quinta-feira, 5 de novembro de 2015

[Maratona Rom Hist] Sarah MacLean - Entre a Culpa e o Desejo (O Clube dos Canalhas #2)



Ficha técnica: Entre a Culpa e o Desejo (One Good Earl Deserves a Love)
Autora: Sarah MacLean
Editora Gutenberg
Lançamento original: 2013
Lançamento BR: outubro/2015
302 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de Época; Chick Lit

Protagonistas:  Lady Philippa "Pippa" Marbury e Jasper Arlesey "Cross", Conde Harlow
Local/ano: Londres/1824;1831

"Seu próximo experimento científico? Entregar-se a um canalha!

Lady Philippa Marbury não é como as jovens de sua época. A brilhante filha do marquês de Needham e Dolby se preocupa mais com seus livros e experimentos do que com vestidos e bailes. Para ela, um laboratório é muito mais atraente que uma proposta de casamento, e é por isso que, ao ser prometida a um noivo com quem não tem nada em comum, Pippa tem apenas duas semanas para empreender seu último experimento: descobrir todos os prazeres e todas as delícias da vida antes de passar o resto de seus dias ao lado de alguém que ela mal conhece.
Como boa cientista que é, Pippa investiga a vida do homem que parece ser a cobaia ideal para realizar suas experiências: Sr. Cross, o atraente sócio do cassino mais famoso e cobiçado de Londres, um libertino cuja má-fama foi cuidadosamente construída sobre o vício e a devassidão. Um canalha perfeito para explorar suas fantasias e satisfazer sua curiosidade sem manchar sua reputação de moça de família.
Mas o que Pippa não sabe é que, por baixo das aparências, Cross esconde segredos obscuros e que, ao receber a proposta da garota, ele está diante de uma oferta que pode destruir tudo aquilo que durante anos ele se esforçou para proteger.
Terrivelmente tentado a se envolver nessa aventura que promete o mais puro prazer sem qualquer outra emoção, tudo o que Cross deseja é dar a Pippa exatamente o que ela quer, mas ele sabe que ninguém sai ileso do caminho da satisfação e, assim, Cross terá de usar cada miligrama de sua força de vontade para não perder o controle e resistir à tentação de entregar à jovem muito mais do que ela ousa imaginar."

Dedicatória do livro: Para as Jovens que usam óculos



Pippa é a quarta filha do Marquês de Needham e Dolly (depois de Penelope e as gêmeas). Ela sabe que sua beleza não se compara a da outra irmã solteira, a caçula Olívia. Para atrapalhar, além de seu cabelo sem aquele brilho maravilhoso ou um corpo cheio de curvas, ela usa óculos. E precisa mesmo deles ou não enxerga nada. Além disso, ela sabe que é "estranha". Nenhum interesse feminino em fazer compras, vestidos ou bailes.

As 3 irmãs mais velhas já estão casadas. Penelope foi a última a casar com o amigo de infância, Michael, o Marquês de Bourne. Um canalha, cafajeste, mas que é podre de rico, e conseguiu reerguer sua fortuna perdida ao se juntar a outros três e fundarem o clube de jogatina mais devasso, mas cheio de classe de Londres, o Anjo Caído.

E é para lá que Pippa se dirige para dar início a mais uma pesquisa.

Veja bem, Pippa está sempre com a cara enfiada nos livros. Sua pesquisa sobre rosas já lhe rendeu o resultado de uma rosa híbrida (quanto a isso, a autora explica claramente no final do livro). Mas ela entende pouco, ou mais precisamente nada, sobre lidar com seres humanos. E como ela está de casamento marcado com o Conde Castledon para dali a 14 dias (numerozinho cármico esse...), ela precisava com urgência aprender o que se passava entre um casal e as questões carnais.

Não que ela pensasse exatamente em "experimentar de fato" isso antes do casamento, mas como pesquisadora, ela tinha uma série de perguntas que precisavam ser sanadas.
Ela tinha o parceiro perfeito para isso: o sócio de seu cunhado no clube, Cross.

Tudo já começa meio bizarro. Ele acorda em seu escritório no clube, que por sinal é a maior bagunça, com livros espalhados por todo canto - e ai da faxineira se mexer em alguma coisa! -, e encontra Pippa examinando o livro-caixa e dizendo que uma das colunas de soma estava errada.
Depois, ela solta a bomba, e ele só pensa uma coisa: 

"- Você é louca.
- Eu acho que não.
- Você devia considerar essa possibilidade."


Isso depois de ela ter feito um pedido simples:

"- Preciso me perder."

Mas como?? A menina era de boa família, tinha uma aparência até agradável, e além disso, era cunhada de um de seus amigos... Ele nunca poderia se aproximar dela.
E daí começa o embate.
Para começar, ela tinha aparecido num clube de má fama, sozinha, à luz do dia e batido à porta como se ali fosse a casa de uma amiga. Isso sem falar que estava se oferecendo a um famoso canalha.
Num primeiro momento ele a manda embora, mas enquanto observava o salão do clube vazio, Pippa acaba se deparando com um concorrente do Anjo. Sem saber quem era, ela acaba abrindo a porta para Digger Knight, dono do clube Cavalheiro, mais antigo que o Anjo, mas sem a menor classe. O clube dele abarcava os apostadores que não eram aceitos como sócios pelo Anjo.
Mas Digger havia ido lá para tratar de negócios com Cross, e teve a felicidade de ter Pippa nos braços. Encontrando a cena, Cross fica furioso, e depois de expulsar Digger de lá, ele precisava encontrar uma maneira de fazer Pippa desistir daquela ideia insana, ou ela acabaria pedindo a outro homem para fazer a pesquisa com ela.
Já que estavam numa casa de jogo, ele resolve desafiá-la à sorte com o jogo de dados e a faz prometer, quando perde, de que não pediria ajuda a qualquer outro homem.

Resignada, Pippa vai para casa. Mas pouco tempo depois, ao descobrir que sua irmã Olívia sabia muito bem o que fazer com a "língua" com o seu noivo, o Visconde Tottenham, futuro primeiro-ministro, ela se vê decidida a ter suas respostas.

Enquanto isso, Cross se via na encruzilhada de ajudar sua irmã por conta de um marido fraco no jogo, que devia 10 mil libras no Cavalheiro, e não tinha condições de pagar.
Acontece que a relação de Cross e sua família não era a das melhores.
Sete anos antes uma tragédia abateu a família e ele se sente culpado. 
Sua irmã não quer saber de sua ajuda, e quando ele tenta negociar diretamente com Digger o valor a ser pago, este vem com uma proposta bem diferente da financeira.

A partir daí Cross, com seus sócios amigos, pensam numa maneira de fazer Digger cair em ruína.
Mas sua concentração acaba sendo prejudicada - e olha que ele era tido como um gênio da matemática, capaz de contar cartas no jogo 21 - por causa de uma jovem maluca que volta a lhe pedir ajuda para ser arruinada. Se sua irmã mais nova já sabia mais do que ela, é necessário uma intervenção e rápido. O casamento se aproximava.

Pippa se casaria com Robert não por amor, mas porque havia dado sua palavra.
E como ela era uma pessoa de palavra, sua promessa a Cross foi que ela não pediria ajuda a nenhum homem, mas nada foi dito sobre ela pedir a outra mulher. E com isso, ela volta ao Anjo para falar com alguma postituta do local.

Cross se vê tão desesperado com a insistência de Pippa que decide ele mesmo ajudá-la.
Mas aí, havia um outro fator: ela estava se tornando uma tentação. E o fato de ela falar sobre certos assuntos, no aspecto científico da coisa, de forma tão natural, não estava ajudando em nada às fantasias eróticas dele com ela.

O combinado era que ele a levaria ao clube na noite seguinte.
Cross a leva para uma sala de jogo vazia e mais uma vez a sorte entra no meio da lição. Só que quando tudo parecia que ia esquentar, Chase bate à porta e informa que havia uma visita no escritório de Cross. Este deixa Pippa trancada na sala sozinha.
Ela fica furiosa quando descobre que ele não foi honesto com ela durante a "aula" e quando tenta sair da sala, se descobre trancada. Ela se lembra de uma outra conversa sobre passagens secretas e descobre uma atrás de um quadro, e esta passagem dá exatamente ao escritório de Cross. Pippa ouve parte da conversa e descobre que a mulher que estava com Cross do lado de fora daquele corredor escuro era alguém que ele amara no passado e que estava arrependido de algo que fizera.

Eles se enfrentam e a aula real começa. Ele ensina, mas em nenhum momento a toca. Entretanto, a tentação era grande demais.

Pippa cai em si que apesar de Cross não tê-la tocado de fato, a forma em como ela se sentia perto dele não era igual à forma que ela se sentia perto do noivo, Castleton era bom, tinha uma risada solta, confiava nela até mesmo para ajudá-lo a administrar sua propriedade. Mas ele nunca tentara lhe roubar um beijo; e quando suas mãos se tocavam, não havia faíscas. Então, uma última prova aconteceria.

Pippa recebeu um convite para a noite Pandemonium que acontecia todo dia 29 de março no Anjo Caído. Era quando a casa abria para os não-sócios, e todo mundo queria receber um convite para comparecer e poder se mostrar merecedor de se associar.
Um vestido e uma máscara foram enviados, e uma carruagem a buscaria à meia-noite. Tudo planejado por Chase.

Quando Cross vê Pippa linda e sexy naquele vestido no meio do salão, ele enlouquece, e desce da suíte dos sócios pronto para retirá-la de lá, mas a maldição cai sobre ele, e Pippa consegue finalmente provar de sua pesquisa.

Mas o plano de Cross em derrubar Digger aquela noite acaba caindo por terra e Pippa descobre da pior maneira possível que mesmo se quisesse, ela não poderia tê-lo para si.
Naquela mesma noite, Cross e Pippa fazem a sua despedida, cheia de lágrimas e paixão.

Havia um porém. Pippa, que antes nao acreditava em amor, porque era algo etéreo e, portanto, não podia ser provado cientificamente, viu-se terrivelmente apaixonada por aquele canalha. Mesmo que tivesse dado sua palavra a Castledon que se casaria com ele, como uma pessoa que prezava a palavra dada, ela estaria sendo desonesta se fizesse os votos matrimoniais estando apaixonada por outro. Como a boa cientista que era, ela sabia que com planejamento ela poderia ajudar Cross a sair da enrascada que acabou metido. Ela só precisava de uma ajudazinha... E o caos aconteceu.



Gente, para tudo!!!

Tem como o livro 2 ser melhor que o 1? TEM!!!

Começando pelo blá blá blá de sempre, a capa é linda (original); o ritmo é perfeito; sem cliffhanger.
Mas os personagens... Sassinhora!!!
Ok, a gente já teve um vislumbre no livro anterior porque os sócios do Clube foram apresentados. Três deles são nobres (Bourne - marquês; Cross - conde; Temple - duque) e o quarto é um tipo misterioso, mas foi quem uniu os três infelizes anteriores, perdidos e sem propósito na vida, renegando seus títulos.

Mas aí vem a parceira de cada um, e Pippa definitivamente é aquela mocinha que mostra a que veio.
Ela é muito inteligente, o que para a época equivalia a ser taxada de esquisita. Ela não tinha aquele traquejo social que suas irmãs possuíam, mas também não insistia em ter.
Sua mente funcionava de forma prática, científica, e foi assim que ela tentou levar a pesquisa da qual convidou Cross a ser seu parceiro (isso depois de ter feito uma pesquisa minuciosa e ter chegado a conclusão que ele era a pessoa ideal).
Os diálogos dos dois são tão interessantes porque não são coquetes, mas inteligentes. Mostra aí que a autora fez pesquisas vastas sobre os diversos temas incluídos nos assuntos do casal.

Entretanto, o livro não peca pela chatice, porque também tem um lado romântico forte e a cena em que o casal começa a "aula" e depois quando chegam às vias de fato é sexy pra caramba.

Além disso, os outros personagens são de uma riqueza tamanha.
Chase aparece mais aqui do que no livro anterior. E tem Temple...ahhhh...Temple! Esse duque vai dar o que falar no próximo. O estilo emburrado, com cicatriz no rosto, que adora uma boa briga e... tem fama de assassino.

Isso sem contar que ainda há muitas cenas engraçadas. E o plano de Pippa para ajudar Cross é bem engenhoso.

Enfim, um livro que fiquei totalmente xonada e li numa talagada só.
Aff... E pensar que o próximo só sai ano que vem...



Acredite, o prólogo te segura, mas a frase final...Ui!! Matou a pau!!

Mais que 5 estrelas!!!!

*Livro cedido pela editora, em parceria, em troca de uma resenha de opinião honesta.
**Gravura>> Aleta Rafton.

Nenhum comentário:

Postar um comentário