quarta-feira, 18 de maio de 2016

J.R. Ward - Os Reis do Bourbon (livro #1)



Ficha técnica: Os Reis do Bourbon (The Bourbon Kings)
Autora: J.R. Ward
Editora Universo dos Livros
Lançamento original: 28/julho/2015
Lançamento BR: abril/2016
304 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance contemporâneo; Chick Lit; Drama; Suspense

Protagonistas: Lizzie King; Jonathan Tulane "Lane" Bradford Baldwine; Edward Westfolk Bradford Baldwine; Willian Baldwine; Sutton Smythe; Chantal Blair Stone Baldwine; Virginia "Gin" Elizabeth Baldwine; Samuel Theodore Lodge III.
Local/ano: Charlemont, Kentucky; NY/atual


"Por gerações, a família Bradford foi coroada como magnata da capital mundial da produção de bourbon, no Estado norte-americano de Kentucky. A fortuna permanente lhes proporcionou prestígio e privilégios bem como a divisão de classes, conseguida a duras penas, na vasta propriedade familiar, a Easterly. No topo dela, há uma dinastia que, para todos os efeitos, joga de acordo com as regras da boa sorte e do bom gosto. Na base, os empregados que trabalham sem parar para manter impecável a fachada dos Bradford. E nunca os dois lados deverão se encontrar.

Para Lizzie King, a jardineira-chefe, cruzar essa fronteira quase arruinou sua vida. Apaixonar-se por Tulane, o filho pródigo da dinastia do bourbon, não foi o que pretendia, nem o que desejava, e o rompimento amargo só provou que seus instintos estavam certos. Agora, após dois anos de afastamento, Tulane finalmente retorna para casa, e traz consigo o passado. Ninguém sairá ileso: nem a bela e insensível esposa de Tulane; nem seu irmão mais velho, cuja amargura e rancor desconhecem limites; tampouco e especialmente o patriarca, um homem de pouca moral, ainda menos escrúpulos e muitos, muitos segredos terríveis.

Enquanto as tensões familiares profissionais e particulares florescem, Easterly e todos os seus habitantes serão lançados nos domínios de uma transformação irrevogável, e somente os fortes sobreviverão."


Os Bradford são uma família com tradição na preparação de bebida. A mais famosa delas é o Bourbon Bradford n° 15.
O terreno de propriedade da família foi concedido em 1778.

A matriarca da família, Virginia Elizabeth Bradford, casou-se com William Baldwine e tiveram 4 filhos: Edward, Max, Lane e Gin. Apesar de ter o sobrenome do marido, ela fez questão de continuar sendo chamado como Sra. Bradford. Atualmente, com a saúde debilitada, ela praticamente não sai do quarto.
Os negócios da família deveriam ter sido passados ao filho mais velho, Edward, mas este sofreu um sequestro quando viajou para a América do Sul (país não especificado). E depois de todo o sofrimento que teve, decidiu afastar-se dos negócios e abrir o seu próprio, o Haras Vermelho e Preto, especializado em reprodução de cavalos de corrida.

O filho Max há muito havia partido e estava incomunicável.
Lane morava em NY e não queria saber dos negócios familiares.
Gin, a caçula, era considerada a problemática. Havia engravidado na adolescência e nunca contara quem era o pai de sua filha.

Tudo isso deu possibilidade ao pai, que não era um Bradford de nascença, a tomar controle dos negócios e agora tudo parece ruir.
A destilaria passa por sérios problemas, com possibilidade de fechar as portas.

Tudo vem à tona na época da 139ª disputa do Derby de Charlemont, uma tradição da qual a família Bradford muito se orgulhava. Com toda a organização nas mãos dos empregados competentes, parece que dessa vez tudo vai por água abaixo.

Lane acaba voltando à casa familiar depois de 2 anos afastado ao ficar sabendo que a mulher que o criara estava morrendo.
Ali estavam todas as suas dores. Sua família desmoronando, a mulher que ele amava, uma outra que ele não suportava, o pai déspota e, agora, a ruína financeira.

Ao começar a pesquisar as finanças da família, Lane descobre segredos há muito guardados. Ele precisava livrar a irmã da cadeia e o resto da família da desgraça vindoura, e para isso ele precisaria da ajuda de Edward, o que era o mais preparado.

Por conta das dores crônicas que sentia e a fisioterapia que fazia, da qual chamava os fisioterapeutas de sádicos , Edward passava mais tempo bêbado do que sóbrio.

Mas com seu retorno, Lane também estaria frente a frente com a mulher que não conseguira esquecer, Lizzie King, responsável pelos jardins da mansão.

Quando os papéis financeiros são vistoriados; quando os irmãos Bradford descobrem o plano sórdido para acabar com a empresa; quando mortes começam a acontecer, finalmente os Bradford se dão conta de que precisariam arregaçar as mangas e se unir, caso ainda quisessem que alguma dignidade lhes restasse...





Prepara o coração porque este livro é uma surpresa atrás da outra!!!

Você já deve ter ouvido falar dos muitos escândalos que cercaram as famílias Kennedy e os Johnson (sim, aqueles mesmo da marca de remédios Johnson & Johnson). Pois bem, os Bradford não ficam atrás. E parece que esta atual geração terá que arcar com todas as responsabilidades do casamento dos pais.

O jogo é sujo.
São quatro irmãos totalmente diferentes, mas todos sofreram, de alguma maneira, nas mãos do pai, William Baldwine.
Talvez o mais velho é o que tenha sofrido mais (e parte desse segredo começa a ser revelado aqui), mas os outros também têm seus motivos para odiá-lo.

O casal romântico da vez é Lane e Lizzie.
Eles se conheceram nessa mesma mansão e viram-se apaixonados, mas um velho golpe fez com que eles se separassem. Agora, dois anos depois, com o retorno de Lane a Charlemont, eles se reencontram.
Lane ainda sente o mesmo por Lizzie, e ela sente apenas desconfiança.
Ele terá um trabalho duro para provar a ela suas intenções, ao mesmo tempo em que juntos, eles buscam a verdade sobre o tsuname que abala a família.

Para quem conhece o velho estilo de narrativa de J. R Ward, através da série Irmandade da Adaga Negra, é parecido. Ela apresenta vários personagens mas foca o romance em um casal por vez, enquanto prepara o terreno para os próximos. Parte do problema é resolvido, mas outros vão surgindo.

Suas emoções ao longo da leitura oscilam entre surpresa, raiva, revolta e florzinhas.

O enredo prende do princípio ao fim (para quem gosta de um suspense bem escrito). O ritmo é bom. Os personagens são fortes e complexos.

Eu já estou aqui em cólicas por conta de um casamento que vai acontecer mas não pode!!!!!



Nervosa com o lançamento do próximo.
No final do livro #1 tem um trechinho do próximo, e acredite, o babado consegue ser pior do que você imagina...



Amadorei!! Um livro que te prende. Saindo das mesmices românticas.

Dando MAIS DO QUE 5 ESTRELAS!!!

a autora

Nenhum comentário:

Postar um comentário