quinta-feira, 30 de junho de 2016

Lucinda Riley - A Garota Italiana



Ficha técnica: A Garota Italiana (The Italian Girl)
Autora: Lucinda Riley
Editora Arqueiro
Lançamento original: 1996 (como Ária); 2014 (com título atual)
Lançamento BR: 2016
464 páginas
POV: terceira pessoa - passado; primeira pessoa - Rosanna (em cartas)
Gênero: Romance contemporâneo; Chick Lit; Drama

Protagonistas: Rosanna Menici; Roberto Rossini; Carlotta Menici; Luca Menici
Local/ano: Nápoles; Milão; Londres; Paris; Bergamo; NY/1966 a 1996

"Uma inesquecível história de amor, traição, paixão, obsessão e música.

Aos onze anos de idade, Rosanna Menici conhece o cantor Roberto Rossini, uma estrela em ascensão no mundo da ópera italiana - e o homem que mudaria sua vida para sempre. Incentivada - e apaixonada - por ele, Rosanna passa a se dedicar ao estudo do canto lírico, torna-se cantora profissional, e logo os dois se encontram nas salas de concerto mais famosas do mundo, dividindo não só o palco como também o mesmo destino.

Com seu talento incomum para descrever ambientes e evocar sensações e sentimentos universais, Lucinda Riley nos leva a acompanhar a trajetória de Rosanna, desde os bairros pobres de Nápoles até os teatros mais glamourosos do planeta, trazendo à tona, com sua prosa inconfundível, as alegrias, tristezas, frustrações, decepções e redenções do amor."


Cantina do Marco. Este era o meio de subsistência da família Menici.
Marco, o pai, dono do local, era o responsável pela cozinha, e tinha como ajudantes sua esposa Antonia e o filho mais velho, Luca. Das filhas eles tinham Carlotta, a bela da família, e a pequena Rosanna, que não era nenhuma beldade.

Num dos muitos dias normais da família, iriam preparar uma festa surpresa para o aniversário de casamento de um casal amigo e o filho destes, Roberto, estudante de canto em Milão, iria vir.
Foi nesta noite que a vida de Rosanna começou a mudar.

Quando Roberto chegou com toda a sua exuberância, já causou na menina uma grande impressão, mas quando ele soltou sua voz, ela tinha certeza que havia se apaixonado, mesmo à idade de 11 anos.
Mas Luca, irmão dela, pediu que ela também cantasse e apesar de sua timidez inicial, ali se apresentou alguém com a voz de um anjo.
Percebendo isso, Roberto deu todo o apoio que ela procurasse um antigo professor dele, agora morando ali na cidade de Nápoles, Luigi Vincenzi.

Passado o dia, o pai de Rosanna não deu importância ao conselho de Roberto, dizendo ter se tratado apenas de gentileza, mas Luca sabia do potencial da irmã e foi ele quem levou o sonho dela adiante.

De fato, Luigi se impressionou com a voz da menina e nos 5 anos seguintes ele deu-lhe aulas e lhe passou todo o conhecimento que pôde.
Mas chegou a um ponto que Rosanna precisava de mais e Luigi a indica para uma escola em Milão, o que de lá seria um pulo para se apresentar no Scala. O responsável pela escola era o mesmo diretor artístico do Scala, Paolo de Vito.

Paolo também se impressiona com Rosanna, agora com 16 anos, e consegue convencer seu pai a deixar a menina ir para a Milão. O pai cede com a condição de que Luca vá com a irmã.

Só um tempo à frente que os caminhos de Rosanna e Roberto voltam a se cruzar. Ele, já um famoso solista de ópera, ela ainda uma mera aluna, mas com um enorme potencial.
Quando Rosanna se forma, em torno dos 21 anos, sua grande chance surge quando a solista da peça Butterfly pega escarlatina e não há outra solista famosa a lhe substituir.
Já tendo visto Rosanna em algumas apresentações em papéis menores, Roberto sugere Rosanna como sua parceira de palco.
O sucesso é retumbante; a bilheteria explode com o público querendo conhecer esse novo fenômeno. Rosanna é convidada a ir cantar em Londres e vai para lá com Roberto.
É quando os dois, sozinhos, acabam por descobrir que deveriam ficar juntos. Ela lembra-se de sua paixão de menina e que, aos 11 anos, havia escrito em seu diário que se casaria com ele... Um dia...



Aí, você pensa: nossa! Mas é uma bela história de amor e eles vivem felizes para sempre...

Não é bem assim.
Até aqui contei a história pelo lado de Rosanna, mas ainda há muita coisa acontecendo pelo outro lado...

Roberto conhece a pequena Rosanna e sente que ali havia um talento, mas naquela mesma noite em que aconselhara a pequena a procurar um professor de canto, ele se deitava com a irmã mais velha dela e lhe tirava a virgindade.
Roberto era um talento, mas também era um homem que só via a si mesmo e sua carreira. As mulheres eram peças de prazer e nada mais.

Quando conseguiu chegar no topo, continuou agindo assim, não poupando nem mesmo certas alunas da turma de Rosanna, já em Milão. Meteu-se em mais confusão por conta de seu comportamento do que o desejado até chegar ao ponto de ter de ficar anos sem voltar à Itália.

Rosanna era o ponto centrado do relacionamento mas ela também sucumbiu à paixão por ele e permitiu-se viver esse sentimento, alheia a muitos problemas prévios do homem que amava.

A primeira metade do livro, você acompanha a carreira dos dois até que chegam ao estrelato. Na segunda metade, vem o relacionamento deles e as difíceis decisões que Rosanna precisou tomar em nome desse amor.

Segredos de família, discórdia, ameaças, chantagens, egoísmo, luxúria, ápice e queda; tudo isso entremeados com a fama, com os aplausos, com o abrir e fechar das cortinas, com o sucesso e a decepção, mas, acima de tudo, com o aprendizado de que o show deve continuar.



Comecemos pela capa... LINDA!!!!
O enredo é bem realístico. As paisagens descritas nos fazem viajar pelos mais belos lugares da Itália, dando uma vontade danada de arrumar as malas e pegar o próximo avião.
O ritmo.. apesar do livro ter um considerável número de páginas, o ritmo é rápido, com vários saltos no tempo.

Os personagens são complexos. Segredos guardados há muito tempo tornando difícil a decisão daqueles envolvidos em revelar ou não determinadas verdades.
O casal princípal é como a água e o vinho. Ambos eram focados em suas carreiras, mas tinham um olhar diferente de como agir. Enquanto Roberto comportava-se como uma estrela, fazendo exigências sem sentido, Rosanna primava pela gentileza. Ela acaba sendo um pouco afetada por ele com a convivência, mas sem se tornar tão soberba.

E daí que vem a questão da opinião de cada leitor. Uns talvez achem que o casal estava destinado a ficar junto e fazer grandes coisas; outros já diriam que não; que Rosanna se daria melhor sozinha. Leia e faça seu próprio julgamento.

Como bons italianos, eles vivem no total tom passional; tudo no matar ou morrer. E com o tempo, Rosanna percebe o quanto a vida deles estava inexoravelmente intrincada.

Para quem nunca leu esta autora, é uma boa leitura para conhecer o seu trabalho, já que se trata de um livro único.
Sem cliffhanger para o casal.

4 estrelas

Sobre a autora


Facebook  |  Website  |  Goodreads  |  Twitter


*Foto: Maria Callas representando em Madame Butterfly
**Livro cedido pela editora, em parceria, em troca de resenha de opnião honesta

Nenhum comentário:

Postar um comentário