quinta-feira, 26 de maio de 2016

Sugar Jamison - Betting the Bad Boy (Destiny #2)





Ficha técnica: Betting the Bad Boy
Autora: Sugar Jamison
Editora Swerve
Lançamento original: 02/fevereiro/2016
Lançamento BR: ainda não
ebook
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance contemporâneo; Chick Lit

Protagonistas: Duke, Colt e Levi King (irmãos); Grace Truman e Ryder
Local/ano: Las Vegas; Destiny, Nevada/atual

"Há dez anos, Duke King sabia que se envolver com Grace Truman só iria trazer problemas para sua vida já difícil. Afinal, o filho do bêbado da cidade não tinha que se envolver com a filha do juiz... uma paixão que levou ao desastre e terminou com Duke sentenciado por dez anos. Duke nunca quis voltar a Destiny, especialmente agora que ele construiu um multimilionário império de carros customizados com seus irmãos. Mas quando sua tia doente chama-os para casa, ele deve enfrentar seu passado e descobrir um segredo que instantaneamente muda a sua vida.

Grace nunca pensou que iria ver Duke novamente, especialmente depois de anos de silêncio. Mas quando Duke reaparece em sua vida, mais lindo do que nunca, e determinado a conhecer o filho que ele nunca soube que tinha, ela percebe que talvez tenha errado com ele há tantos anos. Então, Grace decide fazer uma aposta com Duke. Se ele puder ficar na casa com eles pelos próximos trinta dias e provar que pode ser um bom pai, ela vai concordar em deixá-lo fazer parte da vida de seu filho. Se não, seria melhor ele estar preparado para uma luta.

Indo de um cara solteiro a um com família, não vai ser fácil para Duke, especialmente com a ainda sexy, e mais ainda ardente, Grace nublando todos os seus pensamentos. Pode Duke ser o homem que nunca pensou que poderia ser ou seu lado bad boy falaria mais alto?"


Continuação da série DESTINY >> Livro #1

Esta história acontece em paralelo ao livro anterior. Portanto, o início pega os irmãos no mesmo local de antes, cada um em seu trabalho na empresa deles, em Las Vegas.

Duke foi o idealizador da empresa de customização de carros. Ele sempre foi bom nisso e ter um trabalho após amargar anos na cadeia por um crime que não cometeu, o manteria longe de problemas... e de Destiny.

Com a ajuda do irmão do meio, Colt, o gênio da família e o único que fez faculdade, eles montaram um verdadeiro império. Eles não eram mais os pobres coitados King da pequena cidade em Nevada.

Tinham uma dívida de gratidão para com tia Lolly. Foi ela quem acolheu os irmãos quando o pai simplesmente foi embora, depois de ter provocado um acidente na fábrica em que trabalhava por ter ido trabalhar bêbado. Todos na cidade ficaram com raiva de Cal King e transferiram essa raiva aos filhos.

Quando ainda estava no Ensino Médio, Duke conheceu Grace Truman. Ela era a filha do juiz. A princípio ele se manteve longe dela, mas parece que ela não queria se manter longe dele. E acabaram se envolvendo, mesmo que mantivessem tudo com certa discrição porque aos 15 anos ele tinha sido preso - por pouco tempo - por ter roubado comida para os irmãos mais novos.
Mas sempre tem aquele colega filho da mãe, filho de algum figurão da cidade que se acha o melhor, e era esse que insistia em ficar com Grace. Patrick Andersen, filho do chefe de polícia.

Depois de uma das muitas brigas que eles tinham e terem terminado, Grace queria fazer Duke voltar, por isso decide aceitar o convite de Patrick para sair. Mas a saída não ocorreu como o esperado. Patrick queria tomar liberdades com ela, e Duke acaba aparecendo em seu auxílio. Ele e Patrick brigam. Duke é levado preso.
O que era para ser fichado apenas como uma briga virou tentativa de assassinato porque Patrick saiu mais machucado - e também por ser filho de quem era. Como o pai de Grace queria mantê-la longe de Duke, a sentença foi dada e ele foi para a prisão.

Nos últimos seis anos os irmãos King levantaram o império.
Levi alavancava o lado promocional por apresentar um programa na TV onde pilhas de lixo viravam um carro customizado.

Mas tia Lolly foi internada e estava no CTI.
Por 10 horas dividiram o carro de Duke, um Cadillac Eldorado 1956, até Destiny.
Tia Lolly queria falar com cada sobrinho em separado e fazer-lhe um pedido especial que demandaria que ficassem por pelo menos 30 dias na cidade.
A Duke, ela pediu que fizesse as pazes com o passado.

Ao visitar a tia, ele teve a impressão de ter visto Grace, como enfermeira.
Mais tarde eles se encontram no mesmo local no parque onde se encontravam anos atrás.
Quando ele vai comprar um carro antigo pensando em customizá-lo - já que teria que ficar na cidade, precisava de algo para se distrair -, descobre que o endereço era exatamente na frente da casa do juiz, pai de Grace, e havia um garoto mexendo num carro ali. Ao ir falar com o garoto, descobre que este é filho de Grace e - SURPRESA!!! - dele também.

Treze anos. Duke tinha um filho de 13 anos e não sabia. E daí, começa o embate entre ele e Grace.
Duke quer ter direito sobre o filho que nunca soube existir; Grace lhe diz ter escrito cartas que nunca foram respondidas - e recebidas; ele ameaça entrar na justiça e com todo o dinheiro que tinha na certa iria ganhar; ela resolve fazer um acordo: ele ficaria com eles pelos próximos dias e se mostraria capaz de ser um bom pai, ou então, os dois lutariam no tribunal.


Duke queria o filho. Mas também queria Grace. Ela era forte e determinada e com o passar dos dias, ele fica sabendo que a vida dela não havia sido fácil.
Quando Duke foi para a cadeia e ela se descobriu grávida, primeiro o pai quis que ela tirasse a criança, depois, que ela se casasse com um homem 20 anos mais velho. Ela foge de casa; trabalha; vai estudar; cuida de seu filho sozinha. Só voltou quando seu pai há pouco tempo ficou doente.

A convivência deles não é nada fácil, mas mais difícil ainda é a de Duke com seu filho. Adolescente. O que eles tinham em comum? Amavam mexer em carros. Porém, havia muitos anos de distância e falta de explicação.

Em meio a tudo isso, mágoas do passado precisam ser resolvidas. A cidade que antes os execrava, encara o retorno dos famosos irmãos King de outra maneira, e Duke, mais do que nunca, quer recuperar o tempo perdido. Mas será que eles teriam ainda alguma chance? E será que Ryder iria aceitar ter um pai nessa altura de sua vida?




Família pobre e problemática. Acusação indevida. Traição. Manipulação.
Apesar dos pesares, tia Lolly soube aproveitar-se de sua doença para trazer os sobrinhos de volta.
Tudo começa ao mesmo tempo, mas cada história é contada separadamente.
Colt voltou rico, CEO, sério. Envolveu-se com Zanna, que trouxe um pouco de alegria à sua vida.

Agora é a vez de Duke.
Vivia para o trabalho. Mesmo sendo milionário, continuava a morar num pequeno apartamento em Vegas. Era bom o suficiente e ficava longe de Destiny.
Ao voltar à cidade, descobre por acaso que era pai. De um adolescente.
Nunca desafie um King, eles não jogam para perder. Mas Grace queria tempo. Tempo ao lado de Duke, o único homem que realmente amara. Tempo para que ele conhecesse o filho. Tempo para o filho se acostumar com o pai. Tempo para curar as feridas.

Se antes eles se encontravam escondidos no parque, agora, eles se encontram escondidos à noite, no quarto dele, onde Grace vai.
O relacionamento cresce, mas há vários fios do passado soltos a serem atados.

A história diverte. Tem várias cenas engraçadas porque, mesmo com Duke sendo estilo mal-humorado, tem o relacionamento dele com o filho que é algo novo e Levi, o mais despojado dos irmãos.

Ritmo bom. Sem cliffhanger para o casal.

*Livro cedido pela editora, através do NetGalley, em troca de uma resenha de opinião honesta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário