terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Laurann Dohner - Kraven (VLG #2)



Ficha Técnica: Kraven
Autora: Laurann Dohner
Editora self
Lançamento: 29/janeiro/2016
Lançamento BR: ainda não
343 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance Contemporâneo; Chick Lit; Fantasia

Protagonistas: Kraven e Batina Marie Dawson
Local/ano: Alasca; L.A./atual

"Batina Dawson quer muito duas coisas em sua vida: Ela está determinada a se tornar sócia em seu escritório de advocacia e garantir o futuro financeiro de sua irmã mais nova. É por isso que ela pediu a Dusti para irem até o Alasca, fazer as pazes com o seu rico avô doente terminal. Parecia ser um perfeito plano, até as coisas darem errado.

O avião cai e suas vidas são salvas por dois grandes, musculosos irmãos. Kraven é uma ameaça de cabelos curtos espetados, com um rosto bonito e um corpo de matar. Ele também acredita que ela está em perigo de seu próprio avô, e que Vampiros e Lycans, uma vez criados, fizeram dele um VampLycan. Ele ainda afirma que a mãe dela era um também. Ele pode ter sequestrado Bat, mas o seu complexo de herói é quase terno. Ela sabe exatamente a defesa que ela vai usar se ele se tornar um de seus clientes: Insanidade.

Kraven está frustrado. Bat se recusa a parar de discutir com ele a cada oportunidade. Ela é teimosa, falante, e muito sexy. Ela pode estar certa quando o acusa de ser louco, ela está tornando-o um. Mas ela está em perigo e nada vai pará-lo para mantê-la segura."


Continuação da série > Livro #1 >> resenha


O início deste livro é concomitante com o anterior.
As duas irmãs, Batina e Dusti, encontram-se dentro de um avião prestes a cair em pleno Alasca, quando dois homens enormes - irmãos - se colocam perto delas para fazerem de seus corpos uma espécie de escudo frente à queda que se aproximava.
Depois da queda, eles ficam menos de 24h pela floresta, ajudam os sobreviventes - cerca de 10 pessoas - e depois seguem em direção ao clã deles, em separado para despistar qualquer perseguição inimiga.

Um pouquinho do que acontece em ambos os livros...
As irmãs Dawson estavam indo ao Alasca encontrar o avô delas que, segundo souberam, estava com alguma doença terminal.
A ideia de Batina era tentar recuperar qualquer relacionamento com o avô já que ela soubera através de um investigador que ele era muito rico. Talvez isso amansasse o homem para colocá-las em seu testamento.

Tudo se provou ser uma grande mentira.
Sim, Decker Filmore era muito rico, mas ele não estava doente ou morrendo. Na verdade ele queria ter Batina para fazê-la de moeda de troca com o líder de um outro clã, Aveoth, dos GarLycans, fazendo-a nova parceira deste e querendo em troca que ele entrasse em guerra com os outros clãs VampLycans e desse o poder total a Decker.

Confuso? Nem tanto, quando a gente descobre que tudo se trata de uma guerra entre raças consideradas míticas para os seres humanos: Vampiros, Lycans e Gárgulas. Da união de alguns desses nasceram os VampLycans e os GarLycans. E a princípio, as irmãs acham mesmo que tanto Drantos quanto seu irmão Kraven são loucos ao contarem a elas essa história.

Drantos, que era o filho mais velho do líder de um dos clãs, Velder, e seu irmão Kraven, foram designados a encontrar as irmãs e acabar com a ameaça. Mas desse encontro descobrem que elas eram praticamente humanas e não sabiam de nada sobre seus antepassados.
Drantos primeiro e logo depois Kraven, passam de seus executores a seus mais ferrenhos protetores a partir do momento que elas eram suas parceiras de vida inteira.
Isso só foi descoberto quando eles provaram do sangue delas.

Batina era o que seu avô Decker queria e de jeito algum que Kraven deixaria que ele a pegasse ou até mesmo Aveoth. Por isso, um pouco depois de chegarem ao clã, ele decide que seria melhor levá-la para longe, tornando mais difícil, assim, que houvesse uma guerra sobre o clã.

Kraven e Batina, ou Bat como é chamada, vão para a casa dela, em Los Angeles, e a partir daí que a aventura no livro realmente começa.

Batina era dois anos mais velha que Dusti. Elas ficaram órfãs quando ela tinha 18 anos e estava entrando na faculdade de Direito, seu sonho. Sofreram durante todo o período de estudo dela, com pouquíssimas condições financeiras e Dusti até mesmo abrindo mão de seu sonho em fazer faculdade em prol da irmã mais velha.
A vida delas estava um pouco melhor agora.
Dusti tinha um trabalho de secretária, mas Batina trabalhava num grande escritório de advocacia e estava quase conseguindo ser chamada para ser uma das sócias. Ela era advogada criminalista e era muito boa no que fazia.
Morava num condomínio de alta segurança e tinha dois seguranças acompanhando-a no trabalho desde que há 4 anos sofrera um atentado de um ex-cliente insatisfeito.
Ela não levava desaforo para casa e batia boca por qualquer coisa, o que faz com que ela e Kraven briguem bastante até que ela caia em si sobre o que realmente ele é e o quão perigoso ele era.

Existia uma forte atração entre eles - o que não seria incomum já que Kraven era um homem extremamente alto para os padrões humanos e de ótima aparência, chamando atenção principalmente das mulheres. Mas como ela sempre dizia, eles eram gasolina e fogo, dificilmente poderiam ficar juntos.
O que ela não sabia é que a cada vez que eles compartilhavam seus sangues, a ligação entre eles tornava-se mais forte, até que eles completassem todo o ritual, daí, seria impossível viverem separados.

Batina lutou muito por sua carreira e não iria desistir dela fácil. Kraven até poderia ir morar na cidade com ela, mas ele precisava da floresta. Sua gente tinha a necessidade de transformar-se em seu lado animal diariamente; correr pela floresta; estar perto da família. Por ela, por sua parceira, ele poderia abrir mão disso, mas logo estaria infeliz e ela sentiria a infelicidade dele.

Mas enquanto estavam em Los Angeles, eles foram em busca de respostas. Eles queriam saber por que Antina, a mãe delas, que também era uma VampLycan, nunca contara às filhas de onde elas vinham e sobre a estranha doença de Dusti que a fazia precisar tomar injeções de ferro. A resposta estaria com o Dr. Michael Brent, e tão logo Kraven entra no consultório do médico, a resposta veio através de seu olfato.

Após as perguntas respondidas, Bat descobre muito mais sobre o mundo paralelo que sempre cercou sua vida, e como isso iria afetar o seu futuro em mais de uma maneira...




E aqui temos um livro que divide opiniões!!

Desde o livro anterior dá para perceber que Bat não seria uma mocinha típica.
Sua irmã Dusti era aquela calma; que mesmo em face ao perigo - quando descobre que toda aquela história que Drantos lhe falou era verdade -, ela reagiu de uma maneira mais centrada, mesmo que fosse apenas para salvar a irmã mais velha. Sim, ela achou que Drantos era louco também, mas depois, agiu com mais razão.
Batina era do tipo briga primeiro, escuta depois, o que não parecia casar muito com seu trabalho de advogada.
Mas a verdade era que ela era muito boa no que fazia. E por trabalhar na área criminal, ela não gostava de mostrar fraqueza perante qualquer pessoa que fosse.

Ela e Kraven discutem muito - o que pode irritar alguns leitores.
Quando eles partem do Alasca, tudo começa a se encaixar melhor. Algumas das revelações que ele lhe fez se tornam verídicas; ela contacta o médico que sempre as atendeu - e ela confiava nele -, e também, não teve mais como negar quando viu a transformação de Carver num lobo enorme bem em frente aos seus olhos.

Havia também toda a questão da ligação emocional deles, que se deu bem mais devagar do que a de Drantos e Dusti. Kraven estava tentando não forçá-la a ver como as coisas funcionavam entre eles, e de que ele, como parceiro, jamais desistiria dela.
É daí que vem toda a divisão de opiniões.
Batina era uma pessoa difícil de lidar, e mesmo que ao longo do livro a explicação venha, nem todo mundo ao ler vai gostar disso.

De minha parte achei que o ritmo melhora muito a partir da saída deles do Alasca. Até então, as cenas parecem um pouco repetição do que acontece no livro #1.
Há muitas outras explicações não dadas no livro anterior, não só sobre as raças, em especial os GarLycans, como sobre o porquê aparentemente a mãe delas escondeu tudo.

A autora já começa a introduzir o nome de outros personagens que possivelmente ganharão suas próprias histórias, e eu estou muito interessada na de Aveoth - o líder GarLycan que é praticamente indestrutível; Redson, o primo VampLycan de Kraven e Drantos, e Lorn, o VampLycan escolhido para ser líder do clã de Decker - que está foragido - e passa por uma séria questão de ter de abrir guerra com sua própria família ao se ver frente à decisão de ter de matar o pai. Esses três personagens prometem.

Este livro não tem cliffhanger; um para cada casal.
Apesar da polêmica entre os leitores, dou 4,5 estrelas.

*Gravura: autor desconhecido > Pinterest.

Nenhum comentário:

Postar um comentário