quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Abbi Glines - Para Sempre Minha (Rosemary Beach #9)



Ficha técnica: Para Sempre Minha (You Were Mine)
Autora: Abbi Glines
Editora Arqueiro
Lançamento original: 2014
Lançamento BR: 2016
208 páginas
POV: primeira pessoa - Tripp e Bethy
Gênro: Romance Contemporâneo; Drama; Chick Lit

Protagonistas: Tripp Montgomery Newark e Bethy Lowry
Local/ano: Rosemary Beach; Destin; Florida Keys/atual (lembranças de 8 anos atrás)


"Alguns dos jovens de Rosemary Beach consideram Tripp Newark um herói. Há oito anos, ele abandonou uma vida meticulosamente planejada pelos pais para conquistar a independência. Pilotando sua Harley, Tripp desapareceu da cidade para viajar pelo mundo. E essa decisão o fez perder muito mais do que os milhões que herdaria. Bethy Lowry está vivendo o pior momento de sua vida. Há um ano e meio, Jace, seu namorado, morreu afogado ao salvá-la de uma forte correnteza. Sofrendo um período turbulento e ainda consumida pela culpa, ela vive sua rotina de maneira automática, com a certeza de que nunca mais voltará a amar. No entanto, sua vida está prestes a mudar. Quando tinha apenas 16 anos, Bethy teve um tórrido romance com Tripp, que é primo de Jace. Esse segredo continuaria enterrado para sempre se não fosse por um detalhe: Tripp Newark está de volta e determinado a reconquistá-la.

Na série Perfeição, você conheceu o anjo da guarda de Della e sentiu a dor da perda de Bethy. Agora, Abbi Glines reúne esse surpreendente casal
para mostrar que nunca é tarde demais para reviver uma paixão."

Minha reação ao terminar de ler este livro



Aí, você pergunta: então, você não gostou do livro?
Vou deixar a resposta pro final...

Bethy e Tripp se conheceram ainda bem jovens - ela com 16 e ele com 18.
A vida dela era para lá de simples. Sua mãe havia partido com outro homem e como Bethy era muito parecida com ela, seu pai, que odiava a ex-esposa, não tratava a filha bem.
Não que na história apareça os maltratos dele. Ele simplesmente "não tratava"; ignorava a filha. Com isso, Bethy passava muito tempo sozinha.
A única pessoa que se preocupava com ela era tia Darla, que trabalhava há anos no departamento pessoal do Country Club Kessington, em Rosemary Beach, a área dos ricos e famosos.

Tripp fazia parte da ala dos ricos.
Seu pai já havia traçado o seu destino. Ele deveria estudar em Yale e trabalhar na empresa da família. Enquanto isso, a sua mãe queria que ele se casasse com uma moça de uma família de igual importância, London Winchester.

Acontece que Tripp não queria nem uma coisa, nem outra.
Ele morava sozinho graças a seu avó materno que havia lhe dado um apartamento em Destin, como presente de formatura de Ensino Médio.
O plano de Tripp era aproveitar seu último verão em Rosemary Beach ao lado dos amigos Woods e Jace, e Rush que às vezes aparecia por lá. Depois, ele pegaria sua Harley e andaria pelo mundo.

Mas foi exatamente nesse verão que ele encontrou Bethy.
A garota bonita que ele salvou das mãos de um canalha que trabalhava no clube como instrutor de tênis. Ela passou a trabalhar como salva-vidas e Tripp aproveitou para estar lá o tempo todo.

O envolvimento entre eles se aqueceu, mas os planos dele de fuga não poderiam ser adiados. De fato, ele pensava em voltar dali dois anos, quando Bethy estivesse com 18 anos, para levá-la com ele.
Mas quando ele partiu sem avisar, muita coisa aconteceu, e quando ele voltou, anos à frente, Bethy estava envolvida com Jace, primo de Tripp.

Como desgraça pouca é bobagem, Jace morre afogado (isso NÃO é spoiler. Se você leu os livros anteriores já sabe disso). Todos os amigos se sentem perdidos. Muitos culpam Bethy por isso. Pouco tempo depois, Tripp retorna a Rosemary Beach para ficar de vez.

Só que a Bethy atual sequer lembrava a antiga. Ela tornou-se alguém fechado, triste, que aplacava a dor na bebida e afastando-se das pessoas. Aos poucos as pessoas caíram em si sobre as acusações feitas, mas ela mesma não conseguia se perdoar.
Além disso, Bethy carregava no peito o peso de ter feito algo muito ruim e isso poderia cobrar seu preço mais adiante.

Independente de ser atacado, acusado ou esnobado, Tripp continuou zelando por ela.

"Eu não era o grande amor da vida dela, mas ela era o meu" - pag 161.

Com amigos em comum, seria impossível eles se evitarem para sempre.
Chega o casamento de Woods e Della (casal dos livros #5 e #6), numa ilha alugada para a ocasião (gente chique é outro coisa!). Bethy era uma das damas de honra e Tripp, o padrinho.
Lá, Bethy decide virar essa página em sua vida e aceita ser amiga de Tripp novamente.

Oportunidade; ciúmes; local paradisíaco. Tudo conspira para que eles fiquem juntos.
Bethy ainda sente que não poderia ser mais do que amiga de Tripp, mas as circunstâncias - e palavras dele - não colaboravam à resolução dela...

"Eu não quero aquela garota de 16 anos que eu deixei para trás. Eu quero a mulher que ela se tornou. A mulher gentil, solidária, fiel e forte que eu observo de longe todos os dias da minha vida. Eu quero essa mulher. Nada mudou para mim." - pag 67, 68.

Agora, Bethy teria de decidir de uma vez por todas qual caminho  seguir.
Mesmo com todo sofrimento, Tripp ainda era o grande amor de sua vida, e se a mesma estava lhe dando uma segunda chance, por que não aproveitar?

 Voltando à pergunta inicial: você gostou do livro?



Entenda, para quem acompanha a série desde o começo e vem sendo apresentado aos personagens, Bethy mostrou-se uma personagem chata. Isso porque ela vivia dando ataques, enchendo a cara, fazendo cena e isso já estava enchendo o saco.
Mas, de repente, a autora traz a história do casal.
Sim, nós ficamos sabendo aqui e acolá o que havia se passado com eles, o porquê da separação e até mesmo o tal segredo que ela guarda de todos. Mas quando você revive a trajetória do casal de 8 anos antes para agora, algo se transforma, e você começa a torcer que tudo dê certo.

(Nota para a autora que nunca irá ler: ok, Abbi, eu perdoei Bethy, mas acho muuuuuuuito difícil fazer o mesmo com a Nan!!)

Drama, romance, amizade. Temas bem equilibrados na narrativa.
Os personagens secundários são mais do que conhecidos - livros anteriores.
Uma graça vê-los ajeitados, unidos no amor. Prêmio maior para Grant sendo o super pai de Lila Kate.
Ritmo perfeito, mesmo com o vai e vem das lembranças. Sem cliffhanger. Livro único.




Sobre a leitura, como a autora às vezes subdivide a série em outras séries, a editora atualizou o quadro de ordem de leitura.


Próximo livro que sai em setembro, meio-irmão de Harlow, o vaqueiro Mase Colt-Manning, "À Sua Espera"






E a editora disponibilizará - GRÁTIS - o ebook "Kiro & Emily", a história de amor dos pais de Harlow.


Nenhum comentário:

Postar um comentário