quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Harlan Coben - Jogada Mortal




Ficha técnica: Jogada Mortal (Drop Shot)
Autor: Harlan Coben
Editora Arqueiro
Lançamento original: 1996
Lançamento BR: 2012
256 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance contemporâneo; Suspense

Protagonistas: Myron Bolitar; Windsor Horne Lockwood III (Win); Duane Richwood; Esperanza Diaz
Local/ano: NY; New Jersey/atual

"Aos 16 anos, Valerie Simpson já era finalista do Aberto de Tênis da França. Depois de brilhar nos circuitos internacionais do esporte, de repente tudo mudou. A jovem ficou reclusa e deixou de lado as competições de alto nível.

Seis anos depois, ela está disposta a retomar a carreira e procura Myron Bolitar para ser seu agente. Para ele – que já agencia Duane Richwood, cotado para vencer seu primeiro Grand Slam –, essa é uma ótima oportunidade. Mas seus planos têm fim quando Valerie é morta e Duane se torna o principal suspeito do assassinato.

Apesar de o rapaz estar em quadra na hora do crime, algo parece não se encaixar na história que conta à polícia. Ele garante não conhecer Valerie, mas seu número de telefone estava na agenda da jovem.

Insatisfeito com o rumo das investigações policiais, Myron sai em busca da verdade. E descobre que, além de prováveis ligações que a moça fez para Duane de um telefone público, há um passado de dor e mentiras que talvez leve ao verdadeiro motivo do crime.

Agora, com a ajuda do excêntrico Windsor Horne Lockwood III e da ex-profissional de luta livre Esperanza Diaz, Myron enfrentará inimigos poderosos que tentam a todo custo impedir que a verdade venha à tona."



Demorei para ler, mas quando o peguei, não consegui largar!!
Suspense. Mas de uma forma diferente.
O estilo de Coben é irreverente, sarcástico e isso é bem visto pelos diálogos entre Bolitar e seu melhor amigo e sócio, Win.

Bolitar, ex-quase-famoso atleta e ex-FBI, agora trabalha como agente esportivo, ou consultor financeiro. Ele não tem grandes estrelas no seu cast, sua agência é pequena, mas o estilo dele de trabalhar também era diferenciado. Nada de puxa-saquismo. Ele era direto, sincero até demais. Estava com uma estrela do tênis em ascenção nas mãos, Duane Richwood. De 21 anos, o rapaz pobre, negro, que nunca teve família rica a lhe dar apoio e cobrança num esporte elitista. E estava ali, vencendo todas as partidas, enquando Bolitar ia fechando patrocínios para enriquecer a ambos.
Mas eis que uma ex-rainha do tênis, mesmo que por pouco tempo, quer voltar às quadras, quer ter Bolitar como agente, mas antes, ela precisa fazer as pazes com seu passado e, por isso, ela acaba assassinada.

A polícia estava fazendo seu trabalho, mas Bolitar não satisfeito, resolve fazer sua própria investigação, e ele começa a mexer num vespeiro que não fica nada feliz com isso.
Vários lados; várias versões; várias vidas em jogo.
Ninguém quer que ele continue xeretando por aí.
Mas ele não pararia até que a verdade viesse à tona. Não para ir aos jornais, mas ele devia isso à sua quase cliente...

Amei o jeito de Coben contar história.
Os personagens são fortes. Os amigos de Bolitar, mais ainda.
Esperanza, sua assistente, ex-lutadora livre, ganhou meu respeito. Ela não vai com a cara, nem confia em Jessica Culver, a ficante de Bolitar.
Win, ou Windsor Horne Lockwood III (pelo nome enorme já dá para ver que vem de família riquíssima), é outro que me deixou fascinada. Ele é durão, tem muitos segredos e é amoral. Faz o que tem de fazer, doa a quem doer, mas é o melhor amigo que uma pessoa poderia ter.
O ritmo é bom. O final, melhor ainda. Sem cliffhanger.

Sim, este é meu primeiro livro com esse personagem e sei que estou atrasada. A série está bem lá na frente, mas tudo é uma questão de hora certa para ler.
Recomendadíssimo.
Ótima forma de começar o ano.





Recomedado: SIM!!!
Reação: a melhor possível. Surpreendeu totalmente e só com aquela introdução, me deu vontade de rever toda a série do Batman. 



Sobre o autor



Nenhum comentário:

Postar um comentário