terça-feira, 15 de dezembro de 2015

T. M. Fazier - Tyrant (King #2)




Ficha técnica: Tyrant
Autora: T. M. Frazier
Editora self
Lançamento original: 16/agosto/2015
Lançamento BR: ainda não
230 páginas
POV: primeira pessoa - King e Doe
Gênero: Romance contemporâneo DARK; New Adult

Protagonistas: King; Doe; Preppy; Bear; Tanner
Local/ano: Florida/atual

"Eu. Lembro. De tudo.

Só que agora eu desejava não tê-lo feito.

Quando o nevoeiro é sugado para fora da minha mente como fumaça através de um vácuo, a verdade que tem estado além do meu alcance por meses finalmente se revela.

Mas o alívio que eu pensei que iria sentir nunca veio, e eu tenho mais medo agora do que na manhã em que acordei algemada à cama de King.

Porque com a verdade vem segredos obscuros que eu não deveria saber.

Vou colocar a vida das pessoas que eu mais amo em risco se eu mostrar que minha memória voltou, ou se eu procurar a ajuda do criminoso tatuado que possui meu corpo e minha alma.

Eu não sei se eu sou forte o suficiente para resistir à atração magnética a King que fica mais forte a cada dia.

Ele já me salvou em mais maneiras do que se pode falar. Agora é a minha vez de fazer o que for preciso para salvá-lo.

Mesmo que isso signifique me casar com outra pessoa."

NOTA: para entender este livro é necessário ler o livro #1.


Você pode até ler esta resenha por curiosidade, mas desde já aviso que é impossível não soltar spoiler.
O livro #2 se inicia no exato instante em que acaba o #1. Portanto, os últimos acontecimentos serão mencionados aqui...







Doe é surpreendida pela atitude de King. Ele faz uma barganha com o pai dela: uma filha pela outra. Mas ele não contava que seria traído - quem faria trato com um ex-condenado?
Ele acaba preso novamente.
Mas ao ser algemado e colocado dentro de um carro, King já sabia que aquele motorista à sua frente não era um policial. Era alguém contratado para matá-lo. Ele, então, faz o que melhor sabe para sobreviver.

"Nesse jogo é matar ou morrer."

Enquanto isso, Doe é levada embora, depois de receber um baque de notícia de que, apesar de ter apenas 18 anos, ela já era mãe.
Doe era filha única de um Senador. A família não deu parte de seu desaparecimento porque ela era considerada uma filha problema, e acharam que esse seu "sumiço" se devia a ela querer dar uma lição na família. Além disso, isso não cairia bem na carreira de seu pai, um republicano (família, moral e bons costumes e etc).

O pai da criança, seu amigo de muitos anos, Tanner Redmond, vinha de uma família rica, era a quarta geração dos Redmond Shoes.
Sua amizade datava desde que estavam no jardim de infância. Sempre brincavam de casamento. Tinham planos. Mas estes planos mudaram um pouco quando aos 15 anos Tanner foi diagnosticado com leucemia e não respondia bem ao tratamento.
Com pena porque seu amigo não teria tempo para realizar tantos planos e sonhos, ela e ele acabam fazendo os "votos" entre si e transam. Ela fica grávida. Nasce Sammy (Samuel).

Tudo para Doe - ou melhor, Ramie Elizabeth Price - ainda estava confuso. Ela tinha sentado em seu colo uma criança; um homem no banco da frente que dizia ser seu pai e um rapaz da sua idade que alegava ter sido seu namorado e era pai de seu filho. Não que ele, Tanner, não fosse bonito. Ele era! Mas ela ainda não se lembrava. E mais uma vez ela estava sob a custódia de alguém sem saber o que lhe aconteceria.

Chegando na casa do pai, ela é (re)apresentada a Nadine, a mulher que praticamente a criou. Sua mãe, a Dra Margot Price, só aparecia como coadjuvante, quando tinha algum evento. O casamento dos seus pais era uma farsa. A mãe era alcoólatra.

Aos poucos as lembranças voltam.
Primeiro, através de umas fotos em seu celular. Sua melhor amiga, Nicole. Depois, quando ela é chamada ao escritório de seu pai, uma lembrança de um aniversário seu, em que a mãe fez vexame. E outra quando ela foi no mesmo ambiente para contar a seu pai que estava grávida.
Um médico contratado por seu pai a examina e aconselha que ela se cerque de pessoas de seu passado, que possam lhe ajudar a acionar algum gatilho. Com isso, ela se volta a Tanner.
Uma tarde que passam juntos na companhia do filho; o colocar o filho para dormir; uma conversa; uma caixinha de joia, e nova lembrança: Doe/Ray sabia já ter amado Tanner.

Enquanto isso, King, que havia conseguido fugir do primeiro assassino, agora estava sendo perseguido por um outro chefão, Eli Mitchell, que não estava nada satisfeito com a história de não ser o único fornecedor de drogas na região. Além disso, King havia matado Isaac "sem o consentimento" de  Eli. Antes de poder trazer Doe de volta para ele, era preciso tornar o ambiente limpo. Ele teria de se livrar de Eli também.

Invasão. Explosão. Tortura. A garagem e o ap acima dela, na casa de King, em que Bear vivia, são destruídos.

Ansiosa e sentindo-se perdida quanto a tantas lembranças que voltam, Doe/Ray procura por King. Ela vai até o Clube Beach Bastards procurar por Bear; este saberia onde King estava, e lá fica sabendo que ambos haviam morrido.

Doe tinha algo de King em si, a tatuagem que ele a convencera a fazer, mas ela queria algo mais tangível, e com isso, ela decide adotar a filha de King que estava num foster care (lar adotivo provisório).
Seu pai, aproveitando-se da situação, lhe informa que a justiça não olha com bons olhos a adoção por um solteiro. Mas se ela fosse casada...
E ainda tinha a questão sobre seu neto. Enquanto Ray estava desaparecida, eles haviam espalhado que ela estava viajando, mas não só ela havia voltado, como as pessoas começavam a questionar quem era aquele menininho.
Para um senador republicano, uma filha que engravidara aos 15 anos e continuava solteira era uma lástima.
Pelo bem da filha de King, Ray aceita se casar com Tanner. 
Eles casam-se na prefeitura, só civil. Na festa de campanha de seu pai, ele aproveita o casamento da filha para fazer um grande espetáculo; no fim da festa, um desafio lançado; e a surpresa ao encontrar no escuro de seu quarto, King.

Mas agora ela estava casada. Ela tinha um filho do qual não abriria mão.
E quem disse que King se importava com isso?

Fonte gravura > Goodreads



Ok, então, ela precisava se livrar do "marido" e avisar que iria embora com King, levando o filho.
Até agora ela havia se lembrado que engravidara aos 15 do seu melhor amigo; que tinha uma melhor amiga desde sempre que se perdera no mundo; que seus pais não formavam a família perfeita da propaganda de margarina; que sua mãe era uma alcoólatra e que seu pai dava mais valor ao trabalho na política e à imagem do que aos seus em casa; que ela era muito boa desenhista e quase enfartara o pai quando avisou que queria estudar Artes do que fazer uma "faculdade séria".
De sua vida atual ela sabia que era apaixonada por King e que não queria viver sem ele.
Mas a maior revelação de todas estava por vir.
Agora, Ray conheceria O TIRANO...


 Para porque agora o babado ficou forte!!




Daqui por diante só lendo.
Mas você fica sabendo como e por que Ray perdeu a memória; por que ela foi parar naquela festa de motoqueiros; quem é o Tirano; como Preppy continua na vida deles.
E o final?


Aawwwwwwww.... suspiros....

A autora fechou muito bem a história do casal.
Partindo para o livro #3, que traz a história do amigo Bear.

5 estrelas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário