quinta-feira, 16 de junho de 2016

Maya Banks - Seduzida por um Guerreiro Escocês (Montgomerys & Armstrongs #1)




Ficha técnica: Seduzida por um Guerreiro Escocês (Never Seduce a Scot)
Autora: Maya Banks
Editora Universo dos Livros
Lançamento original: setembro/2012
Lançamento BR: maio/2016
338 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de época; Chick Lit

Protagonistas: Graeme Montgomery e Eveline Armstrong
Local/ano: Escócia/século XIII

"Eveline Armstrong é imensamente amada e protegida por seu clã, mas as pessoas a consideram diferente, pois apesar de ser linda e encantadora, a moça sofreu um acidente que lhe causou sequelas não só psicológicas, mas também físicas, visto que ela ficou surda. Satisfeita com sua vida reclusa, ela aprendeu a ler lábios e permitiu que o mundo a enxergasse como uma tola. Contudo, quando um casamento arranjado a torna esposa de Graeme Montgomery, integrante de um clã rival, Eveline aceita seu destino - despreparada para os deleites que viriam. Enredado pelos mistérios de Eveline, cujos lábios silenciosos são cheios de tentação, Graeme vê seu casamento ameaçado devido às rivalidades entre clãs e agora deverá enfrentar inúmeras adversidades para salvar a mulher que lhe despertou tanto amor."


Reinado de Alexandre II. Os vários clãs na Escócia viviam brigando, mas dois em especial pareciam querer se aniquilar. Mais ainda quando um deles era acusado de ter matado um antigo laird do outro.
Montgomerys e Armstrongs eram inimigos mortais.
Para acabar com essa situação, o rei decreta que deveria haver uma casamento entre membros dos clãs. Graeme Montgomery foi escolhido para casar com a filha do laird dos Armstrong, Eveline.

Eveline tinha a fama de ser meio louca, excêntrica pelo menos. Seu noivado com Ian McHugh já havia sido cancelado após ela ter sofrido um acidente, ter ficado duas semanas entre a vida e a morte e, ao melhorar, ter mostrado não ser mais a mesma pessoa.
Mas o rei não estava preocupado se Graeme ia se casar com alguém incapaz e, com isso, ele não poderia ter herdeiros.

Os dois clãs receberam a ordem do rei. Nenhum deles gostou, mas não podiam ir contra.
No oitavo dia após o envio da carta, um emissário do rei, o Conde Dunbar, é enviado ao clã Armstrong para ter certeza de que a ordem seria cumprida. Logo depois chegam os Montgomery. O clima era tenso entre todos. Exceto para Eveline.

Havia uma razão muito forte para isso.
Eveline não era louca, era surda.
Quando fugiu para não se casar com Ian McHugh, caiu do cavalo numa ravina e bateu a cabeça. Após recuperar-se de seu período de incosnciência, ela percebeu seu novo estado e se aproveitou de que todos pensassem estar ela louca para fugir do compromisso firmado.

Porém, com a chegada de Graeme, ela notou que apesar de não escutá-lo de todo, sua voz grave era potente o suficiente para que ela sentisse algo.
Ela era boa em leitura labial, e ficou fascinada por aquele guerreiro enorme.
Ele não era bonito como os irmãos dele, ou dela, mas a presença dele era marcante.

O início do relacionamento deles não foi tão fácil.
Primeiro, já havia toda aquela beligerância entre os clãs. Na primeira oportunidade em que ficaram juntos, ele disse algo que ela não gostou nem um pouco e de pronto deu um soco no nariz dele e saiu batendo os pés. Quando ela é levada ao seu novo lar, no clã Montgomery, a recepção que recebeu não foi nada calorosa. Some-se a isso o fato de que outras mulheres do clã se viam com mais direitos sobre Graeme já que eram suas amantes antes.

Ou seja, se a vida de Eveline não era fácil antes, só foi pra pior.

Entretanto, ela estava disposta a fazer dar certo.
Quando foi colocada em outro quarto no castelo, mostrando claramente que Graeme sequer pensava em consumar o casamento, Eveline, com a ajuda da irmã dele, Rorie, mudou seus pertences para o quarto dele.
Ao ser maltratada pelas outras mulheres do castelo, serviçais, ela não corre para reclamar. E quando Graeme fica sabendo do ocorrido, expulsa a algoz.
Quando outras mulheres a cercam para afrontá-la, ela se defende e mostra que não se deixaria intimidar.

Tudo isso é observado por Graeme, e ao invés de achar que havia se casado com uma fraca, ele a percebe forte, destemida e, provável, mais esperta do que muitas mulheres que conhecera.
É quando ele a confronta com a verdade e ela confirma seu real problema.

O casal passa a se relacionar de forma íntima e tudo parecia ir bem. Isso poderia fazer os dois clãs realmente se unirem e os tornariam os mais fortes das Terras Altas.
E exatamente isso causa a inveja de um terceiro clã, que decide intervir nessa situação.

O que era para ser um casamento de conveniência, torna-se verdadeiro, e agora, Graeme moveria céus e terras para não só ter sua esposa de volta, mas para mostrar a ela o quanto era amada...



Diferente dos outros livros da diva Maya Banks, cujo conteúdo é carregado no erotismo, este livro prioriza o romance.
No período medieval era mais do que sabido as manipulações  políticas realizadas para que alianças se formassem em prol de um bem comum, que geralmente era a favor do rei.

Por acaso, neste caso aqui, a noiva não era louca de fato, mas tinha uma surdez que escondeu da própria família (mentira por omissão) porque ela teve um forte motivo para isso. Mas em muitos casos, a gente sabe pela história que de verdade houve casamentos entre pessoas que não deveriam ter acontecido.

Eveline era bela e inteligente, e muito amada por seus pais e irmãos. Estes, Brodie e Aiden, a superprotegiam.
Pelo lado de Graeme, ele era o laird de seu clã e tinha que acatar a ordem do rei ou acabaria vendo seu clã ser dizimado numa guerra contra o reino. Mas nem ele, nem seus irmãos, Bowen e Teague, gostaram da decisão tomada.
Mas os dois lados cederam.
E mesmo achando que teria ao seu lado uma esposa inútil, da qual nem herdeiro teria, Graeme procurou defendê-la dentro de seu clã porque sabia que a filha não poderia pagar pelos pecados do pai e avô.

No entanto, havia algo em Eveline que o intrigava. Aos poucos ele percebeu certos sinais no comportamento dela; não de uma louca, mas de uma mulher que buscava se resguardar de algo. E ainda havia a irmã dele, Rorie, que insistia em dizer que Eveline era alguém que ela gostava, apesar de sua cisma inicial.

Ódio que se torna Amor.
Beligerância que se torna Ternura.
E agora, os dois clãs inimigos se unem para lutar contra um inimigo em comum, unindo forças e coração.

Ritmo muito bom. Personagens idem. Sem cliffhanger.

Uma história que vale muito a pena ler. Envolve, diverte e traz romance na medida certa.




*ARC cedido pela editora em troca de uma resenha de opinião honesta.


a autora

Nenhum comentário:

Postar um comentário