terça-feira, 17 de maio de 2016

Sophie Jackson - Paixão Libertadora (Desejo Proibido #2)



Ficha técnica: Paixão Libertadora (An Ounce of Hope)
Autora: Sophie Jackson
Editora Arqueiro
Lançamento original: 2016
Lançamento BR: 2016
352 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance contemporâneo; Drama; Chick Lit

Protagonistas: Max O'Hare e Grace Brooks
Local/ano: Condado de Preston, Virgínia Ocidental; Hamptons, NY; Filadélfia; Washington/atual (lembranças de até 7 anos antes)

"Max OHare já passou por muitos momentos difíceis na vida. Depois de perder um grande amor e ter que se internar numa clínica para se livrar das drogas, ele decide que é hora de trocar Nova York por uma cidade do interior, na tentativa de se reerguer ao lado da família.

É lá que ele conhece a deslumbrante Grace Brooks. Amante da arte e da fotografia, ela parece a mulher perfeita. Mas o que Max não sabe é que ela guarda a sete chaves a verdade sobre o próprio passado. 

Atraídos um pelo outro, mas com medo das consequências que um relacionamento sério pode trazer a suas vidas já complicadas, eles fazem um pacto para que a relação seja apenas sexual, sem sentimentos envolvidos. Até que as coisas começam a mudar entre os dois...

Presos a grandes medos e a segredos profundos, Max e Grace precisam aprender a confiar de novo e se entregar um ao outro não apenas de corpo, mas também de alma."


Max é amigo de Carter há muitos anos. Pelo amigo que na época tinha a noiva grávida, Carter vai para a prisão. Mas Lizzie, a noiva em questão, sofre um aborto espontâneo e isso dilacera o relacionamento do casal.
Um dia, Max acorda e Lizzie havia ido embora. Dali em diante a vida dele tornou-se uma repetição de mulheres em relacionamento vazio, festas e drogas. Ele chegou ao fundo do poço e quase perdeu a oficina, deixada pelo pai, por conta das muitas dívidas com drogas.

Mais uma vez Carter vem em auxílio do amigo. Compra parte da oficina, paga as dívidas, coloca Riley Moore como responsável dela enquanto Max é levado para uma clínica de detox.

Muitos medicamentos, tremores, ataque de pânico e terror noturno. Mas o que Max mais demorou a fazer foi se abrir com o terapeuta. Terapia em grupo então, nem pensar.
Até que um terapeuta o encaminhou às aulas de arte, administradas por Tate Moore, irmão de Riley; ex-soldado que havia tido sua parcela de horrores no Iraque e Afeganistão.

Os dias vão passando. Max recebe medalhas por estar limpo. Até que chega o dia de ele sair.
Ele tenta ficar na casa de praia com Carter e a noiva Kat, mas apesar de estar feliz pelo amigo, ver os dois juntos era um gatilho para Max ter crises. Ele não queria se apaixonar; ele não queria ter lembranças do período feliz com Lizzie; então, ele decide passar um tempo com um tio de consideração, muito amigo do pai dele, em outra cidade.

Tio Vincent "Vince" Masen era dono da construtora Masen e de uma pensão, onde Max se hospedou. Apesar dos protestos do tio, Max queria pagar sua estadia de alguma forma, por isso, começou a trabalhar na construtora. Nas horas vagas ele corria pela floresta do local.
Eles estavam trabalhando numa reforma de casa antiga, que estava caindo aos pedaços, mas a nova moradora estava pagando tudo à vista e o serviço seria de primeira.
Max não queria envolvimento. Se dava bem com os rapazes do trabalho, mas sempre ficava na dele, mas foi impossível não ouvir os comentários sobre a nova proprietária da casa e, rapaz! Ela tinha um traseiro de dar inveja...

Grace Brooks havia comprado aquela casa por uma pechincha. Era bem verdade que estava completamente destruída, mas como a fotógrafa que era, com olhar clínico, ela já conseguia vislumbrar como a casa ficaria.
Seu irmão Kai, dono de uma boate em Washington, não queria que ela ficasse numa cidade longe dele, morando sozinha numa casa, mas Grace precisava recomeçar. Ela até conseguira trabalho no bar Whiskey como atendente.

Grace havia sido casada e se separou quando o marido tornou-se abusivo. Ela fazia terapia há 28 meses e fazia relativo progresso. Conseguir sair da casa do irmão e ter uma vida independente fazia parte do processo de cura.

Enquanto ela esperava a casa ficar pronta, hospedou-se na pensão. A mesma em que Max estava, e eles acabam se esbarrando...

Aos poucos o relacionamento deles cresce. De companheiros de corrida a amigos; de amigos comuns a amigos com benefícios. O envolvimento emocional seria o lógico a acontecer.  Óbvio que ambos combinaram que seria apenas sexo, mas ninguém passou esse memorando ao coração.

Incertezas, medos, ataques de pânicos, fugas.
Quem daria o primeiro passo quando finalmente se dessem conta de que a amizade já havia ultrapassado do limite permitido?



 Max e Grace vinham de experiências de vida diferentes, mas ambas machucaram muito a cada um.
Mas perdeu a mãe muito pequeno, em pleno dia de aniversário e o pai, anos depois, para o câncer. Seu envolvimento com as drogas partiu daí.
Quando conheceu Lizzie e se apaixonou quase que de imediato, pensou ter encontrado o caminho da salvação. Ela era linda, sexy, bem humorada e mesmo sem planejamento, quando descobriram que ela estava grávida, o destino sorriu para ele.
Mas mais uma tragédia se abateu e dessa vez parecia que ele não queria sair do buraco onde se enfiou.

Grace teve um relacionamento normal com um homem maravilhoso. Até que o comportamento dele mudou. Tornou-se agressivo, culpava-a pelas coisas mais absurdas, até que chegou no limite do ato abusivo e passou a espancá-la.
Dores físicas e emocionais e, na maioria dos casos, mesmo quando a mulher é a vítima, ela se sente responsável pelo que sofreu.

O encontro de Grace e Max foi casual. A aproximação foi lenta. Ambos tinham boa aparência mas não houve nada dessa coisa "te vi, te amei".

Gostei da narrativa porque a autora não dourou a pílula. A recuperação de Max não se dá da noite para o dia, nada de pulos no tempo. Ele tem recaídas, ele faz besteira, ele e Grace brigam. Ele não é O herói. Eles estavam machucados pela vida, mas queriam tentar...

O ritmo é bom. Talvez algumas cenas tenham sido repetitivas, poderiam ter sido cortadas, mas isso não diminui o mérito da história. Os personagens envolvem. Há o retorno do casal anterior e a apresentação dos personagens de livro futuro. Sem cliffhanger para o casal.
Série boa para acompanhar.





*Livro enviado pela editora, em parceria, em troca de uma resenha de opinião honesta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário