sábado, 1 de outubro de 2016

Abbi Glines - À Sua Espera (Rosemary Beach #10)



Ficha técnica: À Sua Espera (When I'm Gone)
Autora: Abbi Glines
Editora Arqueiro
Lançamento original: 2015
Lançamento BR: 2016
240 páginas
POV: primeira pessoa - Mase e Reese
Gênero: Romance contemporâneo; Chick Lit; Drama

Protagonistas: Mase Colt-Manning e Reese Ellis
Local/ano: Rosemary Beach, FL; Fort Worth, TX/atual

"Mase sempre preferiu a vida simples em seu rancho no Texas à agitação do mundo do pai em Rosemary Beach. Na verdade, ele quase nunca visita o famoso astro do rock e Nan, sua meia-irmã mimada e egoísta. Mas tudo muda quando conhece uma das empregadas da casa, uma garota linda que, sem saber da presença dele, o desperta com seu canto desafinado.

Depois de anos sendo maltratada pela família e pelos colegas por causa de um distúrbio de aprendizagem, Reese conquistou sua liberdade e mora sozinha trabalhando como diarista para as famílias ricas da cidade. No entanto, seu sustento fica ameaçado quando ela causa um acidente na casa de Nan Dillon.

Ao ser salva por Mase, um rapaz atencioso e com charme de caubói, Reese fica surpresa pelo gesto dele e, depois, apavorada quando ele demonstra interesse nela. Nunca na vida Reese conheceu um homem em quem pudesse confiar. Será que Mase pode ser diferente?"


Continuação da série Rosemary Beach - livros anteriores já resenhados pelo blog

Mase é um personagem que teve aparições em livros anteriores.
Sendo também filho de Kiro Manning, meio-irmão de Harlow e também da purgante da Nannette, ele às vezes aparece na cidade praiana em que moram os ricos e famosos. Mas sua vida está totalmente voltada para o seu trabalho no rancho no Texas.
Ele é adestrador de cavalos e se não fosse por sua meia-irmã Harlow e a sobrinha, sempre chamada de milagre, Lila, ele não sairia de sua casa.

Em sua última visita à irmã, havia chegado de madrugada e se hospedava na casa comprada por seu pai - a mesma casa que Nan adorava dizer que era dela! -, tinha dormido pouco e acaba sendo acordado pelo barulho de aspirador de pó e uma cantoria desafinada.
Pronto a ir com tudo em cima de quem ousou acordá-lo, Mase fica totalmente à deriva quando dá de frente a um fabuloso par de pernas, além de um traseiro chamativo.
A diarista estava limpando a casa sem saber que havia alguém dormindo.

Reese Ellis morava há dois anos em Rosemary Beach.
Trabalhava como diarista numa agência de limpeza graças a indicação do único amigo que tinha, Jimmy, aquele mesmo que trabalha no Kerrington Country Club, que arrebata o coração das clientes, mas é 100% gay. E por este último fator, Reese consegue se sentir à vontade com ele.

Reese não teve uma infância fácil.
Sofrendo de dislexia e nunca tendo um diagnóstico preciso sobre isso, ela foi chamada de burra a vida toda, pelos colegas da escola e pela mãe. Por conta disso, ela não conseguiu terminar o Ensino Médio e praticamente não sabia ler.
Sua mãe a tolerou e casou-se com um homem que abusou de Reese. E quando a mãe o pegou no flagra, atacando a filha, foi Reese a expulsa de casa.
Homens para Reese só significavam problema.

Mas, por alguma razão, desde a primeira interação dela com Mase, ela não se sentia tão acuada assim.
Quando ela sofre um acidente no dia da limpeza, quebrando um espelho e cortando a mão a ponto de precisar levar pontos, ele a ajuda.
Quando ele descobre que ela não consegue sequer escrever um simples endereço, o lado protetor dele o faz procurar por ajuda para ela.

Mesmo a distância - ele teve que voltar para o rancho -, o relacionamento deles prossegue.

Mas Reese precisa enfrentar vários fantasmas de seu passado.
Ter intimidade com um homem estava fora de seus planos, mesmo sentindo uma grande atração por Mase.
A situação fica ruim quando Nan volta de sua viagem a Paris, descobre que Reese quebrou o espelho e faz a diarista ser demitida da agência - além de tocar o terror na moça, ameaçando-a.

Mase teria que ter toda a paciência do mundo para alcançar Reese no tempo dela, sem pressioná-la.
Ela, por sua vez, além de enfrentar seus demônios internos, teria de encarar a concorrência em cima de Mase, já que seu jeitão despretensioso e de cowboy-bom-moço chamavam a atenção da mulherada, e uma "amiga com benefício" de Mase, em especial, não iria desistir dele com facilidade.

Quem iria ganhar nessa guerra-de-braço?

Abbi Glines traz um assunto interessante (talvez de alguém com quem ela tenha convivido?): a questão de quem sofre de algum distúrbio de aprendizagem, não é tratado de forma correta e passa a vida se imaginando incompetente, com algum problema no cérebro.
Dá dó ver o tanto que Reese sofreu ao longo da infância e adolescência, sendo destratada pela mãe e sem sequer saber quem era seu pai.

O caso também de Reese ter sido abusada pelo padrasto mostra uma triste realidade, na qual muitos segundos casamentos acabam por acarretar uma facilidade a esse ato vergonhoso, em que adultos se aproveitam de alguém menor, indefeso e dependente.

Em relação ao romance em si, confesso que eu estava na expectativa com a história de Mase. Sua aparição em alguns livros, em especial na duologia da história de Harlow e Grant, me fizeram achá-lo bem simpático.
Mas o romance dele com Reese, eu achei fraco.

Eu sei que a autora costuma trabalhar com a fórmula "te vi, te amei", mas esta aqui foi rápida demais. Por mais que o jeito de Mase o tornasse um homem cavalheiro, protetor, alfa, a forma apresentada aqui não me convenceu.

Sobre Nan... Bom, se a autora está realmente querendo redimir essa personagem (pelo que ela fez no livro #8), ESQUEÇA!  Caiu tudo por terra. Nan mais uma vez se mostrou a egoísta mimada de sempre.

A história do casal também foi dividida em 2 partes, por isso, embora o relacionamento deles evolua consideravelmente, a autora deixa duas questões ainda a serem resolvidas no próximo.
Espero que essa segunda parte deles seja melhor.
3,5 estrelas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário