terça-feira, 5 de abril de 2016

Manda Collins - Good Dukes Wear Black (Lords of Anarchy #3)


(english review scroll down)



Ficha técnica: Good Dukes Wear Black
Autora: Manda Collins
Editora St. Martin's Paperbacks
Lançamento original: 05/abril/2016  LANÇAMENTO
Lançamento BR: ainda não
320 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de época; Chick lit

Protagonistas: Lady Ophelia Dauntry e Piers Hamilton, Duque de Trent
Local/ano: Londres/após 1818

"Como colunista do Ladies Gazette, Srta. Ophelia Dauntry tem paixão pela escrita. Então, quando ela vê uma amiga colunista ser raptada diante de seus olhos, e o rastro de evidências leva aos  membros do clube de condução Lords of Anarchy, ela promete encontrar sua amiga e derrubar o notório clube de Londres em sua coluna. Mas antes que ela possa argumentar seu caso, ela precisa de informações privilegiadas de seu mais novo líder: Piers Hamilton, o duque de Trent.

Determinado e bonito, Trent juntou-se aos Lords of Anarchy após uma década no exército britânico. Ele tomou para si a responsabilidade de mudar a imagem ruim do clube e a irritantemente atraente Ophelia está atrapalhando seu caminho. Quanto mais profundamente ela cava o assunto, mais ela coloca sua própria vida em risco. Pode Trent convencer Ophelia a confiar nele para buscar a justiça... e encontrar proteção e paixão em seus braços?"


Continuação da série Lords of Anarchy >> resenha Livro #1  >> resenha Livro #2


Depois de passar anos no exército, Trent não pode ser considerado exatamente um homem sociável, mas também não era de todo ermitão. Ele tinha em Frederick Lisle e o conde de Mainwaring dois grandes amigos e com eles ficava na maioria dos eventos que ia.
Isso queria dizer que também gozava da companhia de suas respectivas esposas, Leonora e Hermione. Além de uma das amigas destas, Srta. Ophelia Dauntry. Como o cavalheiro respeitoso que era, Trent mantinha certa distância delas.

Depois de duas tentativas fracassadas em relação à presidência do Clube de Condução Lords of Anarchy (sem spoilers, livros anteriores), Trent aceita o cargo e quer, na realidade, limpar a má imagem que o clube carrega nos últimos tempos. Para isso, ele convida como membros amigos de artilharia da época da guerra e promove reuniões e festas.

Numa dessas festas, Trent, Freddy e Mainwaring conversam sobre o que o primeiro considera como sua responsabilidade em manter o título em boas mãos, já que seu atual herdeiro, seu primo Waldon  Hamilton, é um dândi pomposo que parece gastar os tubos em cremes para cabelo (para que o cabelo ficasse mais alto do que qualquer chapéu feminino).
Entretanto, como toda festa sempre tem quem faça uma cena, esta é protagonizada por um dos novos membros do clube, George Grayson, que discute com sua bela esposa por ciúme ao vê-la conversando com outro cavalheiro.
Com anfitrião da noite, Trent vai até eles apaziguar tudo, mas Ophelia Dauntry também se pronuncia e acaba seguindo os dois cavalheiros quando Trent tenta acalmar-lhe os ânimos.

Acontece que Ophelia e a esposa de George, Maggie, trabalham no mesmo local, na Ladie's Gazette, como colunistas, e apesar de a coluna de Maggie, sob pseudônimo, ser muito mais famosa por trazer as fofocas da Sociedade, enquanto a de Ophelia era sobre costura, deixar o marido ciumento expor o segredo de Maggie iria atrapalhar o negócio de ambas.
George Grayson achava que a esposa tinha um caso com o editor-chefe, Edwin Carrington. Na concepção de Ophelia talvez até Carrington tivesse uma queda pela bela Maggie, mas esta nunca deu-lhe qualquer esperança.
Enquanto Ophelia e Trent batiam boca sobre a melhor forma de lidar com o bêbado ciumento, este acaba por dormir na cadeira.

No dia seguinte, numa tarde de esgrima entre os membros do clube na casa  de Trent, George, que havia dormido lá, admite ter agido em exagero e mostrou que estava arrependido e o quanto amava a esposa, pronto para ir para casa desculpar-se.
Mas durante esse tempo, enquanto Maggie e Ophelia estavam numa chapelaria, dois homens enormes e desconhecidos apareceram no local e em poder de uma carta assinada pelo marido, levam Maggie para ser internada num asilo (manicômio) com a desculpa de que ela não vinha se comportando de maneira adequada.
Ophelia tenta impedi-los mas é empurrada.
E é assim, desgrenhada e com um corte na cabeça, que ela aparece à porta de Trent para confrontá-lo.

Um pouco antes desse acontecimento, Maggie havia contado a Ophelia sobre uma reportagem que acabara de escrever mostrando que havia algo de muito suspeito em algumas internações na clínica Hayers, e que estas tinham conexão com o orfanato de Daniel Swinton, como uma forma de "se livrar de garotas indesejáveis". E esta clínica de alguma maneira estava ligada ao Lords of Anarchy. Exatamente por isso ela foi direto à fonte.

Como presidente do clube há poucas semanas, Trent não sabia nada daquilo, mas ele prometeu investigar.
Obviamente Ophelia não o deixaria sozinho nessa empreitada, e foi quando eles começaram a sair juntos para saber quem teria interesse em se livrar de Maggie.

O marido ciumento? O sogro dela que sempre se mostrou contra o casamento? Ou ela teria mexido com alguém poderoso dentro do clube que não queria que ela revelasse certos segredos?

Durante as investigações, um outro problema mais mundano: a mãe de Ophelia, Mrs. Dauntry, queria de qualquer maneira que a filha se casasse com o filho da melhor amiga, Lord Goring.
Acontece que Ophelia tinha tanto interesse em Goring quanto teria numa dor de dente. Mas por ter a aprovação da mãe dela, isso seria um problema para Trent que começava a imaginar Ophelia como sua duquesa, e o tempo urgia contra ele.

Entre enfrentar as maquinações da mãe de Ophelia, ir atrás de pistas de onde estaria Maggie e descobrir segredos obscuros de manicômios e orfanatos, Trent e Ophelia precisariam de todo foco possível para verem além da cortina de fumaça que teimava em lhes atordoar a vista e disparar o coração...



O velho caso do duque que precisa arranjar uma esposa para prover-lhe um herdeiro e acaba tropeçando em uma srta que não está nada interessada em se casar. Mas quer saber? É maraaaaaa...

Ophelia não tinha nada exatamente contra a pessoa de Trent. Eles dois se conheciam através de amigos em comum, os dois casais mencionados, mas trocaram poucas palavras antes de toda essa confusão. Foi só quando ela teve a amiga sequestrada que foi ter com ele, pois, se Maggie havia descoberto que o clube tinha algo a ver com toda aquela confusão, na certa Trent deveria saber de algo.

Durante os próximos dias, os dois passam o tempo todo juntos, indo a lugares investigar mais sobre a pesquisa feita por Maggie.
Isso para desespero de Mrs. Dauntry que queria ver a filha casada com Lord Goring, já que sua filha caçula, Mariah, estava bem encaminhada noiva de um marquês. Só que o pai de Ophelia não era a favor do casamento dela com Goring, dizendo que bastava ter um genro com cérebro de idiota (no caso o marquês). Além disso, Ophelia era sua filha preferida, ela merecia coisa melhor. 
A atitude dele me lembrou um pouco o pai de Lizzy Bennet, em Orgulho e Preconceito, quando ele a apoia em não aceitar a proposta de Mr. Collins.

Com a convivência, óbvio que Trent passa a reparar mais nas outras qualidades de Ophelia - porque bonita ela notadamente era - e se pergunta como os outros cavalheiros ainda não a haviam notado. E se irrita profundamente a cada aparição de Goring perto dela, sempre escoltado pela mãe dela, é claro.

Os personagens secundários fazem suas aparições - já apresentados em livros anteriores -, com sua conhecida camaradagem entre eles e intimidade para implicarem com Trent ao perceberem que ele estava caidinho por Ophelia.

O enredo é bem amarrado, com um Q de mistério e aventura, além do romance em si. Ritmo muito bom, tudo envolve. Sem cliffhanger.
Para mim este é o melhor livro da série.




*ARC cedido pela editora, através do NetGalley, em troca de uma resenha de opinião honesta
**Gravura>> Jon Paul Ferrara.

---------------------------------------------------------------------

(English review)


Blurb >> A writer for the Ladies Gazette, Miss Ophelia Dauntry’s passion is her pen. So when she sees a fellow writer kidnapped before her eyes—and the trail of evidence leads to the Lords of Anarchy—Ophelia vows to find her friend and take down the notorious London driving club in her column. But before she can argue her case, she needs the inside scoop from its newest leader: Piers Hamilton, the Duke of Trent. 

Headstrong, handsome Trent joined the Lords of Anarchy after a decade in the British Army. He’s made it his business to tame the misbehavior within the driving club—and the infuriatingly attractive Ophelia is only getting in his way. The deeper she digs into the case, the more she puts her own life at risk. Can Trent convince Ophelia to trust him to seek justice…and find protection, and passion, in his arms?


Review >> The old case of a duke who need to take a wife to have an heir and ends up stumbling into a Lady who isn't interested in anything about marry. But you know what? It's amazing!!!

Ophelia had nothing directly against Trent. They knew each other through mutual friends, the two couples Leonora & Freddy and Mainwaring & Hermione, but exchanged a few words before all this mess. It was only when she had a friend who was kidnapped that she went to him, as if Maggie had discovered that the club had something to do with all the confusion, for sure Trent should know something about the connection among an orphanage, an asylum and Lords of Anarchy Club.

Over the next days, the two spend all their time together, going to places investigate more about Maggie's research.
This to the dismay of Mrs. Dauntry, she wanted to see her daughter married with Lord Goring, as her youngest daughter, Mariah, was betrothed to a marquess. But Ophelia's father wasn't in favor of her marriage with Goring, saying that it was enough to have one "bacon brain" as a son-in-law. In addition, Ophelia was his favorite daughter, she deserved better.

His attitude reminded me  Lizzy Bennet's father, in Pride & Prejudice, when he supports her in not accepting Mr. Collins' proposal.

With all those days together of course Trent would notice Ophelia's qualities - despite her beauty  - and wonders how the other gentlemen hadn't even noticed her. And was deeply irritated every time Goring comes near her, always escorted by her mother, of course.

The secondary characters make their appearances - already introduced in previous books - with their known camaraderie among them, always  teasing Trent when they realized he was falling for Ophelia.

The plot is well tied with mystery and adventure, beyond the romance itself. Very good pace . No cliffhanger.
For me this is the best book in the series.


Nenhum comentário:

Postar um comentário