quarta-feira, 1 de junho de 2016

{{CURIOSIDADE}} Regras para o LUTO na Era Vitoriana





Prantear seus mortos na era vitoriana era um evento muito rigoroso e formal com muitas regras.

No século 19, o comportamento do luto na Inglaterra tinha se desenvolvido num conjunto complexo de regras, especialmente entre as classes mais altas. Para as mulheres, as roupas envolviam vestidos pretos, pesados com o uso de véus pesados de crepe. Todo o conjunto foi coloquialmente conhecido como "ervas daninhas da viúva" (do Inglês Antigo Waed, que significa "peça").



Bonés e gorros especiais, geralmente em cores escuras, formavam o conjunto. Havia jóias especiais para o luto, muitas vezes feitas de âmbar-negro. Jóias também eram feitas com o cabelo do falecido. Os ricos usavam camafeus ou medalhões projetados para manter uma mecha de cabelo do falecido ou alguma relíquia similar.



 Era esperado das viúvas que vestissem roupas especiais para indicar que estavam de luto por até quatro anos após a morte, embora uma viúva pudesse optar por usar tal vestimenta para o resto de sua vida. Mudar o traje muito antes da hora era considerado desrespeitoso com o falecido e, se a viúva fosse ainda jovem e atraente, sugeriria uma potencial promiscuidade sexual. 
Àqueles sujeitos às regras eram lentamente permitidos a re-introduzir a roupa convencional em períodos de tempo específicos; esses estágios eram conhecidos por termos como "luto total", "meio luto", e descrições semelhantes. Durante o meio luto, cores suaves como lilás, cinza e lavanda poderiam ser introduzidas.

Amigos, conhecidos e empregados usavam luto, em maior ou menor grau, dependendo do seu relacionamento com o falecido. O luto seria usado por seis meses pelo irmão. Os pais usariam luto por uma criança/filho enquanto se sentissem predispostos a isso. Já a viúva era suposto vestir luto por dois anos e não participar nos eventos da sociedade por um ano. Nenhuma senhora ou o cavalheiro de luto deveria participar de eventos sociais enquanto em luto total. Em geral, os funcionários usavam braçadeiras negras quando havia uma morte na família.
Dá para entender, então, o escândalo que Scarlett O'hara causou, mesmo sendo em outro país, que não a Inglaterra!!!




Como forma respeitosa, o uso de uma braçadeira preta simples era visto como apropriado apenas para os militares, ou outros obrigados a usar um uniforme no exercício das suas funções - uma faixa de braço preta em vez de roupas de luto apropriadas era visto como uma degradação da etiqueta e algo a ser evitado a todo custo.
Em geral, esperava-se que os homens usassem ternos de luto (para não ser confundido com os ternos da manhã) de casacas pretas com calças combinando e coletes. 

Vitorianos também eram muito supersticiosos quando se tratava de período de morte e luto. Então, eles reuniram um série de regras supersticiosas, tais como:

*É má sorte  passar por um cortejo fúnebre. Se fosse o caso, deveria-se virar o rosto. Se for inevitável, segurar um botão até que o cortejo fúnebre passe.

*Cobrir os espelhos da casa para que a alma do falecido não se sentisse tentada a voltar ao mundo dos vivos.

*Parar o relógio numa sala de velório ou você terá má sorte.

*Se você ouvir um trovão na sequência de um enterro, indica que a alma do falecido atingiu o céu.

*Se você não segurar a respiração enquanto passar por um cemitério, você não será enterrado quando chegar a sua hora.

*Se o falecido viveu uma boa vida, flores crescerão em seu túmulo; mas se ele foi mau, somente crescerá erva daninha.

*Ao contrário de hoje onde qualquer pessoa pode assistir a um serviço fúnebre, na era vitoriana, para estar presente num funeral, a pessoa deveria primeiro esperar  receber seu convite formal por escrito.

A Banda Panic! At the Disco gravou um clip, The Ballad of Mona Lisa, em que mostra alguns dos ritos a cumprir em caso de morte:




*Tradução livre do artigo >> As Regras e Normas do Luto na Era Vitoriana

Nenhum comentário:

Postar um comentário