terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Kylie Scott - Play (Stage Dive #2)




Ficha Técnica: Play
Autora: Kylie Scott
Editora Universo dos Livros
Lançamento original: março/2014
Lançamento BR: 2015
320 páginas
POV: primeira pessoa - Anne
Gênero: Romance contemporâneo; Chick Lit

Protagonistas: Anne Rollings; Malcolm Ericson "Mal"; David Ferris; Jimmy Ferris; Ben; Ev.
Local/ano: Portland; Coeur d'Alene, Idaho/atual

"Ele precisava de uma namorada de mentira. Ela precisava de ajuda financeira. Mas será que eles vão conseguir não misturar os sentimentos com os negócios? Mal Ericson, o baterista da mundialmente famosa banda de rock Stage Dive, precisa melhorar sua imagem, e rápido. Ter uma boa garota ao seu lado parece ser o suficiente. Mal não planejara que este artifício temporário se tornasse permanente; no entanto, ele não esperava encontrar o amor de sua vida. Anne Rollings jamais pensou que conheceria o rockstar que inundava as paredes de seu quarto na adolescência - especialmente não naquelas circunstâncias. Anne está com problemas financeiros, e dos grandes. Porém, ser paga para ser a namorada de mentira de um selvagem e festeiro baterista não poderia terminar bem, não importa se ele é muito gostoso. Será que um final feliz é possível nesse caso?"

Continuação da série Stage Dive > Livro 1 - Lick >> resenha

Anne passou boa parte de sua adolescência olhando para as paredes de seu quarto, cobertas de posteres de um certo baterista de banda. Como toda paixonite de jovem que sonhava com seu ídolo e até assinava papéis com o sobrenome dele, isso passa.
Agora Anna é uma mulher madura, que passou por um período turbulento quando teve que assumir a casa enquanto sua mãe se entregava a uma depressão depois de ter sido abandonada pelo marido, e nesse exato momento está parada dentro da sala de seu ap vendo tudo vazio. Literalmente.
Sua amiga Skye, que lhe devia dinheiro há algum tempo desde que ficara desempregada e não mais pôde ajudar nas despesas de casa, havia ido embora e carregado a mobília dela.
Anne se encontrava num ap semivazio; sem dinheiro para manter o aluguel que vencia dali a 8 dias, alimentar-se e ainda pagar as despesas da faculdade da irmã caçula, Lizzy.
Em plena sexta-feira, ótima notícia.

Sua vizinha e amiga, Lauren, ao entrar no ap e ver aquilo, quis ajudá-la a pelo menos dar uma levantada no astral e a levou para a festa de Ev, antiga colega de quarto de Lauren, a moça que trabalha ainda no café da esquina e, por acaso, é casada com o guitarrista da banda Stage Dive, David Ferris.
Bom, já que o dia estava estragado, que tal tentar salvar a noite? Ela poderia finalmente encontrar o idolo de sua adolescência...

E isso acontece.
Depois de receber o telefonema de seu patrão, amigo e paixão platônica, Reece Lewis, Anne vê que não estava mesmo no clima para socializar. Sozinha do lado de fora da casa, bebendo uma cerveja, ela recebe a companhia de ninguém menos que Mal, o baterista sexy.

Mal havia ouvido parte da conversa de Anne e sabia que ela estava numa fase negra. Como sempre, ele quis animá-la, assim como ele sempre fazia com os amigos da banda quando os ânimos se alteravam.
Foi uma primeira boa impressão mas que não terminou tao bem assim.
No fim da noite, animado demais dançando sobre a mesinha da casa de Ev e David, Mal fala para os amigos que Anne era sua namorada.

Ok, ele estava alterado pela bebida. Na certa no dia seguinte ele sequer lembraria do nome dela.
Então, por que quando ela chegou do trabalho, encontrou a casa invadida por ele, sem camisa em meio a sua sala recém mobiliada?
E é quando Mal faz uma proposta a ela: ele precisava de alguém que fingisse ser sua namorada por um tempo. E ele não queria qualquer groupie; ele queria Anne, porque ela tinha aquela coisa sobre "o olhar" nele. Enquanto isso, ele ficaria na casa dela - já que David o havia expulsado da casa deles porque ele viu Ev de topless -, pagaria o aluguel e a mobília faltante.

O que ela teria a perder? Estaria na companhia do seu ídolo, que por acaso era para  lá de sexy; teria o aluguel pago; móveis novos e ainda iria participar da vida da banda por alguns dias.
Mas qual seria o motivo dele? Este não era para ser discutido.

No início Anne achou melhor não insistir sobre as razões dele. Ela tinha também uma história inacabada com sua mãe, parte do passado dela que ela preferia manter assim, no passado, e não ia gostar de ter alguém fazendo perguntas.


Com o passar dos dias, Mal percebe que parece que todo mundo tem acesso ao ap de Anne. Lauren entra e sai a hora que quer; tem a irmã dela que também tem a chave; mas daí, surgiu um cara se julgando no direito de entrar sem bater? Como assim? E era o patrão dela???

Reece era daquele cara bonito, que sai com qualquer rabo de saia entre 18 a 45 anos, exceto com Anne, mesmo sabendo que ela nutre sentimentos por ele.
Malcolm logo percebe qual era a de Reece, e até propõe a Anne que agora com sua permanência no ap, seria mais fácil para ela colocar ciúmes em Reece e fazê-lo percebê-la.

Mas o que de fato acontece é que Anne é bem aceita pelo grupo. Conhece os pais de Mal e em pouco tempo ela descobre por que ele planejara aquele período de namoro fingido.
Se antes o problema de Anne era de ordem financeira, agora era de ordem emocional, porque sua paixonite pelo ídolo virou paixão pra valer pelo homem, só que ainda havia muitas arestas a serem podadas. Nenhum dos dois estava acostumado a ter relacionamentos duradouros. E quando a razão do plano dele vem à tona, tudo sai do controle. Sentimentos são confundidos e Mal não consegue aceitar que Anne pôde ver além do que ele propunha e o afastamento fora inevitável.

Quem cederia primeiro?



Com uma narrativa leve, Kylie Scott consegue prender o leitor desde a primeira página.
A maioria dos personagens já foi apresentada no livro anterior, LICK. Anne é a que entra na história sendo a tábua de salvação de Malcolm.
Ela é uma personagem forte que, como muitas pessoas na vida, anda numa maré de falta de sorte. Ao encontrar Mal e receber aquela inusitada proposta, tudo parece começar a entrar no eixo.
Ela não se valeu de ter um "namorado falso" para conseguir presentes ou vantagens. O que ela queria era o acordado entre eles, nada mais. Ela continuava trabalhando na livraria de Reece e morando no ap-caixa-de-sapato. A preocupação dela era manter-se longe da mãe e ajudar a irmã a se formar.

Malcolm é daquele badboy não tão mau assim. Bebe um pouco mais entusismado nas festas, mas não é chegado a drogas. As mulheres se jogam aos pés dele, não resistindo ao seu cabelo até os ombros, suas tatuagens e seu físico bem definido.

Há ainda a conexão familiar existente entre os membros da banda, mesmo quando eles batem boca; e a própria família de Mal, cujos pais aparecem no período próximo a turnê.
Um pouco de drama, mas nada muito profundo.

O romance cresce e se desenrola aos olhos do leitor; as cenas são sexies, não tão eróticas assim. Os casais dos livros seguintes, dos 2 outros membros da banda, já começam a ser definidos aqui.
Sem cliffhanger.

Reação: o livro causa boas emoções, mesmo quando a parte triste se aproxima. A autora não é fã de pesar a mão em cenas tristes e lacrimosas.
Recomendação: sim, leitura prazerosa.




*Gravura do Facebook da editora
**Livro em parceria com a editora, em troca de uma resenha de opinião honesta.

E claro, a capa é uma coisa de louco!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário