terça-feira, 15 de dezembro de 2015

T M Frazier - Lawless (King #3)



Ficha técnica: Lawless
Autora: T M Frazier
Editora self
Lançamento original: 08/dezembro/2015
Lançamento BR: ainda não
231 páginas
POV: primeira pessoa - Bear e Thia
Gênero: Romance contemporâneo DAR: New Adult

Protagonistas: Bear e Cynthia "Thia" Anne Andrews
Local/ano: Florida/atual

"Thia é toda certinha.
Bear é  couro e sem lei.
Isso nunca vai funcionar entre eles.
É uma mentira que eles quase acreditam ..."

NOTA: É necessário ler os 2 livros anteriores



Um anel. Uma promessa. Uma mentira. E ele descobriu o que era o AMOR...

Fonte gravura >> Goodreads


Bear foi criado dentro de um MC. Aos cinco anos, depois de uma tentaiva frustrada em levar seu filho para um lugar seguro, a mãe de Bear nunca mais foi vista por ele.  Ele cresceu tendo orgulho em fazer parte de tudo aquilo. Tornou-se prospecto mesmo o pai dele, Chop, sendo o Presidente. Ele matou. Ele roubou em nome dos Irmãos. Aquilo era a sua família. Mas daí, nesse meio tempo, ele conheceu King e Preppy, aos 12 anos, uma briga de garotos, que logo foi esquecida a razão da mesma, mas a amizade ficou. E logo, Bear sentia que mesmo não fazendo parte do MC, King e Preppy eram mais família do que os membros do clube. Até mais do que seu próprio pai o foi.

Em honra desta amizade, Bear desobedeceu as ordens do Presidente e foi ajudar seu amigo a recuperar a garota dele. A partir dali Bear não fazia mais parte do Beach Bastards; ele não era mais o VP (vice-presidente).

Durante meses ele andou escondido porque sabia que você não abandona um clube simplesmente dando-lhe as costas. Você só sai dali morto. E ele sabia que tinha um alvo desenhado em sua testa.
Vida vazia, seus dias resumiam-se em tomar alguma droga, beber whiskey até apagar e transar. Não importasse com quantas.
Mas os seus atos sempre têm repercussão, e o passado resolveu bater à porta de Bear. Mais precisamente à porta do MC...

Sete anos antes, quando Bear, Gus e Skid pararam num posto de gasolina, este último alterado pela bebida e droga, entrou na loja e tentou assaltar. Acontece que quem estava no caixa era uma menina de 10 anos. E ela não sabia a combinação para abrir a caixa registradora. Ela estava ali apenas tomando conta enquanto a dona havia ido ao salão de cabeleireiro. Desde que abriram uma loja na estrada nova, o Stop-N-Go quase não recebia mais clientes.
Nervoso, Skid vai atrás do balcão e a ameaça com a arma, mas logo um homem enorme, com braços coloridos, entra e o segura pelo pescoço, levando-o para fora. Minutos depois ele volta e conversa com a menina.
A loja não tinha câmeras de segurança, mas ele não queria confusão com a polícia caso a menina desse queixa. A loja ficava na mesma cidade que o Clube. Em meio a conversa, ele oferece a ela 300 dólares, que não aceita. Mas ela parecia encantada com as tantas tatuagens dele e os muitos anéis que ele tinha. Ele pega um dos anéis e dá a ela, com a promessa de que quando ela precisasse, ele estaria lá por ela.
Aquela era Cynthia, mais conhecida como Thia.
Ele era Abel, mais conhecido como Bear, um dos Bastardos da Praia, do MC...


Fonte gravura >> Christy (Goodreads)


Thia ainda trabalhava no Stop-N-Go, mas também ajudava seu pai na pequena fazenda da família, com a plantação de laranja. Desde que o principal cliente deles havia cancelado o contrato, a situação da família financeiramente não andava nada bem. Isso sem contar que sua mãe estava cada vez mais estranha desde a morte de seu irmão, Jesse. Seu pai vivia dizendo que ela estava só cansada, que Thia deveria deixá-la em paz, mas Thia sentia que havia algo a mais ali.
Numa sexta-feira, quando voltava de bicicleta do trabalho, Thia estranha não ouvir os gritos dos pais em discussão. Isso já se tornara comum. A casa estava silenciosa demais. Ela encontra sua mãe sentada à cadeira de balanço do quarto do filho caçula, que ela mantinha imaculadamente limpo e do jeito que o filho deixara. Um sorriso no rosto, o que também ela já não fazia há algum tempo, e em pouco tempo Thia descobriu o porquê. Sua mãe queria que toda a família estivesse reunida mais uma vez. O marido estava morto no chão do quarto do casal; só faltavam elas duas. 
Numa manobra arriscada, Thia consegue tirar a arma da mãe e para se defender, a mata.

Mas o pânico falou mais alto. Ela o fizera em legítima defesa, mas quem iria acreditar?
Thia não tinha muitos amigos da mesma idade. Sua tripla jornada de trabalho a impedia de ter tempo livre para sair e divertir-se como os outros jovens. Seu único amigo, muito mais por esforço e insistência dele, ela admitia, era Buck, o ajudante do xerife, mas teria ele influência suficiente para ajudá-la?

Então, ela se lembra dele. Do cara das tatuagens e do cabelo moicano. O cara que lhe deu um anel de caveira que ela nunca tirou do cordão do pescoço. O cara que lhe fez uma promessa. Bear. Ela vai atrás dele.
Ao aparecer no portão do MC, Thia não imaginava que sua vida mudaria mais do que a confusão na qual ela estava metida. 
O pai de Bear, o Presidente, só parecia com Bear na aparência (mais envelhecido), de resto, nada. Ele era mau, perverso. E iria fazer com ela coisas que ela nunca sequer pensou serem possíveis.

Uma explosão acontece e Thia é retirada do escritório do MC, jogada dentro de um carro e deixada à porta da casa de um casal que nunca vira antes. E é ali que seu encontro com Bear acontece.

Ao ver Thia toda machucada, recusando-se a ser examinada pela enfermeira, Bear não tem certeza se aquilo tudo era real ou apenas mais um truque de seu pai para localizá-lo e exterminá-lo. De qualquer forma o machucado da menina era real.
Primeiro ele cumpriria a promessa que fizera há 7 anos e depois se livraria dela da casa de King e Ray.
A ideia era se livrar dos corpos dos pais dela antes que a polícia aparecesse, mas ao chegarem lá, ele e King, era tarde demais.
Thia estava sendo procurada pela polícia como a assassina dos pais.

Bear arranja uma advogada para ela, a osso duro de roer, Bethany Fletcher.

Mas havia algo mais em jogo. O seu pai ainda estava atrás dele e agora tentaria pegá-lo através de Thia; a convivência com ele mostrou-lhe uma menina crescida, que não falava ou se comportava como os adolescentes de 17/18 anos. Ela era vivida, ela era sofrida, ela era batalhadora, e ela não desistiria dele fácil, apesar dos perigos, apesar da violência, apesar da fama...
Thia e Bear eram um pacote único e o relógio contava contra eles...


Livro #3 de uma série, e você fica maravilhada porque este consegue ser ainda melhor do que a história do casal anterior.
Não me leve a mal, King é muito bom, mas a história de Bear e seu encontro com Thia QUASE pode ser considerado um conto de fadas (claro que regado a violência, drogas, mortes, whiskey e possessão).

Os personagens são fortíssimos - cabeças duras??? - e Thia, mesmo sendo inexperiente para certas coisas de jovens da idade dela, tem uma maturidade além da deles. Ela sofreu com/por sua família; ela viu a fazenda ir praticamente à falência; ela viu seu irmão morrer; ela viu sua mãe enlouquecendo dia a dia; ela viu a morte nos olhos.
E o final...




Frazier, eu vou ter mesmo que esperar até fevereiro para ler a continuação daquela cena?
Sim, cliffhanger...

Adorando a série até aqui.
5 estrelas

*ARC cedido pela autora em troca de uma resenha de opinião honesta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário