o amante, largando a filha aos cuidados do irmão mais velho.
Claro que como homem, ele não sabia nada sobre como criar uma garotinha. Então, ele contou com a ajuda de seus amigos do clube Nox, na King Street,44. Todos a tratavam como um membro do clube, ao invés de ser a irmãzinha pentelha de Frost.
Hunter ensinou-a sobre cavalos; Sin, a esgrima; Reign, a lutar e a se esquivar de um soco; Saint, a jogar (e trapacear); Dare, a pescar e nadar; Frost, seu irmão, ensinou-a sobre o mundo em geral, e Vane, sobre química e a brincar com fogo. E foi exatamente aí que tudo começou.

Aos 15 anos, Regan estava mais do que acostumada a estar no clube.
Na cozinha deste, ela e Vane estavam em mais uma experiência de química quando, ao se distrair pensando romanticamente, Regan esbarra num dos vidros que, ao virar, espalha fogo pelo recinto. O incêndio não pegou todo o clube, mas com certeza a cozinha teria de ser reformada.
Frost estava chegando ao clube de carruagem quando o seu cocheiro foi impedido de se aproximar do local e avisa que a brigada de incêndio estava no local. Apavorado, ele desce correndo e vai até lá, encontrando os amigos do lado de fora - o pior já havia passado - e sua irmã sentada no chão, toda suja de fuligem e lama.

Entretanto, é Dare quem vai acalmá-la. Ele a leva para a parte do escritório dos sócios, dá-lhe um pouco de brandy e tenta confortá-la.
Mas estamos falando de uma época em que aos 15 anos muitas mocinhas já se preparavam para casar.
Regan estava se tornando uma moça bonita. Exatamente por isso, há 3 anos, Dare havia parado de dar as aulas de natação a ela quando num dia, ao sair do rio molhada e com a roupa de baixo grudada ao corpo, ele percebera que ela já não era nenhuma garotinha.

Regan adorava todos no clube e sentia-se não só como sendo um dos membros, mas também família. Mas por Dare ela tinha uma fixação maior.
Ele não tinha nenhum título, sendo apenas o segundo filho de um duque, mas era lindo, inteligente, bem humorado e a tratava bem.
Nesse dia, a distração dela durante a experiência foi pensando nele. E ali estavam os dois, sozinhos naquele escritório, com ele a consolando. A tentação era grande demais. E o inesperado acontece, quando um beijo casto - mas ainda assim um beijo, o primeiro de Regan - acontece.
Mas Frost entra no escritório nesse momento, acompanhado por uma prima distante, Lady Karmack, que já há algum tempo vinha falando com Frost sobre a necessidade de Regan ser enviada a uma escola para moças, ou ela acabaria se tornando uma mulher de vida fácil tendo por companhia homens de reputação tão duvidosa naquele clube.
Frost vinha pensando no assunto. E o fato de nos últimos 5 anos Regan ter colocado 7 tutores para correr pesava contra ela. Mas quando ele viu sua irmã nos braços de um de seus amigos, ele percebeu que precisaria de ajuda para transformar sua irmã numa dama aceitável na sociedade. E assim, Regan foi enviada para longe carregando uma mágoa: nenhum membro do clube entrou em sua defesa...

Cinco anos passam e nenhuma vez Regan pôde voltar a Londres.
Seu irmão a visitava sempre que podia, mas quando ela lhe pedia se podia visitá-lo, a resposta era um sumário não.
Cansada de ser deixada de lado, com a última carta dele em negativa nas mãos, Regan resolve mudar a estratégia.
Ela já estava mais do que preparada para voltar. Ela arma um plano e volta à cidade na companhia da tal prima distante, com a filha, Thea Bramwell, e Miss Nina Tyne, filha de um barão.

Numa noite de teatro, Dare é o último a chegar e todos os amigos pensam que seu atraso se deve à sua cunhada, Lady Parshley, mas na verdade, ele estava prestes a arrumar uma nova amante. Mrs Randall, viúva há 3 anos mas só há pouco tempo voltara a circular em sociedade, resolveu arrumar um "protetor" e estava focando sua atenção em Dare. E ele não seria doido em recusar a viúva que muitos estavam atrás.
Naquele camarote só não se encontravam Reign, cuja esposa tinha tido uma filha há pouco tempo (livro #2 aqui), e Sin, que encontrava-se em outro camarote com a esposa grávida e o irmão desta (livro #1 aqui). 
Depois de se acomodar, Dare fica olhando em volta os camarotes vizinhos e percebe que num camarote do outro lado do teatro, Vane havia acabado de entrar e estava abraçado a uma mulher muito bonita. 
De imediato Dare sentiu-se com inveja por não ter sido ele a descobrir aquela beleza antes de Vane, mas quando esta se virou e olhou na direção dele, ele não podia acreditar no que via. E no mesmo instante, Sin entra no camarote deles todo feliz e diz:

"Por que ninguém se preocupou em me informar que nossa Regan está de volta?"

Caos.



TODOS dirigem-se ao camarote em que Regan estava, inclusive o irmão dela. Possesso.
Enquanto Vane joga seu charme para Lady Karmack e filha para distraí-las, Frost arrasta Regan para fora do camarote para saber por que ela o havia desobedecido. E ela responde pura e simplesmente que sua educação estava completada e que ele teria de recebê-la de volta. Além disso, ela estava mais do que pronta a encontrar um marido; afinal, não era para isso toda aquela educação?
Sem alternativa, Frost teria de recebê-la.
Dare o tranquiliza que todos no clube iriam manter os olhos nela para que nenhum caça dotes a colocasse numa situação comprometedora. Mas ele havia esquecido de uma coisinha: ele também estava hospedado na casa de Frost, e teria Regan totalmente à sua disposição.

Acontece que Dare estava na casa de Frost por estar fugindo de seu irmão e cunhada.
Desde pequeno o pai de ambos manteve um clima de competição entre irmãos. Na cabeça do duque isso seria bom para que eles se desenvolvessem, mas na realidade acabou por criar uma inimizade entre os irmãos irreparável. Eles competiam por tudo. Ao ponto de, quando Dare finalmente se apaixonou, Charles a seduziu e a engravidou. Quando o pai de Allegra chegou na casa do duque arrastando a filha pelo braço e querendo reparação, só então Dare soube que sua amada havia dormido com seu irmão, mas ainda assim ele se prontificou a casar com ela. Mas Allegra quis o título, e apontou Charles como o pai de seu filho. Desde então, Dare a evita sempre que pode. Ele adora a sobrinha, Louise, mas não consegue conviver na mesma casa que o irmão. Quando este chegou à cidade trazendo mulher e filha para se hospedar na casa do pai, no mesmo dia Dare saiu e foi para a casa de Frost.

E agora ele estaria na mesma casa que Regan, cinco anos mais velha, mais refinada e mais linda.
Dare teria, numa mesma temporada, de evitar os faniquitos de sua cunhada, que requisitava sua presença na casa do sogro a todo instante por conta dos escândalos de Charles (ele engravidava toda mulher que achasse na rua para provar que a culpa por ele não ter um herdeiro era da esposa); lidar com os avanços de Mrs Randall; afastar os idiotas que cercavam Regan em todo evento e, de quebra, vigiar Vane que não parava de jogar charme para ela (e Dare havia pego os dois numa situação quase comprometedora no jardim de um dos bailes).
Enquanto isso, ele não podia mais negar que seu desejo por Regan estava crescendo. Os beijos roubados quando estavam a sós era uma prova disso. Mas Regan estava acostumada a ver os amigos de seu irmão, e ele próprio, agindo como verdadeiros canalhas com a mulheres, sem promessas, sem juras de amor, apenas o prazer carnal e momentâneo; e ela queria e merecia mais do que isso.

Uma série de assassinatos acontece na cidade e eles estavam sempre apontando para um alvo em comum: Dare.  Até mesmo Regan quase morreu quando foi empurrada à rua, na frente de uma carruagem.
Os amigos do Lords of Vice precisariam se unir para descobrir quem estava causando todas essas mortes, quem ousou tentar ferir Regan e, principalmente, quem parecia de todas as formas querer acabar com Dare...



Este livro parece ser mais fino que os anteriores, mas não se engane; está cheio de mistérios.
Dare começa sem ter título algum. Era um partido interessante às mães casadoiras, mas depois de ter sofrido aquela decepção no passado, ele não estava nem um pouco interessado em sossegar,e  não tinha um título que o obrigasse a isso.
O seu irmão, por outro lado, apesar de ser marquês, tinha uma vida de escândalos. Várias mulheres batiam à porta da casa do duque exigindo dinheiro por estarem grávidas de Charles. Mas nenhuma daquelas crianças seria considerada a herdeira. E a esposa, Allegra, ficara estéril depois do nascimento de Louise.
Allegra trocara Dare pelo título de marquesa, e futuramente duquesa, mas o casamento dela era uma farsa. E ela não admitia que Dare a ignorasse.
Quando esta percebe o interesse de Regan por Dare, faz de tudo para envenenar a cabeça da jovem.

E além de ter esses problemas familiares, Dare vivia o dilema de se ver atraído pela irmã do amigo e - como sempre - esse era um território proibido.
Mas Regan estava ali, tão linda, tão ao alcance, nunca agindo com segundas intenções ou vingando-se dele por alguma coisa que ele havia dito ou feito e sabia tê-la magoado. E o fato de vê-la sendo cortejada por outros o estava matando.

O ponto alto se dá quando, após uma discussão com seu pai por este estar sempre passando a mão na cabeça de Charles, ele ouve seu pai lhe dizer para ir para casa, e Dare se dá conta de que ele não tinha uma casa. Não uma casa física, mas um lugar onde ele chamasse de lar. Ou melhor, ele se deu conta de que em apenas um lugar ele se sentia em casa: quando tinha Regan em seus braços.

O livro quando lançado causou um certo rebuliço entre algumas leitoras porque elas ficaram indignadas pelo fato de Dare ter beijado Regan quando ela tinha ainda 15 anos.
Gente, pelamor!!! Séc 19, muitas meninas dessa idade já estavam casando e logo tendo filhos. 

O ritmo é ótimo. Todo aquele mistério prende o leitor. Os personagens são os ordinários mais enigmáticos que tem. Sem cliffhanger.
Partindo pro próximo...

5 estrelas!!!

*Gravura>> Aleta Rafton  


Nenhum comentário:

Postar um comentário